Diário da Região

15/05/2018 - 18h35min

XÔ, RESFRIADO

Alimentação ajuda a prevenir e combater doenças respiratórias do inverno

Saiba quais são os alimentos que podem ajudar a prevenir ou atenuar os efeitos de gripes, resfriados, entre outras doenças respiratórias comuns no período mais frio do ano

Pixabay/Divulgação Chás como os de gengibre e de limão ajudam a reduzir os efeitos de gripes e resfriados
Chás como os de gengibre e de limão ajudam a reduzir os efeitos de gripes e resfriados

Doenças respiratórias como gripe e resfriado são muito comuns nesta época do ano, em que a temperatura cai e as pessoas permanecem por mais tempo em ambientes fechados, contribuindo para que os vírus sejam disseminados com mais facilidade.

Por isso, o sistema imunológico pede mais atenção, e a alimentação desponta-se como uma grande aliada, tanto no fortalecimento do organismo quanto na diminuição dos sintomas de uma gripe ou resfriado.

Segundo a nutricionista Lorraine Mussi, de Rio Preto, doenças respiratórias típicas do inverno podem ser prevenidas através da ingestão de alimentos antioxidantes, ricos em vitaminas e minerais e com potencial anti-inflamatório. O mesmo também vale quando o objetivo é atenuar os efeitos dessas doenças.

"Frutas como acerola, laranja, limão, abacaxi e goiaba, além de hortaliças como brócolis, couve, agrião, rúcula e espinafre, são ricos em vitamina C, além de serem potentes antioxidantes", orienta Lorraine.

Lorraine também indica alimentos como romã, alho, gengibre, canela, açafrão e cacau, que, além de antioxidantes, têm ação anti-inflamatória, bactericida e antifúngica - ajudando na expectoração e proporcionando uma melhor respiração. 

A nutricionista Geovana Parra Vieira, também de Rio Preto, destaca ainda o própolis, em que são encontrados pelo menos 38 tipos de substâncias que apresentam atividade antimicrobiana. "Há estudos demonstrando a utilização do própolis tanto na prevenção como no tratamento de gripe, asma, bronquite e resfriado devido à sua comprovada ação broncodilatadora e antiviral", informa.

Por outro lado, também há alimentos que devem ser evitados, pois reduzem as defesas do organismo e contribuem no surgimento de quadros inflamatórios. "Uma alimentação pobre em nutrientes, de forma geral, torna o indivíduo mais suscetível a adquirir gripes e resfriados. Contudo, o grande consumo de alimentos industrializados prejudica ainda mais esse processo, tornando-se a opção mais prática e tomando lugar dos alimentos naturais. O consumo de bebidas alcoólicas também prejudica bastante, podendo causar forte desidratação no organismo", orienta Geovana. 

O poder dos chás

A ingestão de líquidos é fundamental, e não apenas no período mais frio do ano. Além de água mineral e sucos naturais, uma opção saudável que combina bem com este período são os chás. 

"Os chás são uma ótima alternativa para combater os sintomas de gripes e resfriados. Entre eles, podemos citar os seguintes componentes: canela, limão, alho e gengibre. Eles podem ser adoçados com mel ou algumas gotinhas de própolis", diz Geovana.

"Por se tratar de plantas medicinais, os chás possuem suas contra-indicações e podem causar efeitos colaterais. Além disso, devem ser utilizados por tempo determinado. Sendo assim, antes de ingeri-los, procure um nutricionista", pontua Lorraine.

Sintomas

RESFRIADO

  • Febre baixa
  • Nariz obstruído
  • Tosse suave
  • Garganta dolorida
  • Duração de 7 a 10 dias

GRIPE

  • Febre alta
  • Dores de cabeça
  • Nariz obstruído
  • Tosse severa
  • Dores no corpo
  • Fadiga
  • Garganta dolorida
  • Cansaço
  • Duração de várias semanas

Dicas

  • Peixes: em peixes de água fria, como sardinha, salmão, cavalinha e outros, encontramos o ômega-3, um tipo de gordura que apresenta ação anti-inflamatória e, assim, pode ajudar no alívio dos sintomas de gripes e de resfriados. Se não for possível consumi-los com regularidade, inclua cápsulas de óleo de peixe na sua rotina.
  • Alho: contém alicina, um potente antioxidante, que atua reforçando o sistema imune. Para que seus benefícios sejam aproveitados, deve ser consumido cru. Se não gostar de consumi-lo dessa forma, as cápsulas de óleo de alho podem ser uma boa opção.
  • Erva-doce: é um expectorante natural e pode ajudar a diminuir a congestão no peito e acalmar a tosse persistente. A erva-doce pode ser utilizada em várias preparações, crua ou assada, e na forma clássica de chá.
  • Cogumelos: contêm antioxidantes, que aumentam a imunidade, além de potássio, vitaminas do complexo B e fibras. O cogumelo shiitake, por exemplo, contém lentinan, um nutriente que além de reforçar o sistema imune, tem sido relacionado com propriedades anticancerígenas.
  • Carnes magras: por meio delas obtemos proteínas que são responsáveis não só pela manutenção muscular, mas também pelo desenvolvimento das células de defesa do organismo, os anticorpos. Opte pelas versões branca e sem gordura, como frangos (se possível orgânicos) e peixes.
  • Chocolate amargo: além de potentes antioxidantes, o cacau contém zinco, um mineral essencial para o melhor desenvolvimento das células de defesa do organismo. 30 gramas por dia dos chocolates com informação na embalagem de que contêm mais de 70% de cacau já é o suficiente para se obter todos os benefícios.
  • Castanha-do-brasil: ricas em proteínas, em gorduras saudáveis e em selênio, um mineral que é essencial para a função imunológica adequada, além de poder ajudar a proteger o organismo de infecções e de resfriados. A recomendação de consumo é de 1 a 2 unidades por dia.
  • Semente de girassol: uma das melhores fontes naturais de vitamina E, um antioxidante que protege as paredes celulares de danos. Uma única colher de sopa contém 30% da ingestão diária recomendada de vitamina E.
  • Cenouras e batatas-doces: assim como outros alimentos de coloração amarelada e alaranjada são ricas em betacaroteno. Quando comemos esses alimentos, nosso corpo converte esse composto orgânico em vitamina A, que é essencial para a manutenção de um sistema imunológico resistente. A vitamina A é especialmente importante na manutenção das membranas mucosas que revestem o nosso nariz e a nossa garganta, que são uma das primeiras linhas de defesa do organismo e devem se manter saudáveis e funcionando adequadamente.
  • Blueberries: frutas ricas em antocianina, um antioxidante que atua no reforço do sistema imunológico.

Fonte: Mundo Verde

As diferenças entre gripe e resfriado

Pixabay/Divulgação Gripes e resfriados são comuns nesta época do ano, mas há diferenças entre as duas doenças
Gripes e resfriados são comuns nesta época do ano, mas há diferenças entre as duas doenças

Gripe e resfriado são causados por vírus diferentes, mas que apresentam vários sintomas em comum - o que acaba deixando muita gente confusa na hora de identificar essas doenças. 

Segundo Ana Paula Flora, gerente médica da Sanofi Pasteur, de São Paulo, realizar o diagnóstico diferencial entre gripe e resfriado é essencial para seguir com o tratamento adequado.

O resfriado é motivado por algumas espécies de vírus: Rinovírus (principal causa dos resfriados), Adenovírus, Vírus Sincicial Respiratório, Coronavirus, Echovirus e Paramixovirus, entre outros. Os sinais e sintomas dos resfriados aparecem dois ou três dias após a exposição ao vírus. Os mais comuns são: coriza, espirros, tosse, dor de garganta, lacrimejamento, moleza, febre baixa e de curta duração.

O agente etiológico da gripe é o vírus Influenza. A transmissão pode ocorrer por contato direto, de pessoa para pessoa, via espirro, por exemplo, ou indireta, por meio de superfícies ou objetos contaminados. O indivíduo com gripe pode transmitir o vírus a outras pessoas em até mais de um metro e meio de distância.

A principal diferença nos sintomas de gripe e resfriado é a intensidade. "Uma pessoa com resfriado apresenta as vias aéreas superiores obstruídas, já na gripe os sintomas podem ser mais severos, como a febre alta, dor de cabeça e fadiga", destaca Ana Paula.

A melhor estratégia de prevenção contra a gripe é a vacinação anual, o que reduz significativamente o risco de adquirir a doença e também de complicações e hospitalizações. "Quanto mais pessoas forem vacinadas, menos o vírus influenza será disseminado e mais pessoas dos grupos prioritários e de risco, que podem ser atingidos de forma mais grave, estarão protegidos", reforça a gerente médica da Sanofi Pasteur.

Outras medidas de prevenção também podem ser feitas para garantir mais proteção, como higienizar bem as mãos com sabão ou usar álcool-gel, evitar utilizar lenços de tecido, ou objetos de uma pessoa doente, além de utilizar uma proteção descartável ao espirrar, tossir ou falar.

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Diário da Região. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Diário da Região poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

Di´rio Im&ocute;veis

Di´rio Motors

Esqueci minha senha
Informe o e-mail utilizado por você para recuperar sua senha no Diário da Região.

Já sou assinante

Para continuar lendo esta matéria,
faça seu login de acesso:

É assinante mas ainda não possui senha?
Não lembro a minha senha!

Assine o Diário da Região Digital

Para continuar lendo, faça uma assinatura do Diário da Região e tenha acesso completo ao conteúdo.

Assine agora

Pacote Digital por apenas R$ 16,90 por mês.
OUTROS PACOTES


ou ligue para os telefones: (17) 2139 2010 / 2139 2020

Cadastro Grátis
Diário da Região
Clique no botão ao lado e agilize seu cadastro importando seus dados básicos do facebook
Sexo
Defina seus dados de acesso