Ex-supervisor da Área Azul confirma troca de chequesÍcone de fechar Fechar
    • São José do Rio Preto
    • máx min

Ex-supervisor da Área Azul em Rio Preto entre 2008 e 2014 confirmou ao Diário esquema de troca de cheques na Empresa Municipal de Urbanismo (Emurb). Ele disse que não precisava nem ser funcionário para trocar cheque pelo dinheiro arrecadado com a venda dos cartões de Área Azul. "Você tinha um cheque pré-datado e era conhecido, trocava o cheque. Muita gente fez isso. Se pedir microfilmagem vai poder verificar os cheques depositados na conta da Emurb", afirmou o ex-servidor, que pediu para não ser identificado. Ele disse que foi indicado para o cargo pelo vereador Jorge Menezes (PTB).

A troca de cheques foi uma das denúncias reveladas pelo empresário Wagner Costa ao Diário em entrevista exclusiva publicada na sexta. 12. Ele fez as acusações após perder o contrato para a implantação da Área Azul digital com a descoberta de que a mulher dele era sócia dele na empresa Innovare Cartuchos, que venceu a licitação por R$ 78 mil, ao mesmo tempo em que era funcionária da Emurb. Ela também perdeu o cargo.

De acordo com o ex-supervisor, um dos coordenadores da Área Azul trocou cheques de seu comércio particular pelo dinheiro que estava no caixa do estacionamento rotativo. "Quando havia problema com algum cheque, eles ligavam para a gerente do Banco do Brasil para trocá-lo. A sede nem ficava sabendo porque o depósito na conta era feito pelo setor da Área Azul", afirmou ele, que se diz disposto a contar o que sabe no Ministério Público.

Nesta segunda-feira, 15, o Diário foi comprar um cartão da Área Azul na região central de Rio Preto e questionou a funcionária se ela poder atestar a autenticidade do bilhete. "Infelizmente, não tem como falar para o senhor se é verdadeiro ou não", afirmou ela. Outra denúncia de Wagner é que cartões são falsificados por servidores da própria Emurb para desviar dinheiro da empresa.

Ela admitiu que colegas de trabalho já identificaram talões "clonados". "Só sou obrigada a vender esse meleca", insistiu ela ao dizer que não "embolsa dinheiro de ninguém".

De acordo com Wagner, fiscais também ficariam com valores pagos por usuários do serviço. Segundo ele, agentes pegariam dinheiro de motoristas sem colocar o cartão no veículo depois.

O presidente interino da Emurb, Angelo Bevilacqua, afirmou que a Empresa Municipal de Processamento de Dados (Empro) vai assumir a confecção dos talões da Área Azul.