Diário da Região

04/03/2018 - 00h30min / Atualizado 03/03/2018 - 19h20min

Cardeal Leme é um dos diferenciais

Millena Grigoleti 23/02/2018 Da esquerda para a direita: Andrew, Mauricio, Amanda e Skarlety,  que concluíram o ensino médio no Cardeal Leme
Da esquerda para a direita: Andrew, Mauricio, Amanda e Skarlety, que concluíram o ensino médio no Cardeal Leme

A escola estadual Cardeal Leme é uma das seis escolas de Rio Preto em que os alunos conseguiram atingir nível de proficiência adequado. Os alunos do 3º ano do ensino médio obtiveram 323,5 e 329,7 pontos em português e matemática, respectivamente, considerados nível avançado e básico.

A unidade tem ensino em tempo integral, o que para estudantes ouvidos pela reportagem colaborou para o bom desempenho. "Foi muita ajuda dos professores e o tempo que a gente convive na escola, das 7h às 16h, ajuda muito porque a gente aprende mais, tem mais experiência, convivência. Qualquer coisa que a gente precisa os professores estão ali para tirar dúvidas", afirma Skarlety Gomes Vieira, 18 anos, que trabalha como monitora e estuda direito. Ela e outros 19 colegas fizeram o Saresp no ano passado.

Mauricio Morettin Junior, 18 anos, está fazendo cursinho para ingressar na faculdade de matemática. Segundo ele, as aulas diversificadas ajudam. "Tem professores tutores que auxiliam, tem aula de projeto de vida que vai auxiliando no futuro das pessoas. Se você tem dificuldade em alguma matéria, sempre vai vir um professor conversar com você."

Para Wenderson Lopes de Oliveira, estudante de logística de 19 anos, ajuda fazer provas antigas do Saresp. Skarlety comenta que a maioria da sala era interessada no aprendizado, e eles montavam até grupo de estudo. "Utilizava informática para estudar para o Enem. A gente sempre estava junto fazendo projetos para todo mundo ganhar nota junto, para ninguém ficar para trás."

A aluna diz que os estudantes deveriam ter mais vontade de aprender. "É falta de interesse. Se os alunos se esforçassem mais, prestassem mais atenção e quisessem estudar, todas as escolas seriam boas." 

Amanda Isabeli Huss Lopes, 18 anos, estudante de psicologia que também prestou o Saresp em 2017, comenta que muitos professores também não demonstram vontade de ensinar a disciplina. "A gente não comenta, mas tem professor que não se importa. E também vai do próprio aluno, não é todo aluno que aprende com tal professor. Por isso tem os colegas para ajudar, para melhorar."

Mauricio diz que alguns alunos tinham mesmo mais dificuldade em matemática, que ficou no nível básico. "É uma matéria muito difícil", considera Amanda. "Dependendo do que você faz, acaba trocando o sinal, acaba confundindo", completa Wenderson.

"É uma matéria difícil de entender, é muito número, muita conta. Eu mesma tinha dificuldade, ainda tenho um pouco porque é muito difícil. Português é mais fácil, acho que dá mais vontade de prestar atenção", acredita Skarlety.

Ensino Fundamental

No ensino fundamental, a situação se inverteu e os alunos obtiveram melhor resultado em matemática, que ficou no adequado. Língua portuguesa ficou no básico. Foram 265,2 e 312 pontos, respectivamente. Cinquenta e dois estudantes fizeram a prova. A reportagem conversou com quatro alunos que fizeram a prova no ano passado e hoje estão no 1º ano do ensino médio.

"Na escola a gente tem um tempo maior para estudar, temos disciplinas diferentes e os professores são mais capacitados a nos ajudar, incentivar a essa prova. A gente tem uma professora de matemática que ajuda muito a desenvolver melhor", diz Alana Laura, de 14 anos.

"Ela sempre está à disposição", diz Brenda Branco, de 15 anos. Segundo a aluna, a docente dá aula há mais tempo que o de português, por isso havia mais ritmo no aprendizado.

Henrique Gomes, de 15 anos, lembra que houve orientações de estudo. "Eles sempre pegavam no pé, sempre dão muita matéria, então ou você estudava ou você estudava. Só que quando não teve uma continuidade do mesmo professor acabou estranhando, porque um tem um jeito de explicar, o outro tem outro", afirma. 

Hector Gomes, também de 15 anos, acredita que o ensino integral ajuda dando mais suporte e deixando o aluno mais confortável. "Porque a gente passa mais tempo com os professores, então qualquer hora pode tirar dúvida. O esforço em casa conta bastante. Uma coisa que ajudou bastante foi a orientação de estudo, o nivelamento e o projeto de vida que ajudava a gente bastante. A gente sempre refazia as provas, aí o professor corrigia, ajudava e tirava as dúvidas."

Outras escolas

Três escolas estaduais de Rio Preto atingiram o nível adequado de proficiência em português no 9º ano do ensino fundamental. São elas: Jose Felicio Miziara, Professor Oscar Salgado Bueno e Voluntários de 32. Nesta série, o Cardeal Leme foi o único com pontuação adequada em matemática.

No 3º ano do ensino médio, além do Cardeal Leme, as escolas Professora Amira Homsi Chalella, Jamil Khauan e José Felício Miziara atingiram nível adequado em língua portuguesa. Nenhuma atingiu esse objetivo em matemática. (MG)

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Diário da Região. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Diário da Região poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

Di´rio Im&ocute;veis

Di´rio Motors

Esqueci minha senha
Informe o e-mail utilizado por você para recuperar sua senha no Diário da Região.

Já sou assinante

Para continuar lendo esta matéria,
faça seu login de acesso:

É assinante mas ainda não possui senha? Clique Aqui!
É assinante mais quer redefinir sua senha? Clique Aqui!

Assine o Diário da Região Digital

Para continuar lendo, faça uma assinatura do Diário da Região e tenha acesso completo ao conteúdo.

Assine agora

Pacote Digital por apenas R$ 16,90 por mês.
OUTROS PACOTES


ou ligue para os telefones: (17) 2139 2010 / 2139 2020

Cadastro Grátis
Diário da Região
Clique no botão ao lado e agilize seu cadastro importando seus dados básicos do facebook
Sexo
Defina seus dados de acesso