Diário da Região

28/09/2018 - 20h15min

RAIS

Brasil abre 221.392 vagas de emprego

Com o resultado, houve aumento de 0,48% no estoque de trabalhadores

Pedro Ventura/Agência Brasília Apesar do ligeiro aumento, estoque está longe do pico observado em 2014, quando eram 49,571 milhões de empregos
Apesar do ligeiro aumento, estoque está longe do pico observado em 2014, quando eram 49,571 milhões de empregos

Após dois anos seguidos de diminuição do número de empregos, a economia brasileira voltou a gerar postos de trabalho com a abertura de 221,392 mil vagas de emprego formal em 2017, de acordo com a Relação Anual de Informações Sociais (Rais), divulgada nesta sexta-feira, 28, pelo Ministério do Trabalho.

A reação do emprego ocorreu com os empregados estatutários do setor público, já que o regido pela Consolidação das Leis do Trabalho (CLT) continuou em queda. Em 2016, o País havia destruído 2 milhões de postos de trabalho pelos parâmetros da Rais.

Com o resultado, houve aumento de 0,48% no estoque de trabalhadores em 2017, na comparação com o ano anterior. O estoque de empregos no País aumentou de 46,060 milhões para 46,281 milhões no período. Apesar do ligeiro aumento, o estoque de empregos ainda está longe do pico recente observado em 2014, quando o Brasil contabilizava 49,571 milhões de postos de trabalho.

Divulgada anualmente, a Rais traz um universo mais abrangente de dados que o publicado mensalmente no Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged). Além dos trabalhadores celetistas, o relatório também abrange todas as categorias de servidores do setor público.

Na comparação com 2016, o número de estatutários do setor público aumentou em 4% com a geração de 344,518 mil postos, para 8,935 milhões de trabalhadores. O contingente de trabalhadores contratos sob a CLT, ao contrário, caiu 0,7% com encerramento de 257,954 mil vagas, para 36,322 milhões de pessoas.

O levantamento mostra ainda que a remuneração média mensal dos trabalhadores voltou a crescer. Em relação a dezembro de 2016, houve aumento de 2,1%. Nessa comparação, a remuneração média dos empregados no País subiu em R$ 61,64, para R$ 2.973,23.

A administração pública liderou a criação de vagas com 369,175 mil empregos. Em seguida, agropecuária (24,833 mil) e os serviços (63,793 mil). A construção civil teve o pior desempenho, com queda de 7,4% no número de empregos.

 

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Diário da Região. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Diário da Região poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

Di´rio Im&ocute;veis

Di´rio Motors

Esqueci minha senha
Informe o e-mail utilizado por você para recuperar sua senha no Diário da Região.

Já sou assinante

Para continuar lendo esta matéria,
faça seu login de acesso:

É assinante mas ainda não possui senha?
Não lembro a minha senha!

Assine o Diário da Região Digital

Para continuar lendo, faça uma assinatura do Diário da Região e tenha acesso completo ao conteúdo.

Assine agora

Pacote Digital por apenas R$ 16,90 por mês.
OUTROS PACOTES


ou ligue para os telefones: (17) 2139 2010 / 2139 2020

Cadastro Grátis
Diário da Região
Clique no botão ao lado e agilize seu cadastro importando seus dados básicos do facebook
Sexo
Defina seus dados de acesso