X
X

Diário da Região

11/01/2018 - 18h13min / Atualizado 12/01/2018 - 09h18min

ESTREIA

A primeira peça infantil da Hecatombe

Espetáculo apresenta Inventores Albert Einsten e Alberto Santos Dumont como crianças

Divulgação Primeiro espetáculo infantil da Cia. Hecatombe explora o universo das invenções
Primeiro espetáculo infantil da Cia. Hecatombe explora o universo das invenções

Se Júlio Verne (1828-1905) vivesse nos dias de hoje, com certeza estaria escrevendo algum roteiro para Black Mirror, a série da Netflix que projeta o futuro da tecnologia. 

Isso porque o escritor foi um verdadeiro visionário em sua literatura, antecipando invenções que eram impensáveis na sua época. Em 20 Mil Léguas Submarinas (1869), sua obra mais famosa, ele apresenta um submarino movido a energia nuclear um século antes dele ser concebível no mundo real. Não é a toa que a ficção científica enquanto gênero literário tem sua criação creditada a ele.

Verne, e seu poder de inventar um mundo que (ainda) não existe, inspirou o dramaturgo, diretor e ator Homero Ferreira na escrita do primeiro espetáculo infantil da Cia. Hecatombe, 20 Mil Novas Léguas, que faz sua estreia nesta sexta-feira, 12, dentro do festival Em Janeiro Teatro pra Criança é o Maior Barato, realizado pela Cia. Fábrica de Sonhos.

Para contar sua história, Ferreira recorreu a dois grandes 'inventores': o físico alemão Albert Einsten (1879-1955) e o aeronauta Alberto Santos Dumont (1873-1932). Em 20 Mil Novas Léguas, eles são crianças e se divertem com as histórias de Verne que são contadas pelo avô. 

"Em sua obra, Verne ficcionalizou coisas que somente foram possíveis de serem criadas muito tempo depois. Ele serviu de inspiração para muitos cientistas e inventores. Quis explorar esse aspecto da invenção enquanto busca pelo conhecimento, a importância disso no desenvolvimento da criança", comenta o diretor da Cia. Hecatombe.

O elenco conta com os atores Fabiano Amigucci, Marcelo de Castro e Ronaldo Celeguini. A produção ainda traz Fagner Rodrigues na codireção e Liana Yuri na concepção cenográfica. A montagem contou com apoio do Programa de Ação Cultural (ProAC), da Secretaria de Estado da Cultura, e do Prêmio Nelson Seixas, da Secretaria Municipal de Cultura, além de ter recebido orientação por meio do projeto Laboratório Cênico, do Sesc Rio Preto.

Em 2017, a Hecatombe foi contemplada em outro edital do ProAC para a montagem daquele que será seu segundo espetáculo infantil, Vermelhinhos. O texto é de Ferreira em parceria com o ator e diretor Linaldo Telles.

"Eu já havia escrito outros textos infantis, como o A Cor Silva (que foi montado pelo Cia. Cênica). No entanto, nunca tinha feito nada por meio da Hecatombe. Agora, já são dois infantis pela minha companhia. É um público para o qual eu gosto muito de escrever", declara Ferreira.

O que rola hoje

Atividades formativas

  • 10h às 12h - Bate-papo: Dramaturgia para o teatro infantojuvenil (Marcelo Romagnoli). Galeria Norma Vilar. Gratuito
  • 14h às 16h - Oficina: Construindo textos para teatro de mamulengo (Mamulengo sem Fronteiras). Galeria Norma Vilar. Gratuito

Espetáculos

  • 14h às 21h - Azulindo no Teatro Itinerante de Bonecos (Cia. Serafin Teatro). Riopreto Shopping. Gratuito
  • 15h - A Vaca Lelé - Deixe seu sonho voar (Cia. Arte das Águas). Teatro Municipal. R$ 10 (inteira) e R$ 5 (meia)
  • 17h - Super Tosco (Rosa dos Ventos). Praça Dom José Marcondes. Gratuito
  • 20h - 20 Mil Novas Léguas (Cia. Hecatombe). Teatro Municipal. R$ 10 (inteira) e R$ 5 (meia)

Lição de respeito ao mar

O fundo do mar é cenário da peça Azulindo, o teatro itinerante de bonecos da Companhia Serafin, de Campinas. O espetáculo busca evidenciar a preservação da natureza e estimular as crianças a terem atitudes de maior empatia com o planeta.

A história se passa com uma menina que, enquanto estava brincando na praia, descobre que dá para ouvir e saber tudo que acontece com os animais no fundo do mar através de uma concha. Quando ela percebe que o monstro do lixo - formado pelas garrafas, latas e resíduos jogados pelo homem no mar - está ameaçando acabar com a vida pacífica das criaturas marinhas, resolve chamar os pescadores e todos os seus amigos para pegá-lo e devolver o equilíbrio e a beleza ao mar.

Com seis anos de trajetória, o grupo participa de festivais com essa peça desde 2016. "A ideia surgiu da necessidade pessoal e social de propor o desenvolvimento de uma consciência, especialmente nas crianças, do cuidado com o ecossistema marinho", explica o diretor Abel Saavedra.

Bonecos coloridos, manipulados por três atores, associados aos elementos do fundo do mar, atraem atenção do público infantil para refletir sobre os cuidados com o meio ambiente. "Para realizar isso, acudimos aos recursos provenientes do teatro de animação, na forma de manipulação direta e manipulação com varas e os recursos de teatro negro para as cenas do fundo marinho, e de iluminação de led profissional para as cenas da praia", explica.

Com duração de 25 minutos, a peça traz um modelo de apresentação diferente do convencional. São sessões exibidas a cada hora, totalizando oito por dia e atingindo um público de cerca de 160 pessoas. A linguagem simples e os cenários coloridos são elementos que contribuem para que crianças de 1 à 12 anos possam acompanhar e compreender a mensagem do teatro.

(Colaborou Leonardo Balducci)

 

Super Tosco: circo e pegadinha

Números circenses, brincadeiras e um segredo fazem a combinação de Super Tosco, espetáculo do grupo Rosa dos Ventos, de Presidente Prudente.

Formado por três palhaços e um músico, o grupo atua desde 1999. Suas peças são baseadas nos conceitos do circo, aliados à cultura do teatro de rua.

Com essas referências, o espetáculo, que está em cartaz desde 2016, reserva um segredo que promete divertir os espectadores. "Procuramos apresentar alguns números de circo e fazemos uma brincadeira, que é uma pegadinha com as pessoas. Nós vamos envolvendo as pessoas até a hora que damos o desfecho da história", diz Fernando Ávila, que interpreta o palhaço 10 Pras 7.

Os palhaços Seu Lavando, 10 pras 7 e Custipil são os responsáveis por prender a atenção das crianças com suas habilidades. "Esperamos que as pessoas deem bastante risada, brinquem, participem, saiam felizes e voltem para suas casas mais contentes."

As brincadeiras são embaladas por canções autorais. "Nós gostamos muito de usar a música porque é bastante funcional para nos comunicarmos na rua e chamarmos atenção", diz Luís Valente, que dá vida ao palhaço Seu Lavanco.

"Temos uma música de abertura e encerramento que tem o nome do próprio espetáculo e que amarra toda a história, trazendo um pouco da brincadeira da peça na letra. É uma provocação que fazemos com as crianças e o público."

O grupo, que já se apresentou com todos os seus outros espetáculos na cidade, demonstra animação para tirar mais risadas das crianças. "Alguns integrantes são da região. Temos um carinho grande pela cidade. Torcemos para que seja mais um ótimo espetáculo", destaca.

(Colaborou Leonardo Balducci)

 

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Diário da Região. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Diário da Região poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

Di´rio Im&ocute;veis

Di´rio Motors

Esqueci minha senha
Informe o e-mail utilizado por você para recuperar sua senha no Diário da Região.

Já sou assinante

Para continuar lendo esta matéria,
faça seu login de acesso:

É assinante mas ainda não possui senha? Clique Aqui!
É assinante mais quer redefinir sua senha? Clique Aqui!

Assine o Diário da Região Digital

Para continuar lendo, faça uma assinatura do Diário da Região e tenha acesso completo ao conteúdo.

Assine agora

Pacote Digital por apenas R$ 16,90 por mês.
OUTROS PACOTES


ou ligue para os telefones: (17) 2139 2010 / 2139 2020

Cadastro Grátis
Diário da Região
Clique no botão ao lado e agilize seu cadastro importando seus dados básicos do facebook
Sexo
Defina seus dados de acesso