Diário da Região

27/02/2018 - 18h56min / Atualizado 27/02/2018 - 18h56min

COM FÔLEGO RENOVADO

Orquestra Sinfônica inicia temporada de apresentações para espantar a crise

Com boas perspectivas para 2018, Orquestra Sinfônica inicia temporada de apresentações no Riopreto Shopping Center e mira em novas parcerias para espantar de vez o fantasma da crise

Ricardo Boni/Divulgação O maestro da Orquestra Sinfônica de Rio Preto, Gilmar de Assis
O maestro da Orquestra Sinfônica de Rio Preto, Gilmar de Assis

Setenta e seis anos depois de seu primeiro concerto, realizado exatamente no dia 12 de janeiro de 1942, no Cine Teatro Rio Preto, a Orquestra Sinfônica da cidade vive um momento de entusiasmo que se assemelha muito à época em que iniciou sua trajetória no cenário cultural rio-pretense.

Sem receber recursos do poder público desde 2010, a Sinfônica enfrentou uma dura crise financeira nos últimos anos, o que gerou uma série de obstáculos para a captação de patrocínios.

Mas 2018 promete ser um ano diferente. O diálogo com o poder público, retomado no ano passado, com o início da nova administração do prefeito Edinho Araújo, aos poucos vem rendendo frutos, assim como o envolvimento do setor privado, que começa a sinalizar positivamente na manutenção de parcerias que permitirão um contato maior da orquestra com a comunidade rio-pretense.

A primeira parceria com a iniciativa privada celebrada pela Sinfônica envolve o Riopreto Shopping Center, que, até o final do ano, será palco de uma série de concertos mensais, que têm como foco a formação de público para a música instrumental, seja ela erudita ou popular.

Batizada de Temporada Sinfônica Riopreto Shopping, a série de concertos será lançada na noite desta quarta-feira, 28, quando a Sinfônica faz sua primeira apresentação, na Praça 3 de Eventos do centro de compras, e também entra em cartaz uma exposição que conta um pouco da história desse conjunto musical que faz parte do patrimônio cultural rio-pretense.

Segundo o atual regente da Sinfônica rio-pretense, o maestro Gilmar de Assis, a exposição reúne fotos, programas de concertos históricos e instrumentos musicais que já foram usados pela orquestra. "O gigante acordou. Os últimos anos foram bastante desfavoráveis para a Sinfônica, mas, agora, temos muita coisa boa para compartilhar com a comunidade", diz ele.

Além dos concertos mensais do Riopreto Shopping, a Sinfônica também será responsável pela abertura da programação do aniversário de Rio Preto, em março, e se apresentará, em julho, nas comemorações dos 10 anos da Academia Rio-pretense de Letras e Cultura (Arlec), com a participação especial do maestro italiano Claudio Colmanet.

Concertos didáticos

A formação de público é o principal objetivo do projeto realizado pela Orquestra Sinfônica em parceria com o Riopreto Shopping. Para a diretora comercial do centro de compras, Ana Cristina Jalles Guimarães, a parceria vem ao encontro da filosofia do shopping de sempre oferecer atrações culturais para os visitantes.

Segundo o maestro, cada concerto abordará um compositor referencial do universo erudito e um estilo popular. O programa da primeira apresentação envolve composições do germânico George Frederick Handel (1685-1726), um grande compositor do período barroco, além canções baseadas no choro, mais conhecido como chorinho, um gênero de música popular e instrumental brasileira que surgiu no Rio de Janeiro em meados do século XIX. 

A orquestra conta com 30 instrumentistas, divididos em instrumentos de corda (violinos, violoncelos, violas, viola clássica e contrabaixo), de madeira (flauta, clarinete e fagote), de metal (trompete e trombone) e de percussão (tímpano, caixa, triângulo e pandeiro).

A Orquestra Sinfônica nasceu em Rio Preto pelo esforço de nomes como Deocleciano de Sousa Viana (Vianinha), Luiz Biela de Souza Valle e Artur Ranzini. Logo após sua primeira apresentação, em 1942, Ranzini seria empossado como maestro titular e Biela, como spalla. Alguns anos mais tarde, Vianinha veio a compor o Hino a Rio Preto.

A Sinfônica de Rio Preto foi criada a partir da ação efetiva e desafiadora desses músicos e de outros artistas que se destacavam na época, como Lourival de Oliveira Gomes, José Rastelli, Nely Honsi, Sergio Miola e Nailda Bocuccias. 

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Diário da Região. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Diário da Região poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

Di´rio Im&ocute;veis

Di´rio Motors

Esqueci minha senha
Informe o e-mail utilizado por você para recuperar sua senha no Diário da Região.

Já sou assinante

Para continuar lendo esta matéria,
faça seu login de acesso:

É assinante mas ainda não possui senha? Clique Aqui!
É assinante mais quer redefinir sua senha? Clique Aqui!

Assine o Diário da Região Digital

Para continuar lendo, faça uma assinatura do Diário da Região e tenha acesso completo ao conteúdo.

Assine agora

Pacote Digital por apenas R$ 16,90 por mês.
OUTROS PACOTES


ou ligue para os telefones: (17) 2139 2010 / 2139 2020

Cadastro Grátis
Diário da Região
Clique no botão ao lado e agilize seu cadastro importando seus dados básicos do facebook
Sexo
Defina seus dados de acesso