ArrebatamentoÍcone de fechar Fechar

Espiritualidade

Arrebatamento

Fazer o bem e seguir o exemplo de Cristo e a lei do amor, um ponto comum das religiões


    • São José do Rio Preto
    • máx min

A novela "Apocalipse", da Rede Record, recentemente mostrou cenas sobre o arrebatamento e fez com que batesse recorde de audiência, se tornando um dos assuntos mais comentados no Twitter. A trama bíblica mostrou que parte dos seus personagens desapareceram, deixando quem ficou na Terra desesperado e um cenário de caos. Esse arrebatamento aconteceu num período pré-tribulação, ou seja, o que seriam os verdadeiros cristãos levados antes do período de sofrimento. A visão é defendida por boa parte dos evangélicos sobre o final dos tempos.

A ideia defendida é que, no fim dos tempos, os cristãos fervorosos serão arrebatados (daí o nome) de corpo e alma para o céu, enquanto uma série de catástrofes naturais e afetarão a Terra. Ao fim desse período - defendem - Jesus voltará. Em essência, a crença no arrebatamento é uma colagem de trechos do Novo e do Antigo Testamentos, cada um deles com perspectivas diferentes sobre o futuro da humanidade e o retorno de Jesus à Terra.

Segundo Altair Pereira da Silva, bacharel em teologia e pastor da Igreja Presbiteriana Renovada, todo cristão que tiver uma caminhada em Cristo será salvo em sua jornada aqui, na Terra. "A Palavra de Deus alerta que no grande dia do Senhor (ou seja, o arrebatamento) os ímpios 'ficarão de fora' (Apocalipses 22:15), mas os que permaneceram no Senhor serão transformados e subirão para se encontrar com Deus. A promessa do arrebatamento ao céu é para quem vencer. O caminho que conduz ao céu é estreito e, infelizmente, muitos não perseveram, pois acabam se desviando, sendo vencidos pelas tentações em realizarem o que não agrada a Deus", diz.

Na visão espírita kardecista, esse processo vai se desenvolver dentro da razoabilidade, sem violência porque a misericórdia divina não proporciona, não determina nenhuma violência. "Essa visão de arrebatamento, na nossa visão, é ilógica e contra o amor de Deus", afirma Marcos Lelis Moreira, promotor de Justiça e dirigente espírita. "A Terra passa por um processo de evolução espiritual, e deixará de ser um planeta de 'provas e espiações', onde infelizmente o mal se manifesta com bastante frequência, passará a ser um planeta de 'regeneração". Acreditamos que, quando a Terra mudar o seu estágio evolutivo para melhor, naturalmente só ficarão aqui os espíritos dotados de amor, bondade e doçura", afirma. Lelis ainda lembra as palavras de Jesus em O Sermão da Montanha: "Bem-aventurados os pacíficos porque eles herdarão a Terra."

Já a igreja católica acredita que o julgamento já está acontecendo. "A cada vez que uma pessoa morre, ela é julgada diante de Deus. Nós também acreditamos na volta de Jesus e na separação dos bons e dos maus, mas a forma que isso vai acontecer, também não sabemos. É uma questão de fé, de mistério", afirma padre Fábio Aparecido da Silva Dungue, da paróquia Jesus Bom Pastor e São Sebastião, especialista em direito canônico.

Padre Fábio alerta que é preciso muito cuidado com o fanatismo religioso. "Sempre costumo dizer que a Bíblia é como um álbum de fotografia, que você não sabe quem tirou as fotos, as pessoas que faziam parte daquele contexto. O mesmo com um texto bíblico. Você não sabe o motivo de estar escrito, quem está por trás, a questão cultural e histórica da época. É preciso entender tudo isso para entender o significado." A dica do padre para quem teme o arrebatamento é "fazer o bem e seguir o exemplo de Cristo e a lei do amor. Se vivemos com Cristo, fazemos parte do grupo dos bons. O que precisamos é trazer para nossa realidade essa questão do Cristo. Se ficarmos pensando que o dia que Jesus voltar ele vai separar os bons dos maus, vamos viver nessa ilusão. Temos de viver isso agora e acreditar que ele já está no meio de nós."