Como usar o ar-condicionado racionalmenteÍcone de fechar Fechar
    • São José do Rio Preto
    • máx min

Cálculos da CPFL apontam que, durante o verão, os sistemas de refrigeração, como equipamentos de ar-condicionado e ventiladores, chegam a representar até 18% do consumo de energia de um cliente residencial, superando o consumo de chuveiros, televisões e lâmpadas. O preço do aparelho, na maioria das vezes, é o fator preponderante para a escolha dos consumidores na hora ad compra. Mas, além do custo-benefício, é preciso levar em conta o quanto o consumo energético do aparelho vai pesar na conta de luz. Por isso, na hora de adquirir um ar-condicionado, é importante escolher o aparelho mais adequado e, depois, adotar o uso racional.

Potência do aparelho - De modo geral, os fabricantes do equipamento aconselham multiplicar 600 BTU (unidade de medida) por metro quadrado do ambiente a ser refrigerado, adicionando outros 600 BTU por pessoa que usará o local, contando a partir da segunda

Presença no ambiente - Tudo que traz calor para o local vai exigir mais do aparelho. Como exemplo, o tipo e a quantidade de lâmpadas instaladas. Lâmpadas de LED são mais indicadas, pois não esquentam o ambiente. Insolação é outro fator de influência. É aconselhável instalar o ar-condicionado em locais naturalmente mais frescos da casa.

Regulação da temperatura - Evite o usar o aparelho na temperatura mínima. Temperaturas entre 21º e 22º já proporcionam uma sensação de conforto, sem elevado consumo Aparelhos 'inverter' - Apesar de custarem mais, os aparelhos do tipo inverter podem trazer uma economia de até 40% em relação a um aparelho convencional

Ambiente fechado - Quando o ar condicionado estiver ligado, as janelas e portas do cômodo devem estar totalmente fechadas para evitar a troca rápida de calor com o ambiente externo

Uso durante a madrugada - A maioria dos aparelhos vendidos hoje no mercado tem uma função para programar o desligamento automático (timer). Usar este recurso evita gastos desnecessários