Sensação em 2017, Galo mira o pentaÍcone de fechar Fechar

EM BUSCA DO PENTA

Sensação em 2017, Galo mira o penta

Eliminado na semifinal em 2017, Galo Azul promete chegar com tudo para o A-3


    • São José do Rio Preto
    • máx min

Em 2017 o Olímpia foi a sensação da primeira fase do Campeonato Paulista da Série A-3, mas no mata-mata caiu na semifinal diante do Nacional, que sagrou-se campeão. Um duro golpe a ser assimilado. Porém, o Galo Azul entra em 2018 com o mesmo foco, o retorno à Série A-2 estadual. Um dos clubes mais vitoriosos na terceira divisão - venceu o torneio nos anos de 1973, 1975, 2000 e 2007, o Olímpia teve problemas no início de sua montagem, mas promete chegar inteiro para briga.

O técnico Edson Porto foi contratado e fez a montagem da equipe no mês de novembro, mas a direção não se mostrou satisfeita com o trabalho do treinador. Demitiram Porto e mais sete jogadores. O experiente treinador José Galli Neto, 67 anos, foi quem chegou em meados de dezembro para "arrumar a casa" e começar bem a disputa neste dia 17, contra o São Bernardo, fora de casa.

Galli jogou como lateral por Botafogo, Corinthians, Portuguesa, XV de Jaú, Ponte Preta, Goiás-GO, Atlético-GO e Noroeste. Como técnico, comandou cerca de 30 clubes por todo o Brasil. Foi gerente de futebol no Botafogo-SP por seis anos. "Objetivo do Olímpia é subir, todo clube quer. No ano passado não conseguiu, mas não perdeu a esperança e está buscando uma performance para o acesso", disse Galli.

Os candidatos terão pela frente uma série A-3 cruel, sem tempo de recuperação devido ao calendário dinâmico por conta da Copa do Mundo da Rússia. "Seis clubes podem ser rebaixados e o acesso de dois clubes é muito complicado. Todos correm riscos se não tiverem uma montagem bem feita", emendou o treinador. "A disposição é fator impar. Mas o fator principal é contratar certo, buscar 24, 25 atletas disponíveis, de qualidade, já que não temos base. Mas quero um time guerreiro e participativo."

Galli recentemente foi coordenador das categorias de base do Batatais, vice-campeão da Copa São Paulo de Juniores de 2017. "Comecei com 17 anos no futebol e estou até hoje, prestes a fazer 68 nessa história. Fiz vários trabalhos com sucesso por sinal. Ganhei torneio com o Fortaleza, em Goiás, no Rio Grande do Sul, Santa Catarina. Sou vitorioso, no Botafogo foram três acessos, coisas que marcam", resume Galli.

No elenco olimpiense alguns remanescentes de 2017 e reforços vindos de vários estados do País, como os zagueiros Bruno Leal, emprestado pelo Friburguense-RJ, Eduardo, que estava no futebol catarinense, os laterais Mailson, que estava no Distrito Federal, Thiago Carioca (ex-Audax do Rio), além de Léo Silva, vindo do futebol Baiano. Para o gol, Marcelo, que veio do Rio de Janeiro, brigará por posição com Lucas. O grupo ainda conta com remanescentes da Série A-3 de 2017 como o volante Roger Goiano e os atacantes Max Pardalzinho, Felipe Fumaça e Robinson.

Colocação em 2017: 3º lugar, perdeu na semifinal para o campeão Nacional

Fundação: 5/12/1946

Presidente: Antônio Delamodarme, o Niquinha

Endereço: Rua Professora Maria Ubaldina de Barros Furquim, 92, em Olímpia - CEP 15400-000

Telefone: (17) 3281-1224

Sitewww.olimpiafutebolclube.com

Mascote: Galo Azul

Estádio: Tereza Breda (homenagem à esposa do Sr. Natal Breda, doador da área)

Inauguração: 11/9/1949, com o jogo Olímpia 1 x 4 Palmeiras

Capacidade: 6.912 lugares

Time base: Marcelo; Léo, Malcon, Gustavo e Mailson; Roger Goiano, Luanderson, Vinícius Paulista e Buiú; Robinson (Max Pardalzinho) e Felipe Fumaça.

Técnico: José Galli Neto.

Títulos:

  • Campeão da Série C (Atual A-3) de 1973 e 1975
  • Campeão do Paulista Série A-2 de 1990
  • Campeão do Paulista Série A-3 de 2000 e 2007