Diário da Região

17/01/2018 - 00h30min / Atualizado 17/01/2018 - 00h05min

Relações Perigosas

Ministério Público decide investigar Liszt

MP quer apurar legalidade de contratos de empresa que era dele com o município

Guilherme Baffi 15/1/2017 O secretário de Desenvolvimento Econômico, Liszt Abdala, fala com jornalistas após ser sabatinado por vereadores na tarde de segunda-feira, 15, na Câmara de 
Rio Preto
O secretário de Desenvolvimento Econômico, Liszt Abdala, fala com jornalistas após ser sabatinado por vereadores na tarde de segunda-feira, 15, na Câmara de Rio Preto

O Ministério Público vai investigar a relação do secretário de Desenvolvimento Econômico de Rio Preto, Liszt Abdala, com contratos de empresa da qual ele constava como proprietário entre 2009 e 2011, a Marbell Teleinformática, que recebeu pagamentos da Prefeitura. Entre abril de 2010 e o início de 2012, Liszt presidiu a Emurb. Em 2010, a empresa da qual era proprietário recebeu cerca de R$ 1 mil do município.

Liszt afirmou na segunda, 15, que os valores recebidos pela empresa são "irrisórios" e que o dinheiro deveria teria sido reservado pela Prefeitura antes de ele assumir a Emurb. A empresa também recebeu da Prefeitura quando ele era diretor financeiro da Emurb, em fevereiro de 2011. O secretário também foi ouvido na Câmara na segunda-feira para falar sobre participação de familiares dele na licitação da Área Azul digital, feita pela Emurb, e alvo de investigação já aberto pelo Ministério Público. Ele confirmou a vereadores que a Marbell, empresa da qual se retirou em 2011 e tem como sócia sua irmã, estava na disputa. O MP apura se houve combinação de resultado na concorrência.

"O Ministério Público vai investigar. É preciso apurar esses outros contratos. Iremos definir a forma que será feito, se no inquérito já aberto ou se será instaurado outro", afirmou o promotor Sérgio Clementino. Liszt, que afirmou nesta terça, por telefone, estar em viagem a São Paulo, disse que não poderia falar. Aliados do prefeito Edinho Araújo (PMDB) afirmam que ele e Liszt devem conversar nesta semana.

A licitação da qual a empresa que Liszt já foi dono e na qual também manteve sociedade com a irmã participou da licitação da Área Azul digital. Na Câmara, ele também confirmou que sua mulher participou da disputa. Entre 2008 e 2016, a empresa foi contratada para serviços diversos na Prefeitura cerca de 50 vezes.

Comissão criada para intervir na Emurb e apurar denúncias de irregularidades informou que irá analisar apenas os contratos relativos a 2017. "Denúncias de irregularidades ocorridas anteriormente serão analisadas após o fim das apurações em curso", disse o diretor interino da empresa, Angelo Bevilacqua. O governo também evitou comentar sobre contratos firmados em anos anteriores.

Quando Liszt era presidente da Emurb, a WRC Informática, que tem como sócia ex-funcionária do órgão demitida após o escândalo da Área Azul digital, foi contratada sem licitação de forma semelhante com o que ocorreu em outros anos, inclusive em 2017. A comissão que intervem na Emurb afirma que o contrato está suspenso. A ex-funcionária também é sócia da Innovare, a empresa que venceu a disputa para fazer o aplicativo da Área Azul digital.

(Colaborou Rodrigo Lima)

 

Emurb anuncia microfilmagem de cheques

Escalado pelo prefeito de Rio Preto, Edinho Araújo (PMDB), para fazer intervenção na Empresa Municipal de Urbanismo (Emurb),o secretário da Fazenda, Angelo Bevilacqua, anunciou que vai pedir a microfilmagem de cheques depositados na conta da empresa no ano passado. O objetivo é tentar identificar se funcionários e até terceiros trocaram cheques pelo dinheiro do caixa da Área Azul.

De acordo com Bevilacqua, extraoficialmente, servidores já admitiram a irregularidade nesta terça-feira, 16, após o Diário revelar a prática. Comissão criada pelo prefeito para apurar denúncias de irregularidade na Emurb já assumiu o controle do caixa do órgão municipal.

A existência do esquema de troca de cheques na empresa foi denunciada pelo empresário Wagner Costa em entrevista exclusiva ao Diário na sexta-feira, 12. Ele é pivô do escândalo na Emurb, a empresa dele, a Innovare Cartuchos, foi contratada para executar o projeto do aplicativo da Área Azul digital. Ele perdeu o contrato de R$ 79 mil após a revelação de que sua mulher - também funcionária da Emurb - era sócia da empresa.

Nesta terça, 16, a ex-presidente da Emurb Vânia Pelegrini, que perdeu o cargo após a eclosão do escândalo da licitação da Área Azul digital, afirmou que antes de participar de reunião com Edinho, no dia 4, integrantes do gabinete do peemedebista foram informados de que o aplicativo estava pronto para voltar a entrar em operação naquele momento. Ela disse que os erros identificados no dia 2 haviam sido corrigidos. O chefe de Gabinete, Zeca Moreira, afirmou que não comentaria as declarações de Vânia ao dizer que está "triste" com a sua exoneração do cargo.

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Diário da Região. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Diário da Região poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

Di´rio Im&ocute;veis

Di´rio Motors

Esqueci minha senha
Informe o e-mail utilizado por você para recuperar sua senha no Diário da Região.

Já sou assinante

Para continuar lendo esta matéria,
faça seu login de acesso:

É assinante mas ainda não possui senha? Clique Aqui!
É assinante mais quer redefinir sua senha? Clique Aqui!

Assine o Diário da Região Digital

Para continuar lendo, faça uma assinatura do Diário da Região e tenha acesso completo ao conteúdo.

Assine agora

Pacote Digital por apenas R$ 16,90 por mês.
OUTROS PACOTES


ou ligue para os telefones: (17) 2139 2010 / 2139 2020

Cadastro Grátis
Diário da Região
Clique no botão ao lado e agilize seu cadastro importando seus dados básicos do facebook
Sexo
Defina seus dados de acesso