Diário da Região

    • -
    • máx min
01/06/2018 - 17h23min

GALERIA EM CASA

Veja dicas de decoração para usar e abusar dos quadros em ambientes

Do clássico ao moderno, vale tudo seguindo sua identidade

Na Casa da Joana/Divulgação Quadros da loja online Na Casa da Joana
Quadros da loja online Na Casa da Joana

A decoração de um ambiente deve levar em conta cada espaço possível, inclusive as paredes. Investir em quadros para a sua casa é uma forma de tirar a monotonia de um ambiente e também de expressar a identidade e a personalidade do morador. Os quadros, independente de seu estilo, dão vida a um ambiente, seja ele qual for. Da sala ao lavabo, eles podem fazer toda a diferença.

Quadros são elementos importantes na criação de um ambiente, garante o arquiteto e urbanista Kedson Barbero. Mas sua utilização depende do que o espaço proporciona. "Tudo depende do que foi idealizado para aquele espaço. Os quadros são muito bem vindos quando o ambiente tem bastante parede livre. O objetivo destes quadros é dar vida e identidade ao ambiente."

Segundo a arquiteta Anna Júlia Nassar, além de realmente importantes, os quadros enriquecem a decoração. "Dão personalidade ao ambiente e completam o conceito de qualquer projeto desde que ele converse com o ambiente e que tenha espaço para fixá-lo."

E é justamente por darem personalidade a um ambiente que é importante escolher o quadro certo para a decoração do seu ambiente. "Os quadros expressam, muitas vezes, a identidade e personalidade do morador. Muitos preferem fotos, outros arte abstrata, outros de arte primitivista, expressionista. Enfim, vai da paixão de cada um", explica Kedson.

As opções são muitas, dos quadros clássicos aos contemporâneos, abstratos. "E tem quadros que gostamos muito, que estão em alta na decoração, que são fotografias de locais interessantes ou objetos, que são imagens tanto de fotógrafos importantes ou do próprio cliente retratando memórias de viagens ou pessoas da família", afirma os arquitetos Ana Marie Bazzetti e Matheus de Oliveira.

A dica de Kedson é ver o quadro como um acessório. Da mesma forma que compramos acessórios para compor nosso visual, como cinto, sapatos e joias, os quadros surgem como uma forma de completar a aparência de um ambiente. "Tendo em vista que o quadro irá compor um ambiente com outras informações, como móveis, cortinas, tapete. Enfim, os quadros ajudam a buscar o equilíbrio estético de um determinado ambiente."

Por isso que a escolha de um quadro para o seu ambiente é tão flexível, diz Anna Júlia. "O importante é a criatividade e a inovação no momento de decorar o ambiente. Costumo dizer aos meus clientes que os quadros, na maioria das vezes, são muito pessoais."

Assim, a composição da decoração hoje em dia oferece uma liberdade muito maior quanto a estilos e misturas. "Hoje podemos misturar todas as linguagens e estilos. Adoro uma mistura de moderno e clássico. O fundamental é o quadro buscar a personalidade do cliente e escolher em qual parede ele será pendurado", completa Anna Júlia.

Além disso, a decisão do estilo deve levar em conta o ambiente em que ele estará inserido, aconselha Kedson. "Deve ser avaliado todo estilo decorativo daquele determinado ambiente e, desta forma, você saberá se usará algo mais moderno, mais tradicional ou mais ousado. Os contrastes são bem vindos para ajudar a valorizar ainda mais o ambiente."

Tamanho

Não existe uma regra específica para o tamanho dos quadros na decoração. Segundo Kedson, o que vale é a criatividade na hora de compor o ambiente. "Você pode usar um quadro grande para compor a parede, ou diversos quadros menores, inclusive com molduras e cores diferentes. Isso depende do estilo de cada um e do estilo da casa."

Mas Anna Júlia dá uma dica para aqueles que não sabem por onde começar. "Se a parede for mais larga, opte por um quadro na horizontal. Se for mais estreita, a escolha deve girar em torno de quadros verticais. Leve em consideração que um quadro pequeno numa parede grande pode se perder e um quadro grande numa parede pequena pode ficar desproporcional. Você pode ter vários estilos de quadros numa mesma casa. Basta escolher a parede para colocar os estilos próximos."

A artista plástica Norma Vilar, que cria quadros e esculturas, fez a decoração da própria casa buscando equilíbrio, calma e preencher a alma. "Por praticamente seis meses, o meu processo criativo ficou totalmente voltado para escolhas. Materiais de revestimentos, mobiliário e objetos. Desenvolvi a decoração do meu espaço sozinha, pensando na distribuição, no design do mobiliário, cores, revestimento, iluminação e áreas externas de forma que sempre que desejo trocar, quando encontro destino para os meus trabalhos e desenvolvo novas séries, posso repaginar e gerar uma nova energia."

Por isso, a dica de Norma para a escolha dos quadros que irão enfeitar seus ambientes é ter paciência. "Não tenha pressa para vestir as paredes da casa, transforme a busca pelas obras em momentos prazerosos. Visite galerias, museus e converse com pessoas interessantes."

Valorização

A quantidade de quadros em uma parede vai depender do gosto do dono do espaço. O que é importante considerar é que esses quadros devem se destacar. Caso não sejam pensados e colocados da maneira correta, eles perdem seu valor. "Todo quadro precisa ser valorizado. Estar num espaço com boa visibilidade e se relacionar com o ambiente", explica Kedson.

Segundo Ana Marie e Matheus, não existem regras para a quantidade de quadros no mesmo ambiente e nem de estilos. "Mais uma vez, usamos as palavras harmonia e simetria. Podemos misturar vários estilos e cores, desde que todos conversem entre si. Uma grande dica é colocar todos os quadros no chão, sobre um papel pardo, e desenhar como vão ficar na parede, para que não haja nenhum erro de colocação para perfurar as paredes."

Moldura

Assim como o conteúdo do quadro, a moldura deve criar um diálogo com o estilo do ambiente em que estará. "Ela pode ser em madeira lisa ou se você quiser ousar pode pintar de branco, preto, amarelo, vermelho. Se for uma obra mais clássica, a pedida é uma moldura mais grossa e rebuscada, que pode ser complementada com um detalhe em dourado ou mesmo prata para dar um ar mais sofisticado", diz Anna Júlia.

Mas também é importante que a moldura converse com o conteúdo do quadro. O que vai ser emoldurado também define o tipo de moldura a ser usado, completa a arquiteta. "Se for litogravura, xilogravura, aquarela ou fotografia, não se pode esquecer o vidro e a moldura mais reta. Se for uma tela, não se deve usar o vidro. Porém, em ambas as opções, é preciso avaliar o estilo do desenho e da pintura para ter uma boa combinação e isso vai de acordo com o bom senso de cada um."

Mas Anna Júlia também deixa claro que não precisa ter medo de ousar. "O mix de molduras está em alta." V&A

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Diário da Região. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Diário da Região poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

Di´rio Im&ocute;veis

Di´rio Motors

Esqueci minha senha
Informe o e-mail utilizado por você para recuperar sua senha no Diário da Região.

Já sou assinante

Para continuar lendo esta matéria,
faça seu login de acesso:

É assinante mas ainda não possui senha?
Não lembro a minha senha!

Assine o Diário da Região Digital

Para continuar lendo, faça uma assinatura do Diário da Região e tenha acesso completo ao conteúdo.

Assine agora

Pacote Digital por apenas R$ 16,90 por mês.
OUTROS PACOTES


ou ligue para os telefones: (17) 2139 2010 / 2139 2020

Cadastro Grátis
Diário da Região
Clique no botão ao lado e agilize seu cadastro importando seus dados básicos do facebook
Sexo
Defina seus dados de acesso