Diário da Região

    • -
    • máx min
06/07/2018 - 00h30min

EXPERIÊNCIA X JUVENTUDE

Uruguai do artilheiro Soáres enfrenta a França do veloz Mbappe

Quartas de final opõe "cascudo" Uruguai à jovem França, cuja média de idade dos jogadores é 26 anos

Federação Uruguaia/Divulgação Atacante Suárez tem
dois gols no Mundial
Atacante Suárez tem dois gols no Mundial

O Uruguai está em casa. Óscar Tabarez tira foto com os locais, conversa animadamente com alguns jornalistas e tira fotos. A França, não. Didier Deschamps não estava carrancudo como em outros dias. Mas ele sabe que, depois de eliminar a Argentina nas oitavas de final, com uma atuação de gala de Mbappé, sua seleção virou candidata ao título.

O Uruguai abraça com gosto - mais uma vez - a condição de zebra nas quartas de final da Copa do Mundo nesta sexta, 6, às 11h, em Nijni Novgorod. É a cidade em que os jogadores comandados por Tabarez estão concentrados desde o início do torneio. "É como diz uma canção popular no Uruguai: nunca favoritos, sempre vindo de trás. Esta é a nossa realidade. É a raiz do que vamos tentar com muita ilusão de vencer", disse o treinador.

Ele lançou mão de diferentes argumentos para se colocar como azarão. Nenhum novo. Citou a extensão reduzida do país, a população pequena se comparada com a da França (3,5 milhões contra 66,9 milhões)... Mas, no discurso, há um componente que realmente pode pesar: a ausência de Edinson Cavani. O autor dos gols da classificação sobre Portugal continua em tratamento para curar lesão muscular na coxa direita. Nesta quinta, 5, pela primeira vez ele treinou com bola desde o último sábado, 30, quando sofreu o problema, e ainda é dúvida.

"Tenho profundo respeito por Tabarez. Está há 12 anos no Uruguai, realizou um trabalho extraordinário. Eles têm menos jogadores que outros países na porcentagem da população e ainda assim possuem uma seleção incrível, foram semifinalistas em 2010 e aí seguem", elogiou o técnico francês Deschamps.

A principal questão é que o discurso de quem corre por fora não encaixa com a campanha do Uruguai na Rússia. A França tem dois atacantes velozes e que podem fazer a diferença (Griezmann e Mbappé). O Uruguai, mesmo se não tiver Cavani, vai escalar Suárez, um dos mais temidos artilheiros do futebol mundial. A França tem três vitórias e um empate até agora na Copa. O Uruguai venceu as quatro partidas que disputou.

Mbappé entrou na corrida para ser considerado o melhor do mundo com a atuação que mandou Lionel Messi para casa. Fez dois gols e sofreu um pênalti contra os argentinos. Duas horas depois, o Uruguai eliminou Portugal de Cristiano Ronaldo.

A França tem uma geração jovem (com 26 anos de média), que costuma se complicar quando o adversário se fecha e não oferece espaços. A equipe empolgou contra a Argentina mas havia feito três jogos burocráticos na fase de grupos diante de Austrália, Peru e Dinamarca. "Temos de estar muito concentrados, especialmente na defesa. Não podemos dar faltas e escanteios à toa. O ritmo da França tem de ser intenso, com velocidade. Os uruguaios não precisam de muitas chances para fazerem gols e teremos de enfrentar isso", analisa o goleiro francês Lloris.

 

Ficha técnica

URUGUAI

Muslera; Martín Cáceres, Godín, José Gimenez, Laxault; Nandez, Betancur, Vecino, Torreira; Stuani (Cavani), Suárez. Técnico: Óscar Tabárez.

FRANÇA

Lloris; Pavard, Varane, Umtiti, Lucas Hernández; Kanté, Lemar, Pogba; Mbappé, Girroud, Griezmann. Técnico: Didier Deschamps.

Árbitro: Nestor Pitana (ARG). Local: Nijni Novgorod, às 11 horas desta sexta-feira, 6, com transmissão ao vivo dos canais Fox Sports, Globo e Sportv.

 

Tabárez ainda espera por Cavani

Federação do Uruguai/Divulgação Cavani durante tratamento
Cavani durante tratamento

O técnico da seleção uruguaia, Óscar Tabárez, não descartou a presença do atacante Edison Cavani na partida contra a França. Depois de fazer os dois gols da vitória sobre Portugal, Cavani sentiu uma lesão e precisou ser substituído. Só voltou a treinar na véspera da partida e separadamente dos companheiros. A imprensa uruguaia dá a ausência dele como certa.

"Cavani é muito importante para nós, mas logo absorveu o que aconteceu com ele e começou a trabalhar para buscar seus sonhos. A lesão foi informada de maneira precisa em dois comunicados. Em 24 horas, saberemos quem vai estar no time titular. Eu também não sei quem vai jogar no lugar do francês que está suspenso (Matuidi), não irei dar informações", falou Tabárez.

O técnico fez muitos elogios à seleção francesa, à "grandeza" do técnico rival, Didier Deschamps, que elogiou o Uruguai e até mesmo ao país. Tratou de jogar o favoritismo para o outro lado. Sobraram elogios também para seu próprio país, sobre a maneira como as pessoas e os jogadores vivem o futebol no Uruguai. E também sobre a retomada de bons resultados nesta década, com direito a semifinal de Copa (2010) e título de Copa América (2011), após anos e anos perdendo protagonismo.

"Muito importantes a paixão, o resgate da nossa história e o trabalho com os juvenis. 300 mil pessoas todos os fins de semana vão jogar bola, assistir. Não se existe essa paixão em outro lugar, isso é o mais importante que nós temos", comentou o técnico, que destacou também o espírito de união dos jogadores uruguaios.

Deschamps minimiza euforia

O técnico da França, Didier Deschamps, tentou reduzir a euforia quanto à atuação do atacante Kylian Mbappé contra a Argentina e a expectativa de que ele possa repetir o desempenho nesta sexta.

Mbappé, 19 anos, foi o maior responsável pela vitória francesa nas oitavas. Ele fez dois gols e sofreu um pênalti no triunfo por 4 a 3 que eliminou a seleção de Lionel Messi. O treinador reconheceu ser mais difícil fazer os atletas mais jovens se concentrarem na partida seguinte.

"O que ele fez contra a Argentina foi ótimo e mostrou ao mundo o que é capaz. Uma partida assim deixa uma imagem muito forte, mas ele teve tempo para digerir o que aconteceu. Pudemos desfrutar isso no domingo (1º) e segunda (2). A partir de terça (3), já tivemos de estar focados. É verdade que os jovens têm um pouco de dificuldade em seguir trabalhando (e esquecer), mas ele é um garoto consciente. Vocês que dizem se um jogador é estrela, não eu. Mbappé teve um grande jogo contra a Argentina", admitiu.

Deschamps não disse como pretende montar a equipe com a ausência do meia Blaise Matuidi, suspenso pelo segundo cartão amarelo. "Eu penso em um sistema geral de jogo, não jogador por jogador. Ninguém tem o mesmo perfil de Matuidi, mas temos de continuar rendendo em campo", concluiu o treinador.

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Diário da Região. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Diário da Região poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

Di´rio Im&ocute;veis

Di´rio Motors

Esqueci minha senha
Informe o e-mail utilizado por você para recuperar sua senha no Diário da Região.

Já sou assinante

Para continuar lendo esta matéria,
faça seu login de acesso:

É assinante mas ainda não possui senha?
Não lembro a minha senha!

Assine o Diário da Região Digital

Para continuar lendo, faça uma assinatura do Diário da Região e tenha acesso completo ao conteúdo.

Assine agora

Pacote Digital por apenas R$ 16,90 por mês.
OUTROS PACOTES


ou ligue para os telefones: (17) 2139 2010 / 2139 2020

Cadastro Grátis
Diário da Região
Clique no botão ao lado e agilize seu cadastro importando seus dados básicos do facebook
Sexo
Defina seus dados de acesso