Diário da Região

09/02/2018 - 15h19min / Atualizado 09/02/2018 - 15h19min

FEBRE AMARELA

Animais de estimação podem ter febre amarela?

Veterinária fala das doenças que podem atingir os animais, especialmente no verão

Stock Images/Divulgação A dirofilariose transmitida pela picada do Aedes Aegypti pode levar o cachorro à morte
A dirofilariose transmitida pela picada do Aedes Aegypti pode levar o cachorro à morte

O que mais temos ouvidos nos últimos tempos é sobre a febre amarela. Segundo o Instituto Fiocruz, a doença é causada por um vírus transmitido pela picada dos mosquitos infectados e não há transmissão direta de pessoa a pessoa. Vale lembrar também que os macacos também não transmitem a febre amarela, pelo contrário, são tão vítimas quanto os humanos. A vacina é a principal forma de prevenção e controle da doença.

Mas e os nossos animais de estimação, será que eles podem ser infectados com a febre amarela? A médica veterinária da Esalpet de Curitiba, Jueli Berger, esclarece que embora muito agressiva para os humanos, a febre amarela não atinge cães e gatos. “Os proprietários podem ficar tranquilos, pois cães e os gatos não são hospedeiros da doença e não ficam doentes pelo vírus .“

A especialista ainda explica que a doença é comum nas Américas Central e do Sul e tem dois ciclos: o urbano e o silvestre, mas nenhum deles representa uma ameaça aos pets. "Cães e gatos não sofrem e nem transmitem a febre amarela. No ciclo silvestre os únicos hospedeiros e sinalizadores de focos da doença são os macacos, e os vetores são os mosquitos dos gêneros Haemagogus e Sabethes. Nas cidades, os hospedeiros do vírus são os humanos e a transmissão ocorre pela picada dos mosquitos do gênero Aedes Aegypti infectados, os mesmos que transmitem a Dengue, Zika e Chikungunya”, ressalta.

Jueli lembra que é importante ficar atento a outras doenças que realmente podem afetar os pets, especialmente no verão. Entre os problemas a veterinária cita problemas que podem levar os animais à morte como, a dirofilariose transmitida pela picada do Aedes Aegypti, a leishmaniose transmitida pela picada do mosquito palha e a Erlichiose, Babesiose e Anaplasmose, transmitidas por carrapatos. Entre outras doenças virais como Cinomose, Parvovirose, Leptospirose que também merecem atenção nesta época. “Sempre que notar seu pet fora da rotina habitual ou apresentando sintomas como vômito, diarreia, falta de apetite ou falta de disposição procure um veterinário. Além disso, é interessante fazer consultas preventivas anualmente e manter a vacinação do animal em dia” finaliza.

 

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Diário da Região. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Diário da Região poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

Di´rio Im&ocute;veis

Di´rio Motors

Esqueci minha senha
Informe o e-mail utilizado por você para recuperar sua senha no Diário da Região.

Já sou assinante

Para continuar lendo esta matéria,
faça seu login de acesso:

É assinante mas ainda não possui senha? Clique Aqui!
É assinante mais quer redefinir sua senha? Clique Aqui!

Assine o Diário da Região Digital

Para continuar lendo, faça uma assinatura do Diário da Região e tenha acesso completo ao conteúdo.

Assine agora

Pacote Digital por apenas R$ 16,90 por mês.
OUTROS PACOTES


ou ligue para os telefones: (17) 2139 2010 / 2139 2020

Cadastro Grátis
Diário da Região
Clique no botão ao lado e agilize seu cadastro importando seus dados básicos do facebook
Sexo
Defina seus dados de acesso