Diário da Região

15/04/2018 - 00h30min

SOLIDARIEDADE

Última chamada para a 29ª Festa do Milho

Mais de 30 pratos, entre eles o milho tropeiro, estão à espera do público

Arquivo pessoal Recuperado das drogas e do álcool, Anderson integra a equipe de voluntários na realização da Festa do Milho
Recuperado das drogas e do álcool, Anderson integra a equipe de voluntários na realização da Festa do Milho

Faz quatro anos, um mês e nove dias que Anderson Flávio Peres, 32 anos, está longe da dependência química de drogas e álcool. A ajuda necessária para o rapaz de Adolfo veio com a descoberta do trabalho realizado pelo Lar São Francisco, localizado em Jaci. Atualmente, ele colabora na Festa do Milho e ajuda na arrecadação de fundos para os trabalhos sociais financiados pela organização.

"Quando cheguei no fundo do poço, por intermédio de um amigo conheci o trabalho desenvolvido pelo Lar São Francisco na Providencia de Deus. Através do amor desenvolvido pela instituição, consegui mudar minhas atitudes e me reabilitar socialmente", disse Anderson.

Por meio do tratamento realizado, o atual empresário Anderson passou a compreender que os recursos para que ele se curasse de maneira gratuita vinham da tradicional festa do milho na cidade.

"Aquele tratamento utilizado por mim só foi possível devido ao suor derramado das outras pessoas nas festas anteriores. Assim, desde então me dedico anualmente à festa como forma de retribuição, agradecimento e, principalmente, para que quem esteja em situação parecida à minha consiga se recuperar", falou Anderson.

Ele afirma que o tratamento mudou sua vida para melhor e o rapaz faz questão de agradecer. "Todos que acreditaram na minha recuperação foram importantes e peço desculpas a quem prejudiquei com minha dependência", acrescentou.

Instituições

O Lar São Francisco de Jaci, no qual Anderson se tratou, é uma das 70 instituições a ser ajudadas com as arrecadações da 29ª Festa do Milho, organizada pela Associação e Fraternidade São Francisco de Assis na Providência de Deus.

"A verba conseguida na festa ajuda muito para que consigamos manter o trabalho das comunidades terapêuticas em funcionamento. Só em Jaci são 130 leitos de pacientes internados para recuperação e, nas dez casas espalhadas pelo Estado, são cerca de 700 leitos", disse Frei Eliseu, responsável pelas comunidades.

São oferecidos nos locais tratamentos médico, psicológico, social e voltado para a espiritualidade dos pacientes, somados a oficinas de jardinagem, marcenaria e artesanato. "Tudo para ajudar o dependente a se recuperar e voltar para sua família", completou o frei. Além de Jaci, as comunidades de recuperação estão presentes em Pirajuí, Estrela d'Oeste, Presidente Prudente e Santa Fé do Sul.

Com o valor arrecadado na 29ª Festa do Milho, hospitais, albergues, projetos educacionais e uma Missão em Porto Príncipe, no Haiti, receberão suporte financeiro para prosseguimento de suas atividades.

Segundo a organização da festa do milho, esses locais realizam mais de 5 milhões de atendimentos em saúde, 1,5 mil internações para tratamento contra o vício do álcool e das drogas, 40 mil acolhimentos em albergues e mais de 450 mil refeições são servidas.

(colaborou Victor Stok)

Voluntários fazem tudo

Após 50 mil pessoas passarem por Jaci no último final de semana, a 29ª Festa do Milho segue neste domingo, 15, em seu último dia para quem deseja aproveitar os mais de 30 pratos feitos com milho na tradicional festa da solidariedade do Noroeste paulista.

O evento é realizado na rodovia vicinal João Joaquim Telles Filho, quilômetro três, na zona rural da cidade.

A festa envolve 3 mil trabalhadores voluntários para realização do evento, desde o plantio e colheita do milho, ornamentação e preparo do local, até na produção dos pratos, além da atuação nos dias da festa.

Entre os pratos, a novidade deste ano é o milho tropeiro, em que o feijão é trocado pelo milho, além de uma base de angu ou polenta como também é conhecida, feita com milho verde e não com fubá. Bolo, curau, pastel, risoto, sorvete, escondidinho, cuscuz e até a exótica linguiça de milho também deixam os visitantes com água na boca.

As opções de lazer envolvem atividades culturais, atrações musicais, exposições e espaços diferenciados. Há passeios de charrete, trenzinho, fazendinha e brinquedos.

(colaborou Victor Stok)

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Diário da Região. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Diário da Região poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

Di´rio Im&ocute;veis

Di´rio Motors

Esqueci minha senha
Informe o e-mail utilizado por você para recuperar sua senha no Diário da Região.

Já sou assinante

Para continuar lendo esta matéria,
faça seu login de acesso:

É assinante mas ainda não possui senha? Clique Aqui!
É assinante mais quer redefinir sua senha? Clique Aqui!

Assine o Diário da Região Digital

Para continuar lendo, faça uma assinatura do Diário da Região e tenha acesso completo ao conteúdo.

Assine agora

Pacote Digital por apenas R$ 16,90 por mês.
OUTROS PACOTES


ou ligue para os telefones: (17) 2139 2010 / 2139 2020

Cadastro Grátis
Diário da Região
Clique no botão ao lado e agilize seu cadastro importando seus dados básicos do facebook
Sexo
Defina seus dados de acesso