Diário da Região

    • -
    • máx min
10/06/2018 - 00h30min

EU CHEGO LÁ

Lazer não deve ficar de lado

Atividades físicas, descanso, passeios e programas culturais ajudam a aliviar o estresse e podem até incrementar os estudos

Mara Sousa 8/6/2018 Hugo Rozani, que preta medicina, aproveita o tempo livre para praticar esportes, curtir com os amigos e ouvir música no celular
Hugo Rozani, que preta medicina, aproveita o tempo livre para praticar esportes, curtir com os amigos e ouvir música no celular

São várias horas de estudo por dia, inclusive aos finais de semana, com mapas, números, redações, fórmulas, longos textos. Quem não ficaria estressado? A preparação para o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) é puxada e os alunos sabem que o ano que garante a vaga na universidade federal, estadual ou particular tem uma prioridade: os estudos. Especialistas ouvidos pelo Diário para a terceira reportagem da série "Eu Chego Lá", no entanto, consideram que o descanso e o lazer são imprescindíveis.

O psicólogo Carlos Eduardo de Freitas, do Kelvin, explica que eles são essenciais para a produtividade, mas devem ser recompensa de um bom trabalho. "O lazer é fundamental para recarregar as energias e seguir em frente na rotina de estudos. Caso contrário, poderão ocorrer desmotivação e dificuldades na concentração, ainda que o aluno saiba que o vestibular é seu grande objetivo no momento", afirma.

Ele comenta que o lazer serve como distração. É para pensar em qualquer coisa, menos nos livros e cadernos. "Jogar videogame, ver filmes ou seriados, conversar com os amigos e estar com pessoas de quem gosta estão entre os mais procurados pelos alunos."

Danilo Galhardo, professor de gramática e interpretação do Kelvin, cita a prática de exercícios físicos. "É importante para extravasar, correr, transpirar, tudo isso que os médicos falam, para não sobrecarregar a mente no tocante aos estudos", fala. "O equilíbrio é tudo. Acho que o aluno tem que tentar encaixar na sua rotina as atividades físicas."

O docente recomenda o acompanhamento médico e acredita que esportes de duas a três vezes por semana já auxiliam no dia a dia. Danilo lembra que cada estudante vai escolher a atividade que mais lhe agrada. Enquanto uns preferem as mais agitadas e em grupo, outros vão optar por práticas mais serenas como pilates e ioga.

Hugo Guerra Rozani, 19 anos, é aluno do Kelvin e vai prestar medicina com foco nas maiores faculdades do Estado: USP, Unesp, Unicamp e Unifesp - todas elas utilizam o Enem para compor a nota final. "Estudo entre quatro e seis horas por dia, inclusive aos sábados e domingos. Como lazer eu gosto de jogar futebol, ir à academia, sair com minha namorada, amigos e sair com meus pais para jantar. É muito importante para aliviar do estresse e descansar um pouco, além de dar um gás a mais na semana." Ele procura separar tempo de duas a três vezes por semana para os esportes. 

Outra atividade que o aluno aprecia é utilizar o celular para ouvir músicas e ler sobre atualidades. O professor Danilo acredita que esta é uma boa opção. "Formas de lazer como cinema, assistir a filmes, ir a shows, ouvir boa música. Acho que o aluno, quando alia lazer com conhecimento, complementa os estudos. Ouvindo uma música pode fazer links com as matérias que são dadas em sala de aula, a partir de um filme pode retirar uma argumentação para a redação, resposta discursiva", exemplifica.

Baladas

As baladas até podem acontecer, mas com moderação. O psicólogo Carlos aconselha a evitar atividades que possam desconcentrar o aluno ou modificar sua rotina de sono. "As baladas são bem vindas desde que sejam comemorações especiais como aniversários, festas juninas, shows", enumera. 

Alice Cherubini Fogaça, 18 anos, presta nutrição na USP e na Unicamp. Ela estuda em média quatro horas por dia. Quando tem tempo livre, gosta de fazer exercício físico, tomar sol, assistir a filmes, tocar violão, usar o celular ou passear. "Tudo isso funciona como uma válvula de escape do estresse de todo dia e acho importante não abrir mão de tudo que gosto de fazer, ajuda muito a desestressar e desligar dos estudos", afirma. 

Ela não passa vontade de sair, mas não vai a festas todo fim de semana. "Vou a baladas às vezes, festival de música quando tem, e todo fim de semana saio para algum outro lugar mais tranquilo e até no meio da semana. Quando tenho prova, prefiro fazer algo tranquilo para me distrair, não vou em festa, nem balada, nem algum barzinho. No máximo saio para jantar, ver um filme ou fico em casa mesmo", conta. 

O professor Danilo opina que cada aluno deve administrar sua agenda e ter em mente a universidade almejada e a concorrência do curso pretendido. "Nós professores gostamos muito de matéria dada, matéria estudada. Se o aluno cria uma rotina e não deixa a matéria acumular, é interessante."

Ele diz que baladas são permitidas, mas o estudante deve lembrar que está em um ano decisivo em que é preciso errar o mínimo possível para não perder as oportunidades. "Eu acho que (pode) em datas que não comprometam, por exemplo, o desempenho numa prova. Se ele vai para uma balada e no outro dia tem vestibular, o desempenho vai cair. E tem que saber curtir com moderação, sem exageros."

Diário da Jaque

Mara Sousa 19/5/2018 Jaqueline Silva dos Anjos - Enem - Escola Oscar de Barros Serra Doria
Jaqueline Silva dos Anjos - Enem - Escola Oscar de Barros Serra Doria

Nessa quinzena, foquei na área de exatas, mas também estudei um pouco de humanas para não me sobrecarregar. A cada semana me dediquei a um conteúdo específico da área e intercalei os estudos teóricos com a resolução de exercícios sobre o tema estudado.

Ao longo dos meus estudos, tive mais dificuldade na resolução dos exercícios de trigonometria, que, ao meu ver, são muito extensos. Porém, não estou tão preocupada, pois, embora saiba que o conteúdo seja importante, esse tipo de exercício não costuma cair com tanta frequência nas provas do Enem, vestibular ao qual estou me dedicando mais.

Jaqueline Silva dos Anjos, 18 anos, que vai fazer o Enem para tentar bolsa para o curso de nutrição ou para ajudar na nota do vestibular de engenharia de alimentos

 

Diário do Pedro

Mara Sousa 18/5/2018 Pedro - aluno do Kelvin
Pedro - aluno do Kelvin

No feriado de Corpus Christi consegui aproveitar para tirar as minhas matérias do atraso, como geografia, e também adiantar a redação. Assim pude relaxar no domingo com meus amigos e minha família para começar esse último mês, que geralmente é o mais cansativo do primeiro semestre, tranquilo e com a cabeça vazia.

Ao longo da semana fui estudando a matéria do dia e, em alguns dias que eu tinha mais tempo, consegui fazer algumas coisas a mais. Nas duas redações que levei ao plantão obtive boas notas, então acabei ficando contente com meu resultado porque, de acordo com o professor do plantão, meus textos vêm demonstrando uma melhora na qualidade. 

Pedro Sotelo Calvo, 17 anos, aluno do pré-vestibular do Kelvin que vai prestar o Enem para servir como vestibular ou ajudar na nota de engenharia mecatrônica

 

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Diário da Região. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Diário da Região poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

Di´rio Im&ocute;veis

Di´rio Motors

Esqueci minha senha
Informe o e-mail utilizado por você para recuperar sua senha no Diário da Região.

Já sou assinante

Para continuar lendo esta matéria,
faça seu login de acesso:

É assinante mas ainda não possui senha?
Não lembro a minha senha!

Assine o Diário da Região Digital

Para continuar lendo, faça uma assinatura do Diário da Região e tenha acesso completo ao conteúdo.

Assine agora

Pacote Digital por apenas R$ 16,90 por mês.
OUTROS PACOTES


ou ligue para os telefones: (17) 2139 2010 / 2139 2020

Cadastro Grátis
Diário da Região
Clique no botão ao lado e agilize seu cadastro importando seus dados básicos do facebook
Sexo
Defina seus dados de acesso