Diário da Região

05/12/2017 - 22h39min

TAXA BÁSIC

Copom inicia reunião que deve cortar Selic

Santander antecipa-se ao Copom e reduz juros para pessoa física

Marcelo Camargo/Agência Brasil  Diretores do Banco Central decidem hoje qual será a nova taxa Selic
Diretores do Banco Central decidem hoje qual será a nova taxa Selic

A última reunião do Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central (BC) neste ano começou na manhã desta terça-feira (5), com expectativa de redução da taxa básica de juros, a Selic. Ontem foi realizada a primeira parte da reunião e nesta quarta-feira (6), por volta das 18h20, será divulgada decisão da diretoria do BC.

A taxa básica de juros, a Selic, poderá chegar ao menor nível da história. Com a inflação mais baixa, a expectativa de instituições financeiras é que a taxa básica seja reduzida de 7,5% ao ano para 7% ao ano.

Se a expectativa se confirmar, será o décimo corte seguido na taxa básica. Em outubro, o Copom reduziu, por unanimidade, a Selic em 0,75 ponto percentual, de 8,25% ao ano para 7,5% ao ano. Com essa redução, a taxa se igualou ao nível de maio de 2013.

De outubro de 2012 a abril de 2013, a taxa foi mantida em 7,25% ao ano, no menor nível da história, e passou a ser reajustada gradualmente até alcançar 14,25% ao ano em julho de 2015, patamar mantido nos meses seguintes. Somente em outubro do ano passado, o Copom voltou a reduzir os juros básicos da economia.

A expectativa do mercado financeiro é que a inflação, medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), termine este ano em 3,03%, quase no piso da meta (3%). Essa meta tem como centro 4,5%. Para 2018, a previsão é que a inflação fique um pouco maior, mas ainda abaixo do centro da meta, em 4,02%.

A taxa básica de juros é usada nas negociações de títulos públicos no Sistema Especial de Liquidação e Custódia (Selic) e serve de referência para as demais taxas de juros da economia.

Ao reajustar a Selic para cima, o Banco Central segura o excesso de demanda que pressiona os preços, porque juros mais altos encarecem o crédito e estimulam a poupança. Ao reduzir os juros básicos, a tendência do Copom é baratear o crédito e incentivar a produção e o consumo, mas enfraquece o controle da inflação.

Santander

O Santander vai reduzir as taxas de juros das suas principais linhas de crédito do varejo a partir da próxima segunda-feira, 11. O banco informou que a decisão está em linha com a expectativa do anúncio de redução da taxa básica de juros (Selic) pelo Comitê de Política Monetária (Copom), na reunião desta semana.

A taxa mínima do crédito pessoal cairá de 1,69% para 1,59% ao mês. Já a taxa mínima dos juros para financiamento de veículos será reduzida de 1,12% para 1,08% ao mês. No cheque especial, a taxa mínima passará de 2,29% ao mês para 2,25% ao mês.

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Diário da Região. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Diário da Região poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

Di´rio Im&ocute;veis

Di´rio Motors

Esqueci minha senha
Informe o e-mail utilizado por você para recuperar sua senha no Diário da Região.

Já sou assinante

Para continuar lendo esta matéria,
faça seu login de acesso:

Não lembro a minha senha!

Assine o Diário da Região Digital

Para continuar lendo, faça uma assinatura do Diário da Região e tenha acesso completo ao conteúdo.

Assine agora

Pacote Digital por apenas R$ 16,90 por mês.
OUTROS PACOTES


ou ligue para os telefones: (17) 2139 2010 / 2139 2020

Cadastro Grátis
Diário da Região
Clique no botão ao lado e agilize seu cadastro importando seus dados básicos do facebook
Sexo
Defina seus dados de acesso