Diário da Região

14/12/2017 - 22h56min

Artigo

Nosso inimigo oculto (e fatal)

São mais de 90 mil acidentes anuais com escorpião, bicho peçonhento que mais mata no Brasil

Poucas coisas nos confortam mais do que chegar em casa e sentir o aconchego que um lar oferece. Aquela sensação de bem estar, tendo a nossa volta tudo que apreciamos, nossa família, objetos companheiros, um sofá, uma cama confortável, e uma confiança de que estamos protegidos e seguros.

No entanto, muitas vezes, temos mais companhias do que imaginamos, além de aconchegante para nossa família, nossa casa pode ser também o ambiente perfeito para outros moradores, que gostam de se proteger da luz, do ar mais seco, de inimigos naturais, e ainda encontra ali alimento em abundância.

Para isso vale qualquer espaço, embaixo de móveis, como sofás, camas, armários, em calçados, se enrolam em nossas roupas de cama, e até se guardam em nossos bolsos. E com tanta proximidade assim, o inevitável quase sempre acontece - o encontro. E pode ser um encontro doloroso, a dor uma marca registrada do ataque desses nossos inimigos, já bem intimo. De tão íntimos são chamado de animal sinantrópico, que vive junto ao homem, assim como as baratas já o fazem há muito tempo, aliás essas são seu prato predileto.

Mas nem sempre foi assim, tempos atrás viviam apenas em ambientes naturais, abrigados em tocas subterrâneas, sob troncos em decomposição e serapilheira de florestas. Ainda até vivem por lá nos poucos fragmentos desses ambientes que ainda persistem.

Mas receberam um convite irrecusável, um ambiente com tudo o que eles gostam, capaz oferecer uma infinidades de abrigos aconchegantes, e comida, muita comida.

Assim se espalharam pelo ambiente urbano em abundantes refúgios como redes de esgoto, pilhas de materiais de construção, entulhos, entre ouros. E de vez quando saem de suas tocas, para se alimentar, ou para procurar um novo abrigo, caso alguma coisa o incomode, como inseticidas, fumaças, pouca umidade, excesso de luz e calor... e aí eles se revelam, e cada vez mais, encontramos mais e mais escorpiões por aí, e em nossas casas. Desses encontros surgem os acidentes.

São mais de noventa mil acidentes anuais. É o animal peçonhento que mais mata no Brasil, são 130 mortes anuais, e há uma clara tendência de aumento desses números, haja vista que quinze anos atrás a ocorrência de acidentes e mortes era dez vezes menor, e números avançam progressivamente ano a ano, o que oferece um prognóstico bem mais alarmante para os próximos anos se nada for feito.

Esse inimigo oculto, que se esconde bem ao nosso lado, é uma figura muito constante em nosso imaginário que se transfigura em diversas simbologias relacionadas à mitologia, astrologia e folclore, mas, do ponto vista real e prático, é simplesmente fatal.

Antonio Carlos Lofego, Professor-doutor do Departamento de Zoologia e Botânica da Unesp - Campus de São José do Rio Preto.

 

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Diário da Região. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Diário da Região poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

Di´rio Im&ocute;veis

Di´rio Motors

Esqueci minha senha
Informe o e-mail utilizado por você para recuperar sua senha no Diário da Região.

Já sou assinante

Para continuar lendo esta matéria,
faça seu login de acesso:

É assinante mas ainda não possui senha?
Não lembro a minha senha!

Assine o Diário da Região Digital

Para continuar lendo, faça uma assinatura do Diário da Região e tenha acesso completo ao conteúdo.

Assine agora

Pacote Digital por apenas R$ 16,90 por mês.
OUTROS PACOTES


ou ligue para os telefones: (17) 2139 2010 / 2139 2020

Cadastro Grátis
Diário da Região
Clique no botão ao lado e agilize seu cadastro importando seus dados básicos do facebook
Sexo
Defina seus dados de acesso