Diário da Região

30/11/2017 - 23h08min

Cartas do Leitor

Crueldade

Quero parabenizar o Diário da Região pela matéria do Editorial "Crueldade Sem Limites", do dia 30/11, alusiva ao ponto nevrálgico da saúde, pois não trata-se de apenas um remedinho para dor de cabeça, mas sim de drogas para a sobrevivência, pois, com a falta destas, um órgão transplantado corre o risco de rejeição. Devemos enaltecer as pessoas que encontram-se nessa situação de risco e descaso, que ainda são solidárias, repartindo o pouco de remédio que têm com àqueles que não possuem.

Na mesma página, Carta ao Leitor, sob o título "Mau Atendimento", veio uma análise conclusiva do meu amigo Waldner Lui, sobre a candidatura de Alckmin à Presidência da República: "como é que Geraldo Alckmin tem pretensões de se candidatar à Presidência da República, se, como Governador de Estado, não está dando conta nem de suprir as necessidades básicas de remédios essenciais e fraldas geriátricas distribuídos às pessoas necessitadas"?

Lamentavelmente iniciou-se a corrida pelo Poder! Todos os partidos iniciam as articulações, a viabilização das suas candidaturas. Assim, a administração do País, Estados e Municípios, param. Até o pleito, o País fica de fato nas mãos de apadrinhados. Isso significa que eles estão de fato no Poder, mas não de direito, para poder decidir e aí se iniciam os cortes de verbas.

Sabedores que somos que a logística de Estado praticamente não existe, aí vira essa situação calamitosa, falta de tudo, não tem quem manda e, numa demonstração de incompetência, começa o jogo de empurra, até chegar ao caos. Porém, as campanhas políticas estão a todo vapor e não existe uma Ouvidoria, muito menos uma Procuradoria e um Judiciário que tome atitudes imediatas em situações adversas, como essa da falta de remédios, fundamental para a sobrevivência do ser humano.

Fica claro que, para a grande maioria dos políticos, o Poder é mais importante do que ser um bom administrador e cumprir as propostas de campanha.

Marco Rillo, vereador, Rio Preto.

Vereadores

Anderson Branco e José Carlos Marinho estão na contra mão da vereança. O primeiro, novato, escolheu mal a quem seguir e, no afã de fazer algo pela cidade, está se perdendo, pois o mesmo não vem cumprindo algumas promessas, por exemplo, preparar a retirada da zona do meretrício de dentro da cidade.

Já Marinho, como sabemos, só resolveu trabalhar agora, pois na gestão anterior blindou tudo que pode, inclusive alguns secretários de serem questionados na Câmara, mas, como nessa turminha reina a hipocrisia, está aí o resultado. Sugiro e desafio, ambos vereadores convocarem Paulo Pauléra, que usou da máquina governamental para se autopromover, para se explicar na tribuna.

Eduardo de Paula Campos Pereira, Rio Preto.

Lula

Em 2002 após votarmos no Serra, presenciamos, desconfiados, Lula assumir a presidência. Nos 8 anos de governo, o metalúrgico afastou a suspeita de radical e inconsequente, fazendo um governo responsável, respeitando todas as regras do capitalismo e da democracia; cumpriu a Constituição inclusive no paragrafo onde diz que "é função do estado diminuir as diferenças sociais".

Sem nenhuma medida "populista" elevou o Brasil da 13ª para a 6ª posição entre as economias mundiais e, cumprindo a Carta Magna, tirou 36 milhões de brasileiros da extrema pobreza. Colocou o país em destaque no mundo, inclusive ouvindo de Barack Obama, na ONU: "você é o cara, o politico mais popular da terra".

Depois vimos, incrédulos, um trabalho cruel e desumano de desconstrução da imagem de Lula. Sem compreendermos as rasões disso, supomos: se não há um motivo político, deve ser "despeito ou preconceito"

Norberto Carlos Dieguez, Rio Preto.

Ferrovia

Ao ler o Diário da Região chamou minha atenção o anuncio da Rumo "O melhor negocio para o desenvolvimento do país". A renovação da concessão da malha ferroviária paulista. Verdade seja dita: o que não fizeram e mais de trinta anos que moro aqui fizeram em três, melhoras em vários aspectos temos que admitir.

Infelizmente a Rumo em um ponto está falhando muito, uma empresa que está investindo R$ 5 bilhões nos próximos 4 anos não devia ter aumentado a potência das buzinas de suas locomotiva. São os decibéis mais altos que já ouvi, a pressão do som é insuportável. Diuturnamente (manhã,tarde, noite e madrugada) convivemos com isso.

Para garantir sua logística estão nos deixando surdos. Quando o maquinista acionada a buzina provoca, o maior transtorno que uma cidade pode ouvir, é um deus-nos-acuda, sensação de pânico e terror. Recém-nascidos, velhos, doentes e animais sofrem com o excesso da pressão do som. Adultos e crianças ficam desorientados, a impressão é que o mundo vai acabar. Por gentileza reavaliem esse procedimento pela saúde dos seus vizinhos. Buzina estridente não é sinal de segurança, muito pelo contrário.

Audinei Lopes Bonfanti, Bálsamo.

Reflexões

Conforme a Palavra de Deus, a vinda de Jesus deve ser compreendida em duas dimensões, mas que fundamenta nossos conceitos de fé. A primeira, já prevista pelo Antigo Testamento, principalmente nas palavras do profeta Isaías, "de uma virgem nascerá o Emanuel" (cf. Is 7,14), acontece no dia do Natal. É a realização da encarnação do Verbo, Deus que se torna homem.

A segunda vinda do Senhor é anunciada como tempo de julgamento, quando os maus serão separados dos bons e serão destinados para a eternidade. Aí acontecerá a justiça divina, o "acerto de contas" com as pessoas, tendo como fonte os atos praticados na vida terrena. Para quem foi capaz de valorizar o processo do perdão e da reconciliação, certamente terá a misericórdia de Deus.

Dom Paulo Mendes Peixoto, arcebispo de Uberaba, ex-bispo de Rio Preto.

 

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Diário da Região. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Diário da Região poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

Di´rio Im&ocute;veis

Di´rio Motors

Diário da Região

Esperamos que você tenha aproveitado as matérias gratuitas!
Você atingiu o limite de reportagens neste mês.

Continue muito bem informado, seja nosso assinante e tenha acesso ilimitado a todo conteúdo produzido pelo Diário da Região

Assinatura Digital por apenas R$ 1,00*

Nos três primeiros meses. Apóss o período R$ 16,90
Diário da Região
Continue lendo nosso conteúdo gratuitamente Preencha os campos abaixo para
ganhar + 3 matérias!
Tenha acesso ilimitado para todos os produtos do Diário da Região
Diário da Região Digital
por apenas R$ 1,00*
*Nos três primeiros meses. Ap�s o período R$ 16,90

Já é Assinante?

LOGAR
Faça Seu Login
Informe o e-mail e senha para acessar o Diário da Região.
Esqueci minha senha
Informe o e-mail utilizado por você para acessar o Diário da Região.