Diário da Região

03/10/2018 - 21h43min

Artigo

Por que quero ser governador

Divulgação Marcio Franca
Marcio Franca

Ninguém se torna homem público. Esse é o tipo de vocação que nasce com a gente. Isso porque o trabalho de servir as pessoas requer premissas fundamentais e valores inalienáveis, como compromisso e respeito à coisa pública. Minha história começa na universidade, como líder estudantil. Ali já entendia como a política atuava em consonância com meu desejo de transformar o mundo. Aos 26 anos fui eleito vereador da minha cidade, São Vicente, e de lá pra cá acumulei experiência, erros e acertos que me permitem afirmar com tranquilidade que estou pronto para transformar São Paulo.

O maior estado do país não comporta boa vontade. Não dá para aprender à frente da locomotiva do Brasil. Ao longo de uma trajetória de 30 anos de vida pública colecionei mais do que projetos inovadores e marcas importantes, mas valores que fazem com que eu me coloque como a melhor opção para São Paulo. Sou governador há apenas cinco meses, conheço a máquina pública, suas dificuldades e seu potencial. Dou muito valor à palavra e a compromissos assumidos. Mas me encontro mesmo é no ofício do fazer. Minha história mostra isso.

Fui prefeito de São Vicente por oito anos, cargo para o qual fui reeleito com 93% dos votos. Encontrei uma cidade com problemas extremamente graves. Abri mais de 80 creches, levei asfalto e drenagem a bairros sem acesso. Criei programas de inclusão digital e uma medida revolucionária para tirar os jovens da criminalidade.

Com o Alistamento Civil, que agora será ampliado a todo o estado, tiramos da lista das 100 uma cidade que se encontrava entre as três mais violentas de São Paulo. Por nove anos, o programa ofereceu a jovens carentes de 18 anos capacitação profissional, esporte e lazer e impediu que milhares de meninos e meninas fossem cooptados pelo crime.

Sei dos desafios que me esperam e não sou dado a malabarismos de marketing, por isso estudei as questões paulistas e posso dizer o que é possível fazer.

A saúde será prioridade no meu governo. De imediato vamos abrir todos os AMEs aos finais de semana, acabando, em seis meses com as filas de espera para consultas e exames. Atualmente, essa fila é de 1,3 milhão de pessoas.

Serei parceiro dos municípios paulistas. Já estive nesse lugar e sei como é ter vontade de realizar e não ter recursos. Construiremos mais hospitais e AMEs. Mais unidades do Instituto Lucy Montoro, referência no tratamento de pessoas em reabilitação. E vamos acabar com a espera por cadeira de rodas. Havia 1.800 pessoas na fila, já compramos 800 equipamentos e autorizarmos a aquisição de mais mil.

A parceria com as cidades vai também acabar com a fila de creches. Vamos construir mais mil no estado. Vamos atuar da primeira infância à universidade, promovendo uma revolução no ensino médio. A partir do ano que vem, os jovens que se formarem terão dois diplomas: do ensino regular e do técnico. Em escolas mais atrativas e equipadas. Não dá mais para um aluno digital frequentar uma sala de aula analógica.

Também levaremos cultura para esses espaços, com teatro, circo e cinema. Vamos adquirir 100 projetores e distribuir por todo o estado. Ao final do ensino médio, os jovens paulistas terão garantida a vaga na universidade, de graça e sem vestibular, por meio da Univesp. São Paulo não vai deixar ninguém pra trás.

Vamos acabar com a sensação de insegurança. Com policiais mais bem remunerados e equipados. Tecnologia aliada à valorização da farda. Temos os melhores profissionais do Brasil e farei com que os servidores públicos de São Paulo tenham os melhores salários do país.

Prioridade à segurança da mulher. Já desenvolvemos o Botão do Pânico, com o qual mulheres em situação de risco poderão acionar, por meio de um aplicativo, a viatura mais próxima.

Sou filiado ao PSB há 30 anos. Dou valor a essa coisa que anda um pouco em desuso chamada lealdade. Já provei que sei fazer. Aprendi desde cedo a nunca deixar ninguém pelo caminho e a não abandonar os projetos pela metade. Esses anos e essa conduta me deram a convicção de que a palavra tem valor. Quero ser governador de São Paulo porque acredito que, juntos, podemos fazer mais. E melhor.

Márcio França, é candidato a governador do Estado de São Paulo pelo PSB

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Diário da Região. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Diário da Região poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

Di´rio Im&ocute;veis

Di´rio Motors

Esqueci minha senha
Informe o e-mail utilizado por você para recuperar sua senha no Diário da Região.

Já sou assinante

Para continuar lendo esta matéria,
faça seu login de acesso:

É assinante mas ainda não possui senha?
Não lembro a minha senha!

Assine o Diário da Região Digital

Para continuar lendo, faça uma assinatura do Diário da Região e tenha acesso completo ao conteúdo.

Assine agora

Pacote Digital por apenas R$ 16,90 por mês.
OUTROS PACOTES


ou ligue para os telefones: (17) 2139 2010 / 2139 2020

Cadastro Grátis
Diário da Região
Clique no botão ao lado e agilize seu cadastro importando seus dados básicos do facebook
Sexo
Defina seus dados de acesso