A culinária judaica é repleta de costumes diferenciados. Saiba quais são elesÍcone de fechar Fechar

SIRVA-SE

A culinária judaica é repleta de costumes diferenciados. Saiba quais são eles

Muitos pratos típicos da gastronomia judaica são bem conhecidos dos brasileiros, mas a combinação deles nessa cultura é cercada de inúmeros rituais


    • São José do Rio Preto
    • máx min

A gastronomia judaica é variada e repleta de tradições, que seguem as leis dietéticas do judaísmo - denominadas kashrut - e a celebrações que marcam o calendário do povo judeu. "A comida judaica é muito simples e até muito parecida com o que os brasileiros comem no dia a dia. O que diferencia são os processos de preparo, que respeitam os costumes de sua cultura", comenta o chef Diego Costa, docente responsável por um curso sobre cozinha judaica que o Senac Rio Preto iniciará no dia 27 de março.

Uma das curiosidades é o fato dos judeus não misturarem derivados de leite com carne. E eles não são colocados separados apenas no prato, até mesmo o fogão e os utensílios de preparo são diferentes para cada tipo de comida.

"Sempre há na casa dois fogões, um para preparar apenas carnes e outro para os derivados de leite. E isso também acontece com panelas e utensílios. Uma panela em que se prepara carne nunca será usada para o preparo de algum laticínio. Mesmo quando há apenas um fogão na casa, duas bocas são reservadas para os derivados de leite e as outras para carne", explica Costa.

Os judeus também tem muito cuidado com o consumo do ovo, e isso não está relacionado ao risco de salmonella. "O ovo é sempre colocado contra a luz, para verificar se não há resquícios de sangue. E isso segue os preceitos do judaísmo", destaca.

Outros aspecto marcante na culinária judaica é a restrição de alimentos em determinados períodos do ano. Entre eles, estão a carne de porco e vários tipos de mariscos.

No curso do Senac, o chef ensinará o preparo de pratos típicos ligados às principais celebrações do calendário judeu (veja o quadro). "Os participantes poderão identificar as semelhantes existentes entre essa cultura com os costumes culinários de outros países."

 

Purim - A festa da alegria

Celebrada entre fevereiro e março, comemora a salvação do povo judeu da destruição planejada pelo perverso Haman

Pratos típicos: salada mediterrânea de grão de bico, carnatzlach (croquetes de carne) e oznei haman (pasteizinhos doces)

Pêssah 

Celebrada entre março e abril, comemora a libertação do povo judeu da escravidão no Egito

Pratos típicos: gefilte fish (bolinhos de peixe cozido com molho de cenoura) e frango com abacaxi

Chanuká - A festa das luzes

Celebrada entre novembro e dezembro, comemora a reinauguração do segundo templo sagrado de Jerusalém

Pratos típicos: latkes (bolinhos de batata fritos), falafel com homus e tahine, homu e babaganuch