Diário da Região

03/03/2018 - 00h30min / Atualizado 02/03/2018 - 22h59min

Artigo

Devagar, mas sem parar

Divulgação Celso Ming
Celso Ming

Do crescimento do Produto Interno Bruto (PIB ou renda nacional) no quarto trimestre de 2017 pode-se dizer que não decepcionou. Foi menor do que o 0,3% esperado, não passou de 0,1% em relação ao trimestre anterior, mas completou 2017 com bom resultado, de 1,0% no ano.

Para uma economia que vinha de dois tombos anuais consecutivos de 3,5%, o avanço de 1,0% não deixa de ser promissor. Mas o País terá de crescer mais de 6,0% para chegar ao patamar do último trimestre de 2014.

Bem mais positiva foi a retomada da indústria, de 2,7% no trimestre, maior impulso desde 2013. E animadora foi a recuperação do investimento, de 3,8%, também no trimestre ante o mesmo período do ano anterior.

Todos sabem que, em 2017, a agricultura bateu recorde histórico de produção: cerca de 140 milhões de toneladas de grãos, valor mais de 30% superior à safra anterior. Por isso, pode-se estranhar que, no PIB, o aumento registrado foi de apenas 6,1%. A explicação para o resultado mais contido está em que o PIB mede também valores e não só quantidades. E aí pesou a queda das cotações no mercado internacional.

O resultado razoável do sistema produtivo em 2017 foi obtido mais com base no aproveitamento da capacidade ociosa (máquinas e instalações subutilizadas) do que no crescimento do investimento propriamente dito.

Somos um país que age como certas tribos primitivas, que não liga para a multiplicação da riqueza e da renda, e que come as galinhas. Por isso, obtém poucos ovos. Ou seja, consumimos cada vez mais, poupamos e investimos cada vez menos. Os últimos números mostram que, de toda a renda obtida em 2017, a poupança não passou de 14,8% e o investimento, contando com a participação dos estrangeiros, ficou em 15,6%. Bobagem dizer que de um país pobre como o Brasil não se pode esperar mais poupança porque sobra pouco da renda. Apenas para comparar, os emergentes asiáticos (o Japão está fora dessa) poupam cerca de 33% do PIB e a China, mais de 50% do PIB.

No assunto PIB, as primeiras indicações são de que o ano de 2018 começou melhor do que 2017 terminou. É, por exemplo, o que tem mostrado o Índice de Atividade Econômica do Banco Central (IBC-Br), que procura antecipar o PIB. Este ano tem tudo para crescer 3,0% ante 2017. E melhor não será o desempenho por três fatores limitantes.

O primeiro deles é a já conhecida situação calamitosa das contas públicas e a falta de perspectiva de virada nessa área. O aumento já verificado da arrecadação apenas atenua o problema. A falta de reformas deixa turvo o horizonte.

O segundo fator é o baixo investimento, já lembrado acima. E o terceiro são as incertezas que cercam a escolha do novo presidente da República. As apostas se concentram num candidato moderado, comprometido com as reformas, que ninguém sabe quem será. Além de cru, o processo eleitoral está eivado de variáveis fora de controle, a começar pelas decisões que ainda se esperam da Justiça Eleitoral, o que aumenta as incertezas.

 

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Diário da Região. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Diário da Região poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

Di´rio Im&ocute;veis

Di´rio Motors

Esqueci minha senha
Informe o e-mail utilizado por você para recuperar sua senha no Diário da Região.

Já sou assinante

Para continuar lendo esta matéria,
faça seu login de acesso:

É assinante mas ainda não possui senha? Clique Aqui!
É assinante mais quer redefinir sua senha? Clique Aqui!

Assine o Diário da Região Digital

Para continuar lendo, faça uma assinatura do Diário da Região e tenha acesso completo ao conteúdo.

Assine agora

Pacote Digital por apenas R$ 16,90 por mês.
OUTROS PACOTES


ou ligue para os telefones: (17) 2139 2010 / 2139 2020

Cadastro Grátis
Diário da Região
Clique no botão ao lado e agilize seu cadastro importando seus dados básicos do facebook
Sexo
Defina seus dados de acesso