X

Diário da Região

07/03/2018 - 22h46min / Atualizado 08/03/2018 - 10h15min

UM ANO

Pacientes reclamam pela demora por um raio-X

Esse é o tempo de espera para fazer o exame na rede pública de saúde de Rio Preto. Fila é de pelo menos sete mil pacientes

Guilherme Baffi 7/3/2018 Gisele espera por exame há quase 
um ano na UBSF 
do Nova Esperança
Gisele espera por exame há quase um ano na UBSF do Nova Esperança

A espera por um raio-X na saúde pública de Rio Preto pode passar de um ano, desde a fila para agendamento até a realização do exame. Demora relatada por pacientes entrevistados pelo Diário da Região, que denunciam uma fila de ao menos sete mil pessoas que aguardam pelo atendimento. A Secretaria Municipal de Saúde admite que os números da demanda reprimida podem ser ainda maiores e que devem ser atendidos por dois mutirões que estão sendo programados para este primeiro semestre.

Os exames de raio-X são realizados tanto pelos conveniados Santa Casa, Hospital de Base (HB) e Ambulatório Médico de Especialidades (AME), como também pela rede municipal, como as Unidades de Pronto Atendimento (UPA) e Unidades Básicas de Saúde (UBS). E foi pela UBSF do Parque Nova Esperança que a desempregada Gisele Martins da Fonseca, de 38 anos, afirmou que fez o pedido do exame em 2017 e até agora não foi atendida.

"Vai fazer um ano que estou esperando o raio-X do joelho. Eu caí. Quase um ano sem poder dobrar a perna e até agora não me chamaram nem para agendar", disse Gisele. Espera que a engenheira Fabiana Cristina Di Giovanni, de 33 anos, também compartilha. "Ela entrou com o pedido em abril do ano passado e até agora não conseguiu. Um descaso", desabafou a mãe Maria Aparecida dos Santos, de 60 anos, que também aguarda desde outubro um exame de colonoscopia e agora foi orientada a entrar na fila do raio-X.

As duas pacientes não são as únicas. Débora Luíza Nepomuceno, de 29 anos, também denunciou a demora. Ela fez o pedido na UBSF da Vila Toninho. "Dois meses. Nem agendado, nem nada. Fala que está esperando surgir vaga. Descaso e falta de respeito", afirmou. Segundo ela, o marido, o montador Rodrigo Matos, de 24 anos, também passou por essa situação. "Ficou um ano esperando e agora (em janeiro) saiu", complementou.

Espera que para outros pacientes pode estar perto do fim. A doméstica Marcilene Cristina Barrientos, 41 anos, está desde dezembro esperando um raio-X do joelho da filha de 15 anos. O exame está marcado para o dia 15 deste mês. "Para nós era praticamente urgente, minha filha chora de dor e mesmo assim demorou", afirmou. 

Demora que o secretário municipal de Saúde, Aldenis Borim, admitiu que é difícil de ser estimada. "Eu acredito que tenha muito mais. Imagino que pelo fato da gente ter pegado sem nenhum equipamento funcionando, no mínimo, por baixo, sete mil", disse Borim.

Bola de neve

Por conta da estrutura, todo mês 580 pedidos de raio-X deixam de ser atendidos pela rede pública, o que também explica a demanda reprimida dos exames. Segundo os dados, 5.180 solicitações são geradas mensalmente. Destas apenas 4.600 são realizadas. Para tentar resolver ao menos parte do problema, o secretário anunciou dois mutirões. Força-tarefa que deve ser feita no Complexo Pró-Saúde e no Caesm. "Pretendemos iniciar os mutirões dentro de um mês", finalizou.

'Demora foi herdada'

O secretário de Saúde, Aldenis Borim, justificou a demora da fila por exames como uma "herança" da gestão anterior. Segundo Borim, quando o atual governo assumiu, nenhum dos cinco equipamentos estavam em funcionamento.

De janeiro de 2017 até fevereiro deste ano, a pasta garante que colocou três para funcionar. Um deles está na UPA Tangará/Estoril, o segundo na UPA Jaguaré e um terceiro no Centro de Atendimento Especializado na Saúde da Mulher (Caesm). De acordo com Borim, o raio-X da UPA da Região Norte está sendo preparado para ser entregue e o equipamento do Complexo Pró-Saúde está em fase de testes. 

Desta forma o secretário disse que os atendimentos passam por uma triagem antes de ser realizados. "Hoje a gente prioriza os atendimentos de urgência".

O encaminhamento continua o mesmo. O Centro Médico Especialidades (Poupatempo da Saúde) continua não oferecendo os exames. "No Centro Médico, caso seja necessário, o especialista solicita raio-X e este é realizado em algum dos serviços que oferecem esse exame. Os exames solicitados lá já saem agendados, com exceção de alguns que necessitam autorização do médico regulador", afirma a Saúde. (FP)

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Diário da Região. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Diário da Região poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

Di´rio Im&ocute;veis

Di´rio Motors

Esqueci minha senha
Informe o e-mail utilizado por você para recuperar sua senha no Diário da Região.

Já sou assinante

Para continuar lendo esta matéria,
faça seu login de acesso:

É assinante mas ainda não possui senha? Clique Aqui!
É assinante mais quer redefinir sua senha? Clique Aqui!

Assine o Diário da Região Digital

Para continuar lendo, faça uma assinatura do Diário da Região e tenha acesso completo ao conteúdo.

Assine agora

Pacote Digital por apenas R$ 16,90 por mês.
OUTROS PACOTES


ou ligue para os telefones: (17) 2139 2010 / 2139 2020

Cadastro Grátis
Diário da Região
Clique no botão ao lado e agilize seu cadastro importando seus dados básicos do facebook
Sexo
Defina seus dados de acesso