Feira em 63 mostrou a força do comércio e da indústriaÍcone de fechar Fechar

Rio Preto em Foco

Feira em 63 mostrou a força do comércio e da indústria

Evento serviu para chamar a atenção dos comerciantes da região de outros Estados para os produtos e lojas de Rio Preto


    • São José do Rio Preto
    • máx min

Em 7/9/1963, acontecia na rua Pedro Amaral, próximo ao Automóvel Clube, um dos maiores eventos comerciais e industriais de toda nossa história: a 1ª Feira Agro-Comercial e Industrial de Rio Preto, organizado pela empresa Campal Organizações e Vendas Ltda, sob a direção de Odilon Ismael. A cidade começava a demonstrar evolução na área industrial e a feira foi um importante instrumento para mostrar nossas indústrias e lojas para toda região e até para comerciantes de outros estados.

A grande novidade para a abertura foi a apresentação de TV para circuito fechado, pelas Lojas IT, transmitindo através dos televisores ITSOM, fabricados pela empresa. A inauguração teve discurso do prefeito Philadelpho Gouveia Neto, do presidente da Associação Comercial e Industrial de Rio Preto, Waldemar Verdi, dos representantes da Câmara João Mangini e Antônio Mazzoni.

Odilon Ismael também usou a palavra em seu nome e de seu sócio Francisco Guimarães. Inúmeras autoridades e munícipes presentes, entre eles os futuros vice-prefeitos Lineu de Alcântara Gil e Aluízio Cherubini e o proprietário da "Circular Santa Luzia", Joaquim Estrela Maia.

Várias empresas de destaque na cidade estavam presentes no evento, entre elas a "Cirasa", de Waldemar Verdi, a "Agência Ford Germano Sestini", o "Frigorífico Bandeirantes", de Nicolau e Celso Lopes Ross, as "Indústrias Matarazzo", a agência DKV "Fauaz & Biazi" e a "Riprauto S/A", concessionária dos produtos Willys. Também presentes a "Casa Stanis", de Miguel Stanis, representante dos pneus Pirelli e revenda de vespas, lambretas e bicicletas, e "A Edificadora", dos Irmãos Tedeschi, uma das maiores construtoras da região na época.

O Diário da Região deu matéria de capa de sua edição. O Jornal A Notícia, do dia 10 de setembro, diz que mais de 10.000 pessoas já tinham visitado a feira. Mas o mais esperado era a chegada a Cápsula Espacial que levou ao Cosmos o astronauta norte-americano Gordon Cooper. No dia 14, deu-se o início, dentro da feira, do primeiro Simpósio do Algodão, com patrocínio das "Indústrias Matarazzo". Mas como tudo nessa época terminava em festa, não podia faltar a boemia e a música no evento.

O cantor e humorista Ivon Cury foi a grande atração do evento, que também contou com a participação do espetacular conjunto do saxofonista Renato Perez e a sua musa Heleninha Leporace. Mais uma vez a Cometa Filmes, de Sylvio Calabrezzi, estava lá.

Só uma coisa ficou no ar: a tal de cápsula veio? Os jornais não comentaram mais o fato até o final da feira e nem a Cometa Filmes mostra na imagens. Será que veio mesmo? A única certeza foi que a feira e o simpósio foram um dos maiores sucessos empresariais de toda nossa história. Um marco.

Na esquina da rua Bernardino de Campos com a rua Prudente de Moraes, no centro da cidade, funcionava a Agência Ford de Germano Sestini. Ao lado o imponente prédio que abriga a lendária Casa Rignani. Posteriormente a Agência foi transferida para a esquina da rua Voluntários de São Paulo com a rua Prudente de Moraes, também no centro. Demolido nos anos de 1950, no lugar funciona um edifício comercial de dois andares.