Diário da Região

13/05/2018 - 00h00min

PAIS E FILHOS

Você já recebeu um conselho dos seus pais que nunca esqueceu?

Quase todo mundo já recebeu um conselho paterno ou materno que nunca se esqueceu

Freepik/Divulgação Legenda para matéria de conselhos
Legenda para matéria de conselhos

A vida é cheia de conselheiros. Toda hora tem alguém para dar uma opinião sobre a sua vida financeira, amorosa, profissional, sobre suas roupas, o seu peso ou a forma como deve criar seus filhos. Palpiteiros de plantão não faltam. Se você é daqueles que acha que "se conselho fosse bom a gente não dava, vendia", uma coisa é certa: a máxima não se aplica aos conselhos que uma mãe ou um pai têm para dar aos filhos.

Em certos momentos pode até parecer que eles falam demais, que são negativos ou que simplesmente querem se meter na sua vida. Mas no fim da história, eles sabem das coisas. Talvez seja por causa das experiências já vividas, do sexto sentido, do amor ou todas essas coisas juntas. O fato é que, muitas vezes, no decorrer da vida, as coisas vão fazendo sentido e quando você não dá atenção ao conselho deles, cedo ou tarde, vai escutar aquela frase: "eu não avisei?".

A revista Bem-Estar ouviu quatro pessoas que contam quais foram os conselhos que receberam do pai ou da mãe e que nunca se esqueceram. São conselhos que, para eles, foram importantes para diminuir as chances de errar em momentos delicados da vida ou nas simples decisões do dia a dia.

Conselho 1

"Não revide, não seja imediatista. Na vida, você vai levar muitas 'surras'. É preciso parar e pensar. Dê um passo para trás e aprenda a administrar as suas emoções"

(Conselhos da mãe, Iolanda, e da avó, Senhorinha, ao empresário Hamilton Ferreira)

"Na pequena Palestina, minha terra natal, todos estudávamos na mesma escola estadual, sem distinção nenhuma. Todos éramos iguais e o filho do nosso motorista estudava junto comigo. Ele era melhor que todos em muitas coisas, principalmente no futebol e em matemática. Um dia, algumas crianças começaram a fazer diferença dele devido a cor da pele. Eu tinha nove anos, morava de frente à escola e comecei a brigar com a molecada para defendê-lo. Nós dois levamos uma surra da molecada. Corri para casa para pegar um taco de madeira, para voltar e bater em todo mundo. Eu sempre revidei. Não aceitava o fato de ter apanhado da molecada, ainda mais por defender alguém por não concordar com as diferenças. Foi neste dia que recebi estes conselhos da minha mãe e da minha avó materna. Minha mãe me disse que, na vida, eu ainda iria levar muitas 'surras', e que isso era só uma mostra do que era a vida. Disse que na vida teríamos de saber perfeitamente a administrar as nossas emoções. Deveríamos parar e pensar. A partir daquele dia, sempre que acontecia alguma coisa, eu parava e pensava. E toda vez que eu contrariei o conselho, fui imediatista e revidei, eu me dei mal. Esse foi aquele conselho que valeu e vale para a vida"

(Hamilton Ferreira, empresário)

Conselho 2

Arquivo pessoal Beto Mansano, publicitário
Beto Mansano, publicitário

"Respeite as pessoas pelo que elas são, não pelo que têm ou aparentam ter"

(Conselho do pai, João, ao publicitário Beto Mansano)

"Meu pai era um espanhol muito correto. Além de ensinar valores como respeito e humildade aos filhos, que o tinham como exemplo de caráter, também dizia que não precisávamos respeitar as pessoas pela idade - o que na época era muito comum - porque os canalhas também envelhecem. Ele ensinava que deveríamos respeitá-las independentemente de cor, raça, credo, opção sexual ou nacionalidade. Ensinava também a respeitá-las pelo que eram, não pelo que tinham ou pareciam ter. Eram conversas que iam me ajudando a entender o mundo, principalmente a ter respeito pelo próximo. Acho que ele falou muito. Sempre segui."

(Beto Mansano, empresário)

Conselho 3

Arquivo pessoal Renato Marcão, promotor de Justiça
Renato Marcão, promotor de Justiça

"Nunca vire as costas para um trabalho honesto"

"Agradeça e peça"

(Conselhos do pai, Édis, e da mãe, Idelma, ao promotor de Justiça Renato Marcão)

"Comecei a trabalhar muito cedo, aos 11 anos, com meu pai. Já criança tinha minhas atribuições rigorosas, como qualquer funcionário. Eu reclamava, é claro, e lembro que uma vez ele disse que eu tinha atribuições na vida e para eu nunca virar as costas para um trabalho honesto. De minha mãe foram vários conselhos. Eu sempre fui e ainda sou muito religioso, e me lembro que quando ingressei no Ministério Público, aos 23 anos, uma das coisas que ela me disse era de que em toda as cidades por onde eu passasse e conhecesse, que eu deveria inicialmente procurar uma igreja, e nela agradecer e pedir. Sempre faço isso. Acabo indo a uma igreja e passo ali alguns minutos agradecendo, principalmente, e pedindo saúde, equilíbrio e determinação. São conselhos fundamentais, penso eu."

(Renato Marcão, promotor)

Conselho 4

Sergio Isso Adriana Neves
Adriana Neves

"Tudo o que você for fazer, faça bem-feito. Por menor que seja a tarefa, dedique-se da melhor forma possível e, assim, tudo o que você tiver de cumprir na sua vida irá cumprir brilhantemente".

(Conselho da mãe, Consuelo, à empresária Adriana Neves)

"Todos nós recebemos conselhos, referências e exemplos de pai e de mãe que, no decorrer da nossa vida, vão fazendo sentido. E nos momentos certos vamos nos lembrando daqueles conselhos valiosos. Tem um em especial que eu recebi da minha mãe, na época do pré-primário, em Potirendaba, que percorreu toda a minha vida, inclusive a profissional. Nos primeiros trabalhinhos de escola ela dizia: 'tudo o que você for fazer, faça bem-feito. Por menor que seja a tarefa, faça bem-feita. Mesmo que pareça que não tem tanta importância, dedique-se da melhor forma possível e faça do melhor jeito possível. Assim, tudo o que você tiver de cumprir na sua vida, irá cumprir brilhantemente. Não sei se consegui cumprir tudo dessa forma, mas sempre, em todas as minhas tarefas, eu tento dar o foco 100% e me dedicar de todo coração à tarefa, por menor que seja naquele momento."

(Adriana Neves, empresária)

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Diário da Região. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Diário da Região poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

Di´rio Im&ocute;veis

Di´rio Motors

Esqueci minha senha
Informe o e-mail utilizado por você para recuperar sua senha no Diário da Região.

Já sou assinante

Para continuar lendo esta matéria,
faça seu login de acesso:

É assinante mas ainda não possui senha?
Não lembro a minha senha!

Assine o Diário da Região Digital

Para continuar lendo, faça uma assinatura do Diário da Região e tenha acesso completo ao conteúdo.

Assine agora

Pacote Digital por apenas R$ 16,90 por mês.
OUTROS PACOTES


ou ligue para os telefones: (17) 2139 2010 / 2139 2020

Cadastro Grátis
Diário da Região
Clique no botão ao lado e agilize seu cadastro importando seus dados básicos do facebook
Sexo
Defina seus dados de acesso