X

Diário da Região

07/03/2018 - 23h14min / Atualizado 07/03/2018 - 23h29min

JUVENTUDE AMEAÇADA

Mais da metade dos jovens brasileiros está mais vulnerável à pobreza

É o que aponta um relatório divulgado nesta quarta-feira, 7, pelo Banco Mundial. O documento diz que 52% da população jovem brasileira, quase 25 milhões de pessoas, está "desengajada" da economia

EBC A criação de programas para redução da gravidez na adolescência está entre as medidas sugeridas para o Brasil pelo Banco Mundial
A criação de programas para redução da gravidez na adolescência está entre as medidas sugeridas para o Brasil pelo Banco Mundial

Mais da metade dos jovens brasileiros com idade entre 19 e 25 anos corre o risco de ficar fora do circuito de bons empregos no País e, com isso, está mais vulnerável à pobreza. É o que aponta um relatório divulgado nesta quarta-feira, 7, pelo Banco Mundial.

O documento diz que 52% da população jovem brasileira, quase 25 milhões de pessoas, está "desengajada" da economia. Nessa conta, estão os 11 milhões dos chamados "nem-nem", aqueles que nem trabalham, nem estudam. A eles, foram somados aqueles que estão estudando, mas com atraso em sua formação. E os que trabalham, mas estão na informalidade. "É uma população que vai ser vulnerável, vai ter mais dificuldade de achar emprego, corre maior risco de cair na pobreza", disse o diretor da instituição para o Brasil, Martin Raiser.

Além da ameaça ao futuro desses jovens, essa situação leva a outra consequência séria: ela coloca em risco o crescimento da economia brasileira. Isso porque o País vai depender do trabalho deles para continuar produzindo. Mais ainda, vai precisar que eles sejam mais produtivos do que seus pais para reverter uma tendência de queda na taxa de crescimento do Brasil.

"Precisamos de uma educação de qualidade que cumpra sua missão de dar competência aos jovens", disse a economista do Banco Mundial Rita Almeida, uma das responsáveis pela elaboração do relatório "Competências e Empregos: Uma Agenda para a Juventude"

Entre as ideias trazidas pela instituição no documento, está a criação de programas para redução da gravidez na adolescência. Os programas de transferência de renda poderiam ser direcionados para estimular a conclusão do ensino médio. Além disso, seria necessário informar melhor os jovens sobre os retornos financeiros do estudo.

Rita avalia que a reforma do Ensino Médio de 2017 atacou alguns pontos críticos, mas deixou em pé um grande problema: as políticas públicas para o mercado de trabalho hoje protegem os trabalhadores que já estão empregados e que têm mais experiência O salário mínimo é um exemplo.

"Há evidências internacionais que o salário mínimo mais alto afeta principalmente os jovens", afirmou. Com o piso elevado, empresas optam por contratar trabalhadores mais experientes. Um estudo citado pelo relatório diz que, para cada 10% de aumento do salário mínimo, o emprego para jovens recua 3,8%.

Uma ideia que consta do relatório é a criação de outro piso salarial, menor, para facilitar o primeiro emprego. Outra sugestão é rever a política de reajuste do mínimo, que desde 2003 tem crescido acima dos aumentos de produtividade da economia brasileira. Em momentos de crise, esse torna-se um fator a mais a pressionar pelo desemprego.

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Diário da Região. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Diário da Região poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

Di´rio Im&ocute;veis

Di´rio Motors

Esqueci minha senha
Informe o e-mail utilizado por você para recuperar sua senha no Diário da Região.

Já sou assinante

Para continuar lendo esta matéria,
faça seu login de acesso:

É assinante mas ainda não possui senha? Clique Aqui!
É assinante mais quer redefinir sua senha? Clique Aqui!

Assine o Diário da Região Digital

Para continuar lendo, faça uma assinatura do Diário da Região e tenha acesso completo ao conteúdo.

Assine agora

Pacote Digital por apenas R$ 16,90 por mês.
OUTROS PACOTES


ou ligue para os telefones: (17) 2139 2010 / 2139 2020

Cadastro Grátis
Diário da Região
Clique no botão ao lado e agilize seu cadastro importando seus dados básicos do facebook
Sexo
Defina seus dados de acesso