X
X

Diário da Região

31/01/2018 - 23h02min / Atualizado 31/01/2018 - 23h02min

FENÔMENO RARO

Nem céu nublado atrapalha show da Superlua

O momento de maior proximidade entre Terra e satélite durante a órbita é conhecido pela astronomia como perigeu

Johnny Torres 31/1/2018 A superlua, maior e mais brilhante, entre os prédios de Rio Preto
A superlua, maior e mais brilhante, entre os prédios de Rio Preto

O céu nublado atrapalhou um pouco, mas em alguns pontos de Rio Preto foi possível ver a Superlua, na noite desta quarta-feira, 31. O fenômeno ocorre quando o satélite está mais próximo da Terra durante o seu período cheio - ou seja, quando o planeta está entre o satélite e o Sol. Os raios solares incidem sobre a Lua, que tem seu disco completamente iluminado.

O momento de maior proximidade entre Terra e satélite durante a órbita é conhecido pela astronomia como perigeu. Desde a noite de terça-feira, 30, já era possível ver que a Lua aparecia maior do que de costume no céu.

No Brasil, desta vez não foi possível ver o eclipse lunar e a Lua de Sangue."É quando ela passa na sombra da Terra. Parece que alguém pintou a Lua de vermelho", descreve Wagner Soeiro, professor de geografia e fundador do Clube de Astronomia de Rio Preto.

O docente explica que a Lua tem uma órbita em volta da Terra que não é igual - em algumas partes, está mais próxima do planeta; em outras, mais afastada. A Superlua não tem data certa para acontecer. "É de acordo com o calendário, então tem anos que acontece algumas vezes, outros uma vez. É bem raro." A Lua gira de forma elíptica, ou seja, oval, em torno da Terra, o que significa que a distância das duas durante o trajeto não é uniforme.

A combinação da Superlua com sua forma "sangrenta" mais a azul (quando o satélite entra no seu período cheio mais de uma vez em um mês), ocorrida nesta quarta-feira, 31, demorou 150 anos para acontecer.

O motivo de não ser possível ver a Lua de Sangue é que as órbitas nem sempre coincidem. Dessa vez, foi possível visualizar o fenômeno, por exemplo, na Ásia e na Oceania.

O normal é que a distância entre a Lua e a Terra varie de 356,5 mil quilômetros a 408 mil quilômetros (momento chamado de apogeu, quando está mais longe). Como a Terra também gira, o alinhamento perfeito entre ela, o satélite e o Sol não acontece todos os meses. A Lua completa seu ciclo ao redor da Terra a cada 29 dias e meio e o planeta dá um giro completo ao redor do Sol a cada ano.

 

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Diário da Região. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Diário da Região poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

Di´rio Im&ocute;veis

Di´rio Motors

Esqueci minha senha
Informe o e-mail utilizado por você para recuperar sua senha no Diário da Região.

Já sou assinante

Para continuar lendo esta matéria,
faça seu login de acesso:

É assinante mas ainda não possui senha? Clique Aqui!
É assinante mais quer redefinir sua senha? Clique Aqui!

Assine o Diário da Região Digital

Para continuar lendo, faça uma assinatura do Diário da Região e tenha acesso completo ao conteúdo.

Assine agora

Pacote Digital por apenas R$ 16,90 por mês.
OUTROS PACOTES


ou ligue para os telefones: (17) 2139 2010 / 2139 2020

Cadastro Grátis
Diário da Região
Clique no botão ao lado e agilize seu cadastro importando seus dados básicos do facebook
Sexo
Defina seus dados de acesso