X

Diário da Região

18/02/2018 - 00h30min / Atualizado 17/02/2018 - 16h30min

BRINCAR DE VIVER

Dupla monta peça com muita poesia no teatro de sombras

Juliana Carolina e Fabiana Pezzotti participam de projeto de contação de histórias por meio do teatro de sombras; atrizes receberam uma mala adaptada e criaram espetáculo cheio de poesia e técnica

Mara Sousa 16/2/2018 Fabiana Pezzoti e Juliana Carolina irão levar mais cultura e lazer aos pequenos da escola Roberto Jorge por meio do teatro de sombras
Fabiana Pezzoti e Juliana Carolina irão levar mais cultura e lazer aos pequenos da escola Roberto Jorge por meio do teatro de sombras

O teatro de sombras promete encantar e divertir cerca de 130 crianças nesta segunda-feira, 19, na escola Roberto Jorge, em Rio Preto. A instituição foi incluída na circulação do projeto nacional Brincar de Viver, apoiado pelo Banco Daycoval, por intermédio da Lei Rouanet desde 2015, que leva contação de histórias por meio da técnica do teatro de animação antiga para crianças e jovens.

Em Rio Preto, o projeto é apresentado pelas atrizes Juliana Carolina e Fabiana Pezzoti. Elas receberam uma mala adaptada para teatro de sombras, um manual explicativo e foram desafiadas a criar um espetáculo sobre o robô Knulp, na qual uma fonte de luz, objetos e suporte fossem capazes de criar imagens lúdicas e encantadoras.

Na história montada pela dupla, denominada Knulp na terra das framboesas, a plateia acompanha as aventura do robozinho, que vive na era medieval, e tem um melhor amigo, um bichinho de estimação que é o dinossauro Ditonho. A história começa quando um palhaço entra em cena segurando a mala. Ele interage com as crianças na plateia e pede o nome de uma garota. Na sequência, ele abre a mala e inicia a história.

Nas suas aventuras, Knulp e Ditonho encontram um rei, que é uma criança e está se afogando em um rio. Ditonho salva o rei. Para agradecer a gentileza, o dono do trono real sugere comprar o dinossauro. Ao ouvir que o animal não está a venda, o rei sequestra bichinho. Neste momento, surge uma garotinha, com o nome da menina da plateia, para solucionar o crime. Juliana Carolina afirma que a história conta ainda com um príncipe, uma princesa e um castelo encantado com um jardim de framboesa.

Interação

Em Rio Preto, o espetáculo será encenado em duas sessões fechadas para a escola. A primeira terá início às 14h e a segunda será realizada na sequência. As 130 crianças serão divididas em duas turmas. "O mais bacana do projeto é que as crianças se sentem inseridas na história, interagem e ajudam a contar a história", afirma Juliana.

Além de Rio Preto, o projeto será realizado em cerca de 20 cidades nas quais o banco Daycoval possui agências comerciais para atendimento a pessoas jurídicas. Os espetáculos já foram produzidos em São Paulo, Curitiba, Londrina e Maringá. Em cada cidade, uma dupla local fica responsável pela produção do espetáculo.

Fabiana Pezzoti conta que a experiência de produzir um espetáculo de teatro de sombras foi emocionante e surpreendente. "Quando recebemos, via correio, a mala de madeira, decorada por adesivos de cartões postais, nós já entendemos a proposta. O processo de criação durou cerca de duas semanas."

Segundo Fabiana, quando a mala adaptada é aberta, abre-se uma portinha, a tela branca é refletida e a magia acontece. "Nossa intenção foi criar uma aventura que divirta para valer as crianças. Tivemos liberdade para criar a história e a narração. Espero que a plateia goste do resultado final", afirma Fabiana, que tem cerca de 13 anos de carreira. Já Juliana tem 11 anos de estrada como atriz.

Juliana conta que após a circulação do projeto acabar, a iniciativa resultará em uma exposição em São Paulo. As malas e personagens produzidas em todas as cidades ficarão expostas em um local na capital, que ainda será divulgado. "O projeto é apaixonante e rico culturalmente."

Projeto

Em Rio Preto, quem monitora os projetos do Daycoval são os funcionários Pedro Luiz Cassilhas e Renata Cristina Ferreira, que são os padrinhos da ação. Além da promoção do teatro de sombras apresentados em escola, o Brincar de Viver tem um segundo foco de atuação. Ele leva contadoras de histórias e professoras de música para dois hospitais em São Paulo.

O objetivo é proporcionar momentos de descontração e alegria para adultos e crianças que encontram-se internados. Hoje, os hospitais que recebem o Brincar de Viver são o M'Boi Mirim e o Santa Catarina, ambos na zona sul da capital. O Daycoval apoia também o projeto Musicantes, cujo objetivo é a promoção de aulas gratuitas de musicalização para crianças e adolescentes (6 a 12 anos) em várias cidades brasileiras.

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Diário da Região. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Diário da Região poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

Di´rio Im&ocute;veis

Di´rio Motors

Esqueci minha senha
Informe o e-mail utilizado por você para recuperar sua senha no Diário da Região.

Já sou assinante

Para continuar lendo esta matéria,
faça seu login de acesso:

É assinante mas ainda não possui senha? Clique Aqui!
É assinante mais quer redefinir sua senha? Clique Aqui!

Assine o Diário da Região Digital

Para continuar lendo, faça uma assinatura do Diário da Região e tenha acesso completo ao conteúdo.

Assine agora

Pacote Digital por apenas R$ 16,90 por mês.
OUTROS PACOTES


ou ligue para os telefones: (17) 2139 2010 / 2139 2020

Cadastro Grátis
Diário da Região
Clique no botão ao lado e agilize seu cadastro importando seus dados básicos do facebook
Sexo
Defina seus dados de acesso