X

Diário da Região

05/03/2018 - 22h59min / Atualizado 05/03/2018 - 23h44min

EU NO MUNDO

O rio-pretense Diego Fonseca é diplomata em Genebra, na Suíça

Diego Nunes Oger Fonseca, de 36 anos, trabalha na Missão do Brasil junto à Organização Mundial do Comércio, em Genebra. Ele destaca a segurança e a diversidade de culturas da cidade

Arquivo Pessoal Diego e a mulher, Mariana, moram há dois anos em Genebra
Diego e a mulher, Mariana, moram há dois anos em Genebra

Formado em engenharia elétrica pela USP, o rio-pretense Diego Nunes Oger Fonseca, de 36 anos, deixou a profissão de lado, fez concurso público em 2009 e hoje é diplomata do Brasil em Genebra, na Suíça. Mora há dois anos na cidade, a segunda maior do país europeu.

"Vim para trabalhar na Missão do Brasil junto à Organização Mundial do Comércio e tratar de temas relativos ao comércio, os quais eu sempre gostei," diz Diego, que atua no Ministério das Relações Exteriores. Mora com a mulher, a goiana Mariana Rodrigues Coelho, 28 anos, em um apartamento. Eles se conheceram em um seminário na China, em 2013.

A vida no país agrada ao rio-pretense, que convive com diversas culturas, tanto pelo trabalho quanto pelas características de Genebra. "É muito segura, limpa e organizada. Além disso, conta com uma grande comunidade internacional." A cidade é considerada, ao lado de Nova York, o centro mais importante da diplomacia e cooperação, graças à grande quantidade de organizações internacionais.

Genebra é considerada tão segura que os pais não têm a menor preocupação em deixarem seus filhos irem sozinhos para as escolas, mesmo quando eles ainda estão iniciando a fase escolar. "Diariamente você vê crianças de 5, 6 anos indo para a escola e andando na rua sozinhas. Desde muito pequenos eles já são independentes e responsáveis."

Além da segurança, o rio-pretense destaca como pontos positivos o sistema de transporte eficiente, a limpeza nas vias públicas e o acesso ao ensino. "É facilitado, com diversas opções de universidades e cursos," diz Diego, que além da Suíça já morou um período na Austrália. Ele visita o Brasil todo o ano, sempre nas férias, e tem planos de voltar a morar no país natal em quatro anos.

O diplomata ressalta a existência de muitos parques na cidade. Genebra também tem opções de lazer para o calor e para o frio. "Durante o verão, existem muitas atividades para se fazer ao ar livre, principalmente ao redor do lago da cidade. Genebra também está a menos de 1 hora de carro de diversas estações de esqui."

As boas opções de lazer agradaram e surpreenderam positivamente ao rio-pretense, que tinha sido alertado justamente do contrário - que não havia muitas opções culturais e de lazer. Outra surpresa positiva foi em relação à igualdade de salários. "Pequena diferença salarial entre as profissões. Um pedreiro, por exemplo, não ganha muito menos do que um gerente de empresa."

Dificuldades e diferenças

Diego aponta como dificuldades na adaptação ao país algumas "pequenas providências", que vão desde a encontrar um apartamento sem conhecer bem o local e os bairros até a aprender as leis de trânsito e tirar documentos necessários. "Além disso, o inverno também é um período mais difícil, em que a cidade fica com pouco movimento e as pessoas passam grande parte do dia dentro de suas casas."

Adaptar-se ao estilo de vida local também foi um dos desafios do casal brasileiro - mas não foi tão difícil quanto achavam que seria. Os suíços são mais reservados e não interagem tão facilmente com quem não conhecem. "Eles demoram mais tempo para ganhar confiança e construir relações de amizade. Porém, uma vez que você constrói esses laços não há muita diferença do Brasil."

Com grande território, nota-se grandes diferenças culturais entre as regiões brasileiras. E mesmo sendo um país pequeno, a Suíça também apresenta grandes diferenças. É que a nação é dividida em quatro regiões, uma francesa, uma alemã, outra italiana e outra romanche. "Quando saímos de uma dessas regiões e entramos em outra, parece que estamos entrando em um país diferente."

Entre as semelhanças com o Brasil, Diego destaca as belezas naturais. "A beleza daqui porém é diferente. As paisagens de montanhas, lagos e campos também impressionam.

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Diário da Região. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Diário da Região poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

Di´rio Im&ocute;veis

Di´rio Motors

Esqueci minha senha
Informe o e-mail utilizado por você para recuperar sua senha no Diário da Região.

Já sou assinante

Para continuar lendo esta matéria,
faça seu login de acesso:

É assinante mas ainda não possui senha? Clique Aqui!
É assinante mais quer redefinir sua senha? Clique Aqui!

Assine o Diário da Região Digital

Para continuar lendo, faça uma assinatura do Diário da Região e tenha acesso completo ao conteúdo.

Assine agora

Pacote Digital por apenas R$ 16,90 por mês.
OUTROS PACOTES


ou ligue para os telefones: (17) 2139 2010 / 2139 2020

Cadastro Grátis
Diário da Região
Clique no botão ao lado e agilize seu cadastro importando seus dados básicos do facebook
Sexo
Defina seus dados de acesso