Diário da Região

    • -
    • máx min
18/07/2018 - 10h12min

NOVO NEGÓCIO

'Garage Sale': Tradição nos EUA começa a aparecer em Rio Preto

Moda do "garage sale" chega a Rio Preto e região; Confira

Divulgação Família vende tudo antes de mudar de casa
Família vende tudo antes de mudar de casa

Nos filmes norte-americanos é comum ver as famílias realizando “garage sale”, que em português significa venda de garagens. A prática comum nos Estados Unidos e Canadá é uma alternativa de se desfazer de coisas antigas sem jogá-las no lixo e, de quebra, ainda ganhar um dinheiro com elas. Esse conceito muito comum lá fora vem ganhando força no Brasil e conquistando cada vez mais adeptos.

Em Rio Preto, a atividade “caseira” ganhou forma de negócio. Há três anos, a pedagoga Yolanda de Paula Souza, trouxe o serviço para a cidade e o negócio ganhou nome: “Família Mudando”. A atividade consiste em promover um bazar dentro da casa do cliente e colocar à venda tudo o que ele quiser: eletrodomésticos, móveis, eletroeletrônicos e até utensílios de cozinha. “A ideia surgiu em um momento de tristeza, a morte da minha sogra. Precisávamos de dinheiro para pagar o inventário e a casa dela estava fechada e mobiliada. Começamos a vender os objetos e arrecadamos o dinheiro”, conta Yolanda.

A pedagoga, que morava em São Paulo, mudou-se para Rio Preto e percebeu que aqui não tinha esse tipo de serviço e resolveu profissionalizar o negócio.

“Nas capitais e cidades maiores é bem comum ter empresas com esse foco. Fui para Campinas, onde tem uma empresa que atua há mais de 20 anos com esse tipo de negócio, fiz um intensivo lá e depois já começamos o trabalho aqui na região”, explica.

Para se desfazer dos objetos que você não precisa mais é preciso considerar alguns detalhes. O primeiro deles é escolher as peças que deseja vender. Nesse processo é necessário que você deixe a empolgação de lado e selecione as peças com calma e analise se elas não farão falta depois. Em seguida, veja se as peças estão em boas condições, afinal outra família vai usar.

Segundo Yolanda, o perfil das famílias que decidem vender os itens da casa varia entre pessoas que estão deixando a cidade e também aquelas que moravam em casas grandes e estão mudando para imóveis menores ou apartamentos.

A professora Natália Moreno Corrêa, é um desses exemplos. Ela precisou mudar-se de Rio Preto para Santos e optou por vender todos os móveis e utensílios da antiga casa. “Em outra mudança que eu fiz eu vendi tudo o que eu tinha por conta, mas dessa vez resolvi profissionalizar e o resultado foi ótimo. Vendemos tudo e sem dor de cabeça ou estresse”, conta.

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Diário da Região. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Diário da Região poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

Di´rio Im&ocute;veis

Di´rio Motors

Esqueci minha senha
Informe o e-mail utilizado por você para recuperar sua senha no Diário da Região.

Já sou assinante

Para continuar lendo esta matéria,
faça seu login de acesso:

É assinante mas ainda não possui senha?
Não lembro a minha senha!

Assine o Diário da Região Digital

Para continuar lendo, faça uma assinatura do Diário da Região e tenha acesso completo ao conteúdo.

Assine agora

Pacote Digital por apenas R$ 16,90 por mês.
OUTROS PACOTES


ou ligue para os telefones: (17) 2139 2010 / 2139 2020

Cadastro Grátis
Diário da Região
Clique no botão ao lado e agilize seu cadastro importando seus dados básicos do facebook
Sexo
Defina seus dados de acesso