X
X

Diário da Região

27/02/2018 - 00h30min / Atualizado 27/02/2018 - 00h31min

Cartas do Leitor

Poder e cobiça

Quando o cidadão brasileiro pensa que, diante dessa enxurrada de cinismo revelada pela Justiça, os políticos começarão a pautar sua vida pública pela correção, fazendo com que o Brasil deixe de ser uma República de opereta, surge sabe-se de lá de que bueiro uma novidade. É um descalabro a proposta de emenda à Lei Orgânica do Município, de autoria do vereador Jean Dornelas, um eloquente e insano exemplo que cria emendas impositivas e destina R$ 1 milhão por ano no orçamento de cada parlamentar. Cada vereador terá ao longo de seu mandato R$ 4 milhões para decidir gastar como bem lhe aprouver, de acordo com seus interesses eleitoreiros. Não é pouco: é R$ 1 milhão por ano para cada vereador.

Dialogando com o corporativismo, Dornelas está sendo seguido por outros colegas que aderem à ideia, impressionados com o montante que terão à sua disposição, desfilando no pódio de sua mediocridade existencial, derretendo a dignidade ao limite do possível. Essa técnica delitiva, comportamento impróprio que espoca da cabeça de vereadores, ultrapassa os limites da decência, pois, entre nós, é mais feio que o passado recente da Emurb.

Explicações meio toscas pavimentam um caminho escorchante, provocando indignação e reações inflamadas no cidadão que é quem paga essa farra do boi. Um cipoal de obsessões e obscenidades como esse, com verbas federais, motivou a aguda escassez de recursos que o país sofre a níveis alarmantes de saneamento básico, saúde, educação, segurança, paz social, moradia e mobilidade.

Todos os seres humanos nascem livres e iguais em dignidade e direitos, diz o artigo 1 da Constituição. Que nasçam, vá lá, mas se nascerem políticos nos dão o direito de pensar que poucos minutos depois já se faz o reparte. Não importam os rótulos ideológicos, o que importa é o "meo bolsus".

Temos que nos unir para não permitir essa chikungunya nos cofres públicos, que deverá chacoalhar os já frágeis alicerces políticos. Nessas horas a vontade é de jogar a toalha e pedir ao garçom: "Dois cafés e a conta, por favor".

Waldner Lui, Rio Preto.

R$ 1 milhão

Deu no Diário de domingo que nossos vereadores querem R$ 1 milhão cada para torrar à vontade junto aos seus currais eleitorais. Diz a sabedoria popular que de boas intenções até o inferno está cheio. Seriam tais intenções também de nossos lídimos e valorosos representantes junto à Prefeitura?

O autor da proposta até que foi bem dias atrás com a CEI dos combustíveis mas, já "pulô u córguinhu" com esta indecência. Que não passará. A população não quer essa farra com seu dinheiro.

Já que é para mexer na LOM, vai uma sugestão. Alterar cláusulas, parágrafos, itens, etc, que dão poder ao Executivo para nomear centenas de apadrinhados. Desde as secretarias. Todas somente com funcionários concursados e de carreira. Ao prefeito, somente o poder de escolher em cada secretaria o funcionário que executará a função de secretário durante seu mandato. Não concursados, somente prefeito, vice e vereadores.

Imaginemos a economia e a extinção de notícias de desvios e improbidades por parte de nomeados nem sempre honestos. Difícil, não é mesmo, senhores vereadores? Matar uma boquinha desta que acomoda seus partidários e pelegos? Se nossos escorreitos edis acatassem a sugestão, o eleitor aprovaria com louvores.

Wéliton de Oliveira, Rio Preto.

Vergonha

Primeira página do Diário da Região domingo 25/2, "Vergonha Rio Preto, o Retorno", expressa bem a que ponto chegou a Câmara Municipal, de uma mediocridade sem fim, assim como o vereador Jean Dornelas propondo uma lei obrigando a prefeitura liberar R$ 1 milhão anualmente para cada parlamentar usar como quiser.

Os valores estão se invertendo. Legislativo tem obrigação de fazer leis para o bem da cidade e fiscalizar o Executivo. No entanto, a população rio-pretense tem o dever de dar um basta na farra de certos vereadores, tem que repudiar com veemência para que essa verba não caia nas mãos de vereadores que sequer sabem o que é legislar.

Maria de Lourdes Perini Gonçalves, Rio Preto.

Combustível

A gasolina formulada, mais barata para o posto, é vendida em Rio Preto há muito tempo sem que o consumidor tenha conhecimento disto e paga pela gasolina C. É enganado há muito tempo. Não quero saber se a gasolina traz consequências danosas ao motor, se ele passa a consumir mais. Isso não interessa. Quanto a isso o sistema de injeção se adapta ao combustível e o mau desempenho é corrigido com o tempo, uma vez que faz sucessivos abastecimentos com a gasolina formulada. Afinal, o consumidor não tem escolha.

E mais: não tem como conferir se a gasolina é C ou formulada. Não existe nenhum mecanismo que faça essa distinção, essa identificação. Não se consegue distinguir uma da outra. Por isso, o que interessa é que o consumidor está sendo roubado toda vez que coloca gasolina, pois paga pela C e recebe formulada, sem saber. E isso é crime. Crime!

Wanderson Clayson Coldri Sá, Rio Preto.

Desrespeito

Talvez o fato que trago aqui para reflexão não seja de percepção geral. Não sei se alguém já o tenha constatado em alguns pontos da cidade, mas confesso que tem me causado indignação, por se tratar de um caso pleno de desrespeito aos pedestres.

E, não me refiro aos motoristas, condutores de veículos, mas sim àqueles frequentadores de bares e botecos, que fazem das calçadas espaços privativos para o seu lazer, suas bebedeiras, com mesas e cadeiras esparramadas pelo passeio público, impedindo a passagem dos pedestres, e obrigando-os a desviarem pelas ruas sob o risco de sofrerem algum acidente de trânsito.

Obviamente que tal desrespeito se deve também aos proprietários desses estabelecimentos comerciais, por não observarem as regras de convivência, omitindo-se da irregularidade daquela situação criada pelos seus fregueses. "E assim caminha a humanidade..."

José Vicente Berenguel, Rio Preto.

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Diário da Região. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Diário da Região poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

Di´rio Im&ocute;veis

Di´rio Motors

Esqueci minha senha
Informe o e-mail utilizado por você para recuperar sua senha no Diário da Região.

Já sou assinante

Para continuar lendo esta matéria,
faça seu login de acesso:

É assinante mas ainda não possui senha? Clique Aqui!
É assinante mais quer redefinir sua senha? Clique Aqui!

Assine o Diário da Região Digital

Para continuar lendo, faça uma assinatura do Diário da Região e tenha acesso completo ao conteúdo.

Assine agora

Pacote Digital por apenas R$ 16,90 por mês.
OUTROS PACOTES


ou ligue para os telefones: (17) 2139 2010 / 2139 2020

Cadastro Grátis
Diário da Região
Clique no botão ao lado e agilize seu cadastro importando seus dados básicos do facebook
Sexo
Defina seus dados de acesso