Ibovespa fecha pregão em queda; dólar sobeÍcone de fechar Fechar

MERCADO FINANCEIRO

Ibovespa fecha pregão em queda; dólar sobe


    • São José do Rio Preto
    • máx min

O Ibovespa fechou em queda de 0,97% nesta segunda-feira, 29, aos 84.698,01 pontos, em um dia dominado pelo movimento de realização de lucros após sucessivos recordes que levaram o índice à vista a ganhar cerca de 12% neste mês. O ritmo de queda reduziu nos últimos momentos do pregão e a valorização no mês ainda está em 10,86%.

O recuo ocorreu em linha com a trajetória dos pares em Nova York O giro financeiro foi de R$ 11,6 bilhões - em nível similar ao dia da véspera do julgamento do recurso do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, quando o índice à vista recuou 1,22% pela cautela dos investidores.

"O movimento de realização já era esperado, pois os mercados acionários, tanto aqui como lá fora, esticaram muito", disse Carlos Soares, analista da Magliano Corretora, que acrescenta que há certa cautela dos investidores no exterior em uma semana com divulgação de indicadores importantes, como dados sobre emprego (payroll), nos Estados Unidos, e da produção (PMI), na China, além da decisão do Federal Reserve (Fed) sobre o juro básico americano. "Mas é importante ressaltar que as condições monetárias globais favoráveis estão mantidas."

Entre as blue chips, as preferidas dos investidores não-residentes, os papéis dos bancos, que conseguiram valorizações expressivas nos dois pregões anteriores, recuaram: Bradesco PN (-2,91%), Itaú Unibanco PN (2,69%), Santander Brasil Unit (2,64%) e Banco do Brasil ON (0,56%).

Esta segunda-feira, 29, foi de correção para o dólar em escala global, depois das fortes perdas da divisa na semana passada. O câmbio doméstico acompanhou o exterior, e a moeda americana subiu para a casa dos R$ 3,16, depois de ter alcançado o patamar de R$ 3,13 no fim da semana passada.

Segundo profissionais do mercado, a agenda dos Estados Unidos desta semana - que incluiu a decisão de política monetária do Fed, na quarta-feira, e os dados do mercado de trabalho relativos a janeiro, na sexta - é fator de pressão sobre os rivais do dólar.

O dólar à vista fechou em alta de 0,86%, a R$ 3,1656. O giro foi de US$ 1,263 bilhão. No mercado futuro, o dólar para fevereiro terminou com ganho de 0,06%, a R$ 3,1565. O volume foi de US$ 16,854 bilhões.