Diário da Região

    • -
    • máx min
25/06/2018 - 11h11min

DICAS

Insulfilm lidera ranking de acessório mais pedido pelos motoristas

As películas que reduzem a transmissão de luz para o interior dos carros foram criadas inicialmente para proteger os usuários no interior do veículo da incidência dos raios UVA e UVB

Pixabay Veja o que diz a lei sobre o uso do insulfilm
Veja o que diz a lei sobre o uso do insulfilm

É normal, ao comprar um carro, o motorista pedir alguns acessórios para o seu veículo. Tapetes, controle remoto na chave, alarme, são alguns exemplos, mas o recordista dessa lista é a película fumê, ou insulfilm. As películas que reduzem a transmissão de luz para o interior dos carros foram criadas inicialmente para proteger os usuários no interior do veículo da incidência dos raios UVA e UVB. Hoje, muitos pensam que geram mais segurança e privacidade, pois as janelas escurecidas dificultam a identificação de quem está no interior do veículo. Mas, para colocar fumê no carro, é necessário seguir as regras impostas pelo Conselho Nacional de Trânsito (Contran) para não ter problemas com as autoridades.

Segundo o órgão de trânsito, os vidros dianteiros devem ter pelo menos 75% da entrada de luz. As janelas laterais do motorista e do passageiro dianteiro devem ter ao menos 70% de luminosidade. O insulfilm pode ser mais escuro se estiver fixada nas janelas traseiras laterais e no vidro traseiro do veículo, com no mínimo 28% da entrada de luz. As películas refletivas (espelhadas) são proibidas por lei.

O grau de transparência da película é indicado no selo de autenticidade gravado na peça. A especificação do insulfilm acima do permitido no vidro do carro dificulta a visibilidade do motorista, principalmente quando estiver dirigindo à noite, em dias nublados ou com chuva e quem descumprir essas medidas impostas pela legislação, estará cometendo uma infração grave, pagará multa e levará cinco pontos na Carteira Nacional de Habilitação. O veículo ainda vai ficar retido até a regularização que, nesse caso, é a retirada da película.

A norma determina ainda, entre outras observações, que a marca do instalador e o índice de transmissão luminoso, existente em cada conjunto vidro-película, localizado nas áreas indispensáveis à dirigibilidade, serão gravados na película, devendo ser visíveis pelos lados externos dos vidros.

As películas têm prazo de validade, normalmente indicado na nota fiscal concedida pela empresa que realizou a instalação. Ademais, reconhecer os sinais de desgaste pode ser mais fácil do que se imagina. Um deles é o descolamento. Outra indicação de que o prazo de validade se esgotou é a formação de bolhas.

Para retardar a troca da película, evite:

• Limpar com produtos abrasivos ou à base de amoníaco

• Adquirir produto sem referência

• Deixar o carro exposto regularmente ao sol e à chuva

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Diário da Região. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Diário da Região poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

Di´rio Im&ocute;veis

Di´rio Motors

Esqueci minha senha
Informe o e-mail utilizado por você para recuperar sua senha no Diário da Região.

Já sou assinante

Para continuar lendo esta matéria,
faça seu login de acesso:

É assinante mas ainda não possui senha?
Não lembro a minha senha!

Assine o Diário da Região Digital

Para continuar lendo, faça uma assinatura do Diário da Região e tenha acesso completo ao conteúdo.

Assine agora

Pacote Digital por apenas R$ 16,90 por mês.
OUTROS PACOTES


ou ligue para os telefones: (17) 2139 2010 / 2139 2020

Cadastro Grátis
Diário da Região
Clique no botão ao lado e agilize seu cadastro importando seus dados básicos do facebook
Sexo
Defina seus dados de acesso