Diário da Região

    • -
    • máx min
13/06/2018 - 00h30min

COPA DO MUNDO

Reportagem traz raio-X das seleções candidatas ao título

O Diário fez um levantamento para mostrar quais são as principais candidatas à conquista da Copa do Mundo - com os destaques e os pontos fortes e fracos de cada uma. Tem também as seleções que correm por fora

Facebook Germany Football Team Goleiro Neuer é um dos remanescentes da equipe campeã 
no Brasil
Goleiro Neuer é um dos remanescentes da equipe campeã no Brasil

O Diário fez um levantamento para mostrar quais são as principais candidatas à conquista da Copa do Mundo - com os destaques e os pontos fortes e fracos de cada uma. Tem também as seleções que correm por fora

Argentina e a Messidependência

Facebook AFA Messi é o maestro do time argentino na Rússia
Messi é o maestro do time argentino na Rússia

Só por ter Lionel Messi no time, um dos melhores da história, já se credencia como favorita. Mas Jorge Sampaoli terá de encontrar formas de o time jogar sem depender tanto do talento do atacante do Barcelona. E isso não aconteceu durante as Eliminatórias da Copa, quando a Argentina se classificou apenas na última rodada.

O ataque tem grandes jogadores, mas que juntos não conseguem encantar. Faltam meias de criação, o que sobrecarrega Messi, que tem de voltar para armar o time e ainda finalizar. A defesa não inspira confiança e, com a lesão do titular Romero, Sampaoli deve apostar em Caballero, goleiro reserva do Chelsea.

No Grupo D, vai enfrentar Islândia, que foi sensação da última Eurocopa, Croácia, da dupla Modric e Rakitic, e Nigéria. Se passar, cruza com o Grupo C, da França.

Pontos fortes: Lionel Messi; grandes nomes no ataque, como Di Maria, Aguero, Dybala e Higuain; mantém a base do time que chegou à final da última Copa

Pontos fracos: dependência de Messi; ainda não fez partidas convincentes sob o comando de Sampaoli e perdeu dois titulares por lesão, o goleiro Romero e o meia Lanzini; defesa inconsistente

Time base: Caballero; Gabriel Mercado, Otamendi, Rojo, Tagliafico; Javier Mascherano, Lo Celso, Meza; Messi, Di María e Agüero.

Campanha nas Eliminatórias Sul-americanas: sete vitórias, sete empates e quatro derrotas.

Posição na última Copa: Vice-campeã.

Brasil confiante e sem traumas

Lucas Figueiredo/CBF Lateral Marcelo é uma das armas do time de Tite
Lateral Marcelo é uma das armas do time de Tite

Com Tite no comando, o Brasil teve 21 jogos e só perdeu um amistoso, contra a Argentina. Em 16 jogos, ficou sem tomar gols - foram apenas cinco tomados. A consistência defensiva é um dos destaques da equipe. Miranda e Thiago Silva - e Marquinhos quando joga - são muito eficientes e, junto com os laterais e os volantes, permitem poucas chances aos adversários.

Os valores individuais são fortes. Neymar e Marcelo estão entre os melhores do mundo. Coutinho e Willian seriam titulares em muitos dos grandes times da Europa. E Gabriel Jesus, apesar da pouca idade, parece não sentir o peso da camisa amarela.

No Grupo E, a Seleção enfrenta Suíça, Costa Rica e Sérvia. Busca o primeiro lugar para fugir da Alemanha, provável melhor time do Grupo F.

Pontos fortes: defesa consistente; demonstração de força em grandes jogos (como contra Argentina nas eliminatórias); Neymar e outros jogadores em boa fase

Pontos fracos: dependência de Neymar; falta de Daniel Alves; possível trauma do 7 a 1

Time base: Alisson; Danilo, Thiago Silva, Miranda e Marcelo; Casemiro, Paulinho e Coutinho; Neymar, Willian e Gabriel Jesus. Técnico: Tite.

Campanha nas Eliminatórias: 12 vitórias, 5 empates e uma derrota

Posição na última Copa: Quarto Colocado.

Espanha esbanja qualidade e técnica no meio-campo

Reprodução Instagram Sergio Ramos, do Real Madrid, comanda a defesa espanhola
Sergio Ramos, do Real Madrid, comanda a defesa espanhola

O time já não é o mesmo que encantou pelo domínio da posse de bola e foi campeão pela primeira vez em 2010. Xavi, um dos pilares do tique-taca, já não joga pela seleção espanhola. Mas ainda há muito do estilo de jogo, principalmente porque Iniesta permanece na equipe. Tem junto com ele Thiago Alcântara, filho do tetracampeão Mazinho, Busquets, Koke, David Silva e Isco, todos jogadores que prezam pela posse de bola. Divide com a Alemanha a condição de melhor meio de campo do mundo.

Mas o que sobra ao meio, falta ao ataque. A aposta é em Diego Costa, brasileiro naturalizado espanhol. Forte, trombador e goleador, ele é o principal atacante da seleção, que em 2010 tinha David Villa e Fernando Torres. A defesa também é forte, com Piqué e Sergio Ramos.

No Grupo B, enfrenta logo de cara Portugal, jogo mais esperado da primeira fase. Depois encara Irã e Marrocos.

Pontos fortes: meio-campo que controla o jogo; elenco renovado e comandado pelo ex-técnico do Sub-21, que conhece os jogadores; melhor dupla de zagueiros do mundo

Pontos fracos: falta de bons atacantes; com tanta técnica, a marcação no meio não é tão forte; possível falta de Xavi

Time base: De Gea; Carvajal, Sérgio Ramos, Piqué e Jordi Alba; Busquets, Thiago Alcântara, Iniesta, David Silva e Isco; Diego Costa. Técnico: Julen Lopetegui

Campanha nas Eliminatórias Europeias: 9 vitórias e uma derrota

Posição na última Copa: Não passou da primeira fase

Quem corre por fora?

Portugal: campeão da Eurocopa, os portugueses têm apenas um grande jogador, Cristiano Ronaldo. Mas já demonstraram que têm força coletiva e podem chegar longe. Ainda mais com a fase extraordinária do atacante do Real Madrid, que ganhou tudo o que podia nos últimos anos, sempre sendo destaque. Deu azar de cair no mesmo grupo da Espanha, mas, caso passe, vai cruzar nas oitavas com o Grupo A, que tem Rússia, Arábia Saudita Egito e Uruguai.

Bélgica: Hazard, De Bruyne, Lukaku, Mertens. Todos destaques de grandes times da Europa. Mas nem assim os belgas conseguem ir longe em grandes competições. A melhor geração do país, apesar da facilidade para conseguir a classificação à Copa do Mundo, ainda não convence em campo. Vai duelar com a Inglaterra pelo primeiro lugar no Grupo G. Nas oitavas, pode pegar Polônia, Colômbia, Japão ou Senegal - chance de ouro de avançar, pelo menos, até as quartas.

Uruguai: um ataque com Cavani e Suárez é de impor respeito a qualquer adversário - talvez a melhor dupla de atacantes entre as seleções. Além disso, tem a já clássica solidez defensiva exibida nas últimas duas copas. Está no grupo da anfitriã, Rússia, e deve passar em primeiro com facilidade - enfrenta ainda Egito e Arábia Saudita. O problema é o cruzamento nas oitavas, com o Grupo B, que tem Espanha e Portugal.

Inglaterra: A primeira Copa do Mundo sem a geração de Lampard e Gerrard que, apesar de se destacarem muito pelos clubes que defenderam, Chelsea e Liverpool, respectivamente, nunca conseguiram levar a seleção longe em competições importantes. O time atual está renovado e aposta na velocidade de Sterling e no faro de gol de Harry Kane. Deve jogar num 3-5-2, com diversos jogadores do Tottenham entre os titulares.

Alemanha renovada, mas com base campeã

Atual campeã, a seleção da Alemanha vem renovada para o mundial da Rússia, mas sem deixar de lado a base de 2014. O treinador é o mesmo, Joachim Löw, no comando da equipe desde 2006. Passou toda a eliminatória europeia invicta, classificando-se facilmente, ao vencer todos os dez jogos. Mas nesse ano o clima é de certa desconfiança, com atuações pouco convincentes.

No Grupo F, enfrenta o México, a Suécia e a Coreia do Sul. O cruzamento nas oitavas é com o Grupo E, do Brasil, ou seja, se for segundo colocada e o Brasil, primeiro, as equipes se enfrentam. O mesmo acontece se o Brasil for segundo e os alemães, primeiros.

Entre os campeões de 2014 que continuam no time estão o goleiro Manuel Neuer, os zagueiros Hummels e Boateng, os meias Khedira, Kroos, Ozil, e o atacante Muller. O autor do gol do título em 2014, Mario Gotze, não foi convocado.

Pontos fortes: entrosamento; longo tempo de trabalho do treinador; muita qualidade técnica

Pontos fracos: má fase de alguns jogadores; lesões ou falta de ritmo, como do goleiro Neuer; futebol inconsistente neste ano

Time base: Neuer; J. Kimmich, Boateng, Hummels e J. Hector; Khedira, Tony Kroos, Draxler e Thomaz Muller e M. Reus; Timo Werner. Treinador: Joachim Löw.

Campanha nas Eliminatórias: 10 vitórias em 10 jogos;

Posição na última Copa: Campeã.

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Diário da Região. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Diário da Região poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

Di´rio Im&ocute;veis

Di´rio Motors

Esqueci minha senha
Informe o e-mail utilizado por você para recuperar sua senha no Diário da Região.

Já sou assinante

Para continuar lendo esta matéria,
faça seu login de acesso:

É assinante mas ainda não possui senha?
Não lembro a minha senha!

Assine o Diário da Região Digital

Para continuar lendo, faça uma assinatura do Diário da Região e tenha acesso completo ao conteúdo.

Assine agora

Pacote Digital por apenas R$ 16,90 por mês.
OUTROS PACOTES


ou ligue para os telefones: (17) 2139 2010 / 2139 2020

Cadastro Grátis
Diário da Região
Clique no botão ao lado e agilize seu cadastro importando seus dados básicos do facebook
Sexo
Defina seus dados de acesso