Diário da Região

16/09/2018 - 00h30min

EU CHEGO LÁ

Conhecimento abrangente é fundamental no Enem

Os alunos precisam estar bem informados para as questões de conhecimentos gerais e atualidades

Mara Sousa 14/9/2018 Alunos do Kelvin, Luiz e Hugo se preparam para a prova de atualidades com as aulas e também com a leitura extra de jornais e revistas
Alunos do Kelvin, Luiz e Hugo se preparam para a prova de atualidades com as aulas e também com a leitura extra de jornais e revistas

Acompanhar os noticiários e tudo aquilo que acontece ao nosso redor é uma das principais formas de se preparar para as questões de atualidades e conhecimentos gerais no Enem. Elas completam a prova de Ciências humanas e suas tecnologias, que abrange as disciplinas de História, Geografia, Filosofia e Sociologia.

Além do Enem, essas questões são cada vez mais abordadas em vestibulares e concursos. De acordo com Eduardo Rangel, professor de História e Geopolítica do Kelvin, grande parte dos assuntos abordados ainda não aparece nos livros didáticos.

"Já não bastam os temas tradicionais, que normalmente os livros didáticos trazem e que também são importantes. Determinados temas são tão atuais que nem ao menos constam nesses livros, visto que as mudanças são rápidas e constantes", explica.

Segundo Tânia Martin Guilherme Guerzoni, professora de História Geral, a abordagem desses temas vem através de textos que precisam ser interpretados pelos alunos.

"As questões do Enem, frequentemente, partem de textos interpretativos e a leitura atenta a eles e aos comandos são imprescindíveis. As questões de história geral são abordadas muitas vezes a partir de um enfoque multidisciplinar. Ter cultura geral torna os alunos mais preparados pra responderem corretamente", conta.

O professor André Constancio Cintra, que leciona História no Kelvin, lembra também que, além dos textos, as questões apresentam imagens que facilitam a interpretação dos alunos. "As origens históricas, sociais, culturais e econômicas de temas atuais, como a questão dos refugiados e das minorias, podem ser analisadas a partir de documentos, mapas, imagens e charges", explica.

Os professores lembram que as questões sobre contemporaneidade são os temas mais abordados da prova, onde, além disso, servem como um apoio para os estudantes durante a redação, já que elas podem ter um contexto relacionado à proposta da redação.

Para os estudantes, essa abordagem mais contemporânea pode representar uma certa dificuldade, já que estar bem informado significa grande chance de se dar bem. O aluno do Kelvin, Hugo Crispim de Araújo, de 18 anos, que pretende cursar Direito com foco na Universidade de São Paulo (USP) e na Universidade Estadual Paulista (Unesp), explica que a mudança repentina dos fatos é um dos motivos para essa dificuldade.

"Acredito que não só a mim, como para todos, a maior dificuldade nesses temas está na constante mudança do cenário mundial. Ela propicia ao Enem e a outros vestibulares uma ampla exploração da percepção de mundo e análise crítica dos acontecimentos pelos estudantes", conta.

Luiz Philippe Comparoni, 19 anos, que também estuda no Kelvin e pretende prestar Engenharia Química na Unicamp e Medicina na Famerp, também explica que sua maior dificuldade está em ficar atento ao que acontece no Brasil e ao redor do mundo. Para ele, esses assuntos fazem total diferença tanto no Enem quanto nos vestibulares, já que grande parte das perguntas se baseiam nesses temas que englobam grande parte do nosso cotidiano.

Para driblar essa dificuldade, os alunos buscam meios de se manter informados e bem preparados para essa prova. Luiz conta que a leitura é fundamental nesse momento, através de notícias, artigos e até mesmo de filmes e séries, que retratam temas atuais. Para Hugo, o estudo é semelhante, ele conta que além do oferecido pelo cursinho, ele procura se informar através de jornais, internet e revistas.

Os professores também dão dicas importantes para os alunos. Eduardo explica que buscar uma fonte confiável é fundamental.

"O estudante candidato ao Enem deve buscar fontes confiáveis de informação como jornais e revistas, que são trabalhos jornalísticos profissionais. A internet é uma boa fonte, desde que em sites com credibilidade, evitando as chamadas 'fake news'", explica.

Tânia lembra também que prestar atenção nas aulas é fundamental para processar melhor as informações.

"Tudo começa com uma aula bem assistida, concentrar-se como se estivesse lá, aquilo que 'vivemos' é mais fácil de ser acessado, ler o que puder sobre o assunto a partir de fontes confiáveis, desenvolver um raciocínio crítico, entender o processo histórico, há uma lógica própria nos fatos. E claro, o encantamento é um diferencial para nos sentirmos à vontade com a disciplina", conta.

Para André, os alunos precisam abranger diversas áreas para relacionar as questões.

"O principal é o estudante ter um conhecimento abrangente de diversas áreas e temas, envolvendo a cultura em suas diversas formas, e desenvolver a capacidade de relacionar temas e textos de forma crítica e que, ao mesmo tempo, promova sugestões ou possibilidades de resoluções para problemas atuais", finaliza.

(Colaborou Lara Pessôa)

Dicas para o seu estudo

Divulgação/Pixabay Estudo
Estudo

O Diário, junto com os professores e alunos, listou quais são os possíveis temas das questões relacionadas à atualidade e conhecimentos gerais:

  • Os acontecimentos em 1968: Maio em Paris, Primavera de Praga, Assassinato de Martin Luther King e Ditadura Brasileira
  • Violência contra a mulher
  • Identidade de gênero
  • Preconceito contra a mulher, negros e homossexuais
  • Guerra Civil na Síria
  • Crise dos refugiados
  • Brexit
  • Separatismo na Catalunha
  • 70 anos de Israel
  • Guerra da Coreia

Diário do Pedro

Mara Sousa 18/5/2018 Pedro - aluno do Kelvin
Pedro - aluno do Kelvin
  • Pedro Calvo, 18 anos
  • Cursinho: Kelvin
  • Objetivo: Engenharia Mecatrônica na USP ou na Universidade Federal de Uberlândia (UFU)
  • Já passou em primeiro lugar em Engenharia de Controle e Automação na Unesp, mas resolveu buscar o curso que deseja

Como foi a quinzena:

  • Minha quinzena de estudos se consistiu em tirar a matéria que eu tinha atrasada e não tinha conseguido estudar no tempo livre que arranjei no feriado. Além disso, no feriado, também tentei ao máximo fazer uma redação por dia para continuar treinando agora com a proximidade do Enem. Eu tenho treinado bastante as redações no estilo próprio da prova com o auxílio dos professores de Redação aqui do Kelvin. Estudei também a parte de exatas, com exercícios mais complexos tanto de Enem como da Fuvest, para quando chegar ao vestibular eu estar preparado para esses tipos de exercícios. Agora, com a chegada das revisões, o tempo que uso para fazer os simulados à tarde será dedicado para estudar mais.

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Diário da Região. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Diário da Região poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

Di´rio Im&ocute;veis

Di´rio Motors

Esqueci minha senha
Informe o e-mail utilizado por você para recuperar sua senha no Diário da Região.

Já sou assinante

Para continuar lendo esta matéria,
faça seu login de acesso:

É assinante mas ainda não possui senha?
Não lembro a minha senha!

Assine o Diário da Região Digital

Para continuar lendo, faça uma assinatura do Diário da Região e tenha acesso completo ao conteúdo.

Assine agora

Pacote Digital por apenas R$ 16,90 por mês.
OUTROS PACOTES


ou ligue para os telefones: (17) 2139 2010 / 2139 2020

Cadastro Grátis
Diário da Região
Clique no botão ao lado e agilize seu cadastro importando seus dados básicos do facebook
Sexo
Defina seus dados de acesso