Diário da Região

13/01/2018 - 15h49min / Atualizado 15/01/2018 - 13h35min

PERDA

Carta para Bia

A menina de dois anos e quatro meses faleceu na manhã deste sábado, 13, por causa de uma leucemia

Álbum de Família Beatriz Migliari de Lima Nascimento, de dois anos e quatro meses, que faleceu neste sábado, 13 de janeiro
Beatriz Migliari de Lima Nascimento, de dois anos e quatro meses, que faleceu neste sábado, 13 de janeiro

Oi, Bia. Tudo bem?

Se estiver sintonizada com todo mundo que anda pensando em você agora, deve estar imaginando a razão desse monte de adulto que você não conhece estar falando sobre e com você. Acompanhei parte da sua trajetória, e torci muito para que ficasse bem. A gente não entende muito quando alguém parte e não admite que, talvez, seja assim que você encontrou sua paz. Onde você está, como disseram tantas vezes, não existe agulha, dor, remédio. Só existe amor e, eu creio, um monte de criança para brincar.

Lamento pelos seus pais, o Thiago e a Giuliana. O amor mais puro e sincero, as pessoas que doaram-se por completo para você. Sabe, anjinho, quando algo como sua partida e seu sofrimento acontece, me faz questionar a justiça deste mundo. Porque, com tanta gente causando tanta dor às outras pessoas, por que o universo escolhe uma criança, que até aqui só conhece o amor, para passar por tantas provações? Por que em uma família que vive de ajudar os outros? Acompanhei alguns casos muito tristes ao longo desses poucos anos como jornalista - falar com a família continua sendo o maior desafio -, mas ainda não sei responder a isso. Ninguém sabe.

Não faz sentido, não é justo. Não é certo com um ser tão pequeno, que não sabe nem a razão de não poder sair para brincar livremente e o porquê daquele monte de tubos estar saindo do corpo. Ainda assim, acontece. A melhor resposta talvez seja que vocês vêm para ensinar alguma coisa. Ensinar para esse monte de adulto bobo que anda se engalfinhando por nada que o sorriso, a força de vontade e o amor são a melhor resposta para tudo. Que não precisa muito para ser feliz. Quem sabe um dia a gente aprende, né? 

Bia, eu não cheguei a te conhecer pessoalmente. Que pena por isso. Só sei que te acho uma criança linda, com cara de bonequinha e brilho no olhar que só a inocência permite. Como me contaram, você era sapeca, brava, sorridente, brincalhona, o xodó dos seus irmãos Thainá e Gabriel - que às vezes até levavam a culpa pelas suas artes -, não dispensava um passeio pelo quarteirão de casa com seus avós e não ficava sem sua naninha, a Fofinha, na hora de dormir. Ela te serviu de consolo até quando não podia ter nenhum dos seus amados junto contigo, pelo seu próprio bem, pela sua cura. Foi ela que você abraçou quando não tinha os braços dos pais para acalentar. Tinha um futuro feliz e cheio de amor pela frente, da sua família, dos seus pais, dos seus irmãos. Por alguma injustiça da vida, esse futuro não vai ser presencialmente ao lado deles.

Meu desejo, como alguém que humildemente se permite ter algum com relação a você, é que seja feliz onde estiver. Que saiba que, se sua missão foi ensinar e trazer amor, ela foi cumprida. Eu não disse que tem muitas pessoas pensando em você? Isso porque você trouxe amor e fez com que esquecêssemos por alguns momentos dos nossos problemas - deixando um pouco de lado esse egoísmo inútil. Tanta, mas tanta gente torceu por você que acho impossível até de contar. Além disso, alguns dos milhares de seres iluminados que foram até o Hemocentro para te ajudar com certeza acabaram encontrando outras pessoas que precisam de medula e poderão ter uma nova chance a partir de sua história.

A seus pais e o resto de sua família, desejo que, no meio de todas as lágrimas que sujam o olhar neste momento, encontrem força para continuar, por eles, por seus irmãos e também por você, princesa. Que eles saibam que você agora estará sempre perto deles e dentro do coração, olhando e protegendo quem tanto te amou. Você lutou muito, e não dá nem para imaginar em falar que a guerra te venceu. A palavra "perder" não compete para quem tem uma missão. Isso é impossível para quem sempre foi estrela e sempre vai brilhar. Você só foi brigar pela vida em outra dimensão. Descanse em paz, guerreirinha.

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Diário da Região. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Diário da Região poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

Di´rio Im&ocute;veis

Di´rio Motors

Esqueci minha senha
Informe o e-mail utilizado por você para recuperar sua senha no Diário da Região.

Já sou assinante

Para continuar lendo esta matéria,
faça seu login de acesso:

É assinante mas ainda não possui senha? Clique Aqui!
É assinante mais quer redefinir sua senha? Clique Aqui!

Assine o Diário da Região Digital

Para continuar lendo, faça uma assinatura do Diário da Região e tenha acesso completo ao conteúdo.

Assine agora

Pacote Digital por apenas R$ 16,90 por mês.
OUTROS PACOTES


ou ligue para os telefones: (17) 2139 2010 / 2139 2020

Cadastro Grátis
Diário da Região
Clique no botão ao lado e agilize seu cadastro importando seus dados básicos do facebook
Sexo
Defina seus dados de acesso