Diário da Região

05/06/2018 - 22h02min

Série de ataques

Governador de Minas confirma que ataques partiram de facção criminosa

Até o momento, mais de 50 ônibus foram alvos de ataques em 27 diferentes cidades mineiras

Divulgação Ônibus é incendiado no município de Uberaba/MG
Ônibus é incendiado no município de Uberaba/MG

O comando para a realização de ataques em diversas cidades de Minas Gerais partiu de uma facção criminosa que possui atuação nacional. A informação é do governador do estado, Fernando Pimentel (PT), que falou em coletiva de imprensa, após reunião com autoridades da área de segurança pública sobre o assunto. Até agora, 27 cidades foram atingidas. O governador estimou que cerca de 51 ônibus foram atacados.

Pimentel evitou responsabilizar uma facção específica e disse que as ações são uma resposta à política carcerária adotada em Minas. “Nós estamos pagando o preço dos nossos presídios, do sistema prisional ser mais rigoroso do que a média brasileira. Ou seja, cumprir a lei. Aqui, nós não afrouxamos o sistema carcerário para organização criminosa nenhuma. E, por conta disso, nós estamos pagando esse preço, sofrendo ameaças e sendo atacados. Não vamos transigir com nossa política carcerária. A política carcerária em Minas é uma política que cumpre rigorosamente a lei de execuções penais”, afirmou o governador.

O Banco Nacional de Monitoramento de Prisões (BNMP), do Conselho Nacional de Justiça, não tem informações sobre a população carcerária do estado. Minas Gerais e Rio Grande do Sul são os únicos estados que não repassaram dados ao CNJ. De acordo com o Levantamento Nacional de Informações Penitenciárias, do Departamento Penitenciário Nacional (Depen), em junho de 2016 havia 68.354 pessoas presas em Minas, superando em 87% a capacidade do sistema penitenciário estadual.

O governador ressaltou a dificuldade de evitar esses crimes, mas lembrou que já há uma investigação em curso e agentes à paisana circulando em ônibus de transporte público. Desde que os ataques começaram, 47 pessoas suspeitas de participação foram detidas, segundo informações da Secretaria de Segurança Pública de Minas Gerais. Pimentel disse esperar que, a partir desta terça-feira, 5, os ataques comecem a arrefecer.

O secretário de Segurança Pública, Sérgio Barboza Menezes, acrescentou que a transferência de presos para outras penitenciárias está sendo estudada.

Os ataques começaram no último domingo, 3. Inicialmente, a Diretoria de Inteligência da PM não confirmou as suspeitas de que os ataques teriam ligação com membros de facções criminosas.

A expansão das facções pelo Brasil tem gerado conflitos em outros estados, como no Ceará, onde conflitos entre os grupos Guardiões do Estado (GDE) e Comando Vermelho culminaram em chacinas dentro e fora dos presídios.

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Diário da Região. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Diário da Região poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

Di´rio Im&ocute;veis

Di´rio Motors

Esqueci minha senha
Informe o e-mail utilizado por você para recuperar sua senha no Diário da Região.

Já sou assinante

Para continuar lendo esta matéria,
faça seu login de acesso:

É assinante mas ainda não possui senha?
Não lembro a minha senha!

Assine o Diário da Região Digital

Para continuar lendo, faça uma assinatura do Diário da Região e tenha acesso completo ao conteúdo.

Assine agora

Pacote Digital por apenas R$ 16,90 por mês.
OUTROS PACOTES


ou ligue para os telefones: (17) 2139 2010 / 2139 2020

Cadastro Grátis
Diário da Região
Clique no botão ao lado e agilize seu cadastro importando seus dados básicos do facebook
Sexo
Defina seus dados de acesso