Diário da Região

12/10/2018 - 00h30min

ELEIÇÕES 2018

Maioria de deputados eleitos da região apoia Bolsonaro

Quatro dos seis parlamentares eleitos no último domingo afirmam que irão votar no presidenciável do PSL e dizem ser contra retorno do PT ao governo; dois deputados dizem que ainda não decidiram

Pinato (PP) diz ser apoiador
Pinato (PP) diz ser apoiador "incondicional"

A maioria dos deputados federais e estaduais eleitos no último domingo para representar a região de Rio Preto no Congresso e na Assembleia Legislativa declara apoio ao presidenciável Jair Bolsonaro (PSL) na disputa do segundo turno contra Fernando Haddad (PT). Dos seis parlamentares eleitos, quatro afirmam que irão de Bolsonaro. Dois disseram que ainda não decidiram.

A região elegeu três deputados federais: o ex-prefeito de Olímpia Geninho Zuliani (DEM), o sindicalista Luiz Carlos Motta, de Rio Preto, e Fausto Pinato (PP), de Fernandópolis, que conseguiu a reeleição. Dos três, Geninho e Pinato disseram que votam em Bolsonaro. Em ambos os casos o argumento adotado para definir o apoio é ancorado em críticas ao PT. Na avaliação do ex-prefeito de Olímpia, a chance de eventual gestão de Bolsonaro dar certo é superior ao de um governo petista. "A chance de o PT dar certo é zero. Por isso, minha opção é de apoio a Bolsonaro", afirmou o deputado eleito pelo DEM.

Pinato declarou apoio oficial ao candidato do PSL. Ele enviou mensagem diretamente ao gabinete de Bolsonaro. "Sou seu apoiador incondicional por defender os pilares da boa democracia: a família, os bons costumes, respeito à propriedade, ordem e progresso. Estaremos junto no segundo turno", disse o parlamentar de Fernandópolis.

Em nota encaminhada ao Diário para explicar a decisão, Pinato classificou Haddad de "pau mandado de organização criminosa chamada PT". Presidente da Federação dos Comerciários do Estados de São Paulo, Motta afirmou que ainda não tem posicionamento e que irá discutir o apoio na corrida presidencial depois de conversar com seu grupo de apoiadores. A cúpula nacional do PR liberou filiados e lideranças para apoiar quem quiser. Motta afirma que irá discutir o assunto com o presidente estadual do partido, Tadeu Candelária. "Por enquanto ainda não tomei uma decisão. Mas devo me posicionar na segunda-feira", disse.

Dois dos três deputados estaduais reeleitos no domingo também afirmaram que irão apoiar Bolsonaro: Itamar Borges (MDB), de Santa Fé, e Carlão Pignatari (PSDB), de Votuporanga. Sebastião Santos (PRB), de Barretos, informou que também ainda não se decidiu quem apoiar segundo turno da corrida presidencial. O PRB também liberou o apoio dos filiados no segundo turno.

Para Itamar Borges, cujo partido optou pela neutralidade entre os dois candidatos, Bolsonaro tem seu apoio por "representar a mudança, uma nova forma de pensar para o Brasil".

Carlão afirmou que irá apoiar Bolsonaro por decisão pessoal. A Executiva nacional do PSDB, que teve Geraldo Alckmin como candidato a presidente no primeiro turno, afirmou que a sigla ficará neutra no segundo turno. A postura é criticada por Carlão. "Sou antipetista. Não voto no PT por nada. Então, vou de Bolsonaro. O partido está cometendo erro grotesco em não anunciar que é anti-PT. Não é possível mais essa posição. Nossa posição é contra o PT", afirmou.

(Colaboram Rogério Castro e Rodrigo Lima)

Rodrigo também anuncia adesão

O deputado federal Rodrigo Garcia (DEM), que é candidato a vice-governador na chapa encabeçada por João Doria (PSDB), anunciou apoio a Jair Bolsonaro (PSL). O democrata segue a mesma linha de Doria. O candidato tucano ao governo paulista anunciou apoio a Bolsonaro anunciou já no domingo, 7, após a divulgação do resultado da eleição. "O PT já deixou claro sua forma de governar. Nós, brasileiros, estamos cansados dos escândalos de corrupção em que o partido está envolvido, da velha prática do toma lá dá cá e da velha política. Assim como, também, estamos cansados dessa onda de violência que castiga o País", afirmou em nota com a declaração de apoio.

Não reeleitos

Entre deputados estaduais não reeleitos de Rio Preto há divisão. Vaz de Lima (PSDB) afirmou que irá apoiar Bolsonaro no segundo turno. João Paulo Rillo (PSOL) irá apoiar Fernando Haddad. "Vou integrar na região a frente de apoio a Haddad", disse Rillo, que já foi do PT. Vaz de Lima diz que antes de ser Bolsonaro é anti-PT. "Nunca cometi essa insensatez no passado e não vai ser agora", afirmou o parlamentar tucano. Orlando Bolçone (PSB) não atendeu o celular.

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Diário da Região. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Diário da Região poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

Di´rio Im&ocute;veis

Di´rio Motors

Esqueci minha senha
Informe o e-mail utilizado por você para recuperar sua senha no Diário da Região.

Já sou assinante

Para continuar lendo esta matéria,
faça seu login de acesso:

É assinante mas ainda não possui senha?
Não lembro a minha senha!

Assine o Diário da Região Digital

Para continuar lendo, faça uma assinatura do Diário da Região e tenha acesso completo ao conteúdo.

Assine agora

Pacote Digital por apenas R$ 16,90 por mês.
OUTROS PACOTES


ou ligue para os telefones: (17) 2139 2010 / 2139 2020

Cadastro Grátis
Diário da Região
Clique no botão ao lado e agilize seu cadastro importando seus dados básicos do facebook
Sexo
Defina seus dados de acesso