X
X

Diário da Região

17/11/2017 - 09h46min / Atualizado 22/11/2017 - 15h42min

Sua Saúde

O que você deve fazer para evitar que seu filho engasgue?

A sufocação ou obstrução é a primeira causa de morte por causa externa de bebês até 1 ano de idade

Pixabay A sufocação ou obstrução é a primeira causa de morte por causa externa de bebês até 1 ano de idade
A sufocação ou obstrução é a primeira causa de morte por causa externa de bebês até 1 ano de idade

Corpo estranho é qualquer objeto ou substância que inadvertidamente penetra o corpo ou suas cavidades. Pode ser ingerido ou colocado pela criança nas narinas e conduto auditivo, mas apresenta um risco maior quando é aspirado para o pulmão.

A maior suspeita de que o acidente ocorreu é a situação de engasgo. Isto ocorre quando a criança está comendo, ou quando está com um objeto na boca, habitualmente peças pequenas de brinquedos.

A sufocação ou obstrução é a primeira causa de morte por causa externa de bebês até 1 ano de idade.

A maioria dos casos atendidos é de crianças em torno dos três primeiros anos de vida, sendo mais comum em crianças do sexo masculino, o que reflete uma natureza mais impulsiva e aventureira nos meninos. É na idade de até três anos que a criança não controla a mastigação e a deglutição de alimentos, pois não possui os dentes molares, e mastigam o alimento de forma incompleta com os dentes incisivos, predispondo à aspiração. O feijão, pipoca e milho, apresentam risco para a aspiração, pois as crianças vão degluti-los sem mastigar, e qualquer distração, risada, brincadeira ou susto pode precipitar o acidente. A supervisão direta da sua alimentação deve ser realizada por um adulto atento até os 6 anos, aproximadamente.

Além disso, a criança nesta idade possui o hábito de levar objetos à boca, como bexigas, pequenos brinquedos de plástico ou metal, normalmente de irmãos mais velhos.

Logo após a aspiração de algum objeto, os sintomas podem ser ausentes, podem ocorrer vômitos, dor para engolir, excesso de salivação ou também pode ocorrer tosse incontrolável, que é um mecanismo de defesa natural de eliminação do objeto aspirado.

Dependendo da idade da criança, do tipo de corpo estranho aspirado e da sua localização nas vias aéreas, pode haver obstrução parcial ou total da passagem de ar.

Quando a aspiração é parcial, a criança pode tossir e esboçar sons. Nesta situação, o melhor procedimento é a não intervenção no ambiente doméstico e encaminhamento a um serviço de saúde, para o tratamento definitivo.

Quando a aspiração é total, a criança não consegue esboçar qualquer som, está com asfixia, falta de ar importante e até com os lábios arroxeados. Nesta situação, deve-se proceder da seguinte maneira:

Maiores de um ano: manobra de Heimlich, que consiste em compressões abaixo das costelas, com sentido para cima, abraçando a criança por trás, até que o corpo estranho seja deslocado da via aérea para a boca e expelido.

Menores de um ano: 5 percussões com a mão na região das costas, a criança com a cabeça virada para baixo, seguida de 5 compressões na frente, até que o corpo estranho seja expelido ou a criança torne-se responsiva e reaja.

Se você conseguir visualizar o corpo estranho na boca, retire-o com cuidado, mas não tente ir às cegas com o dedo na boca, pois pode provocar lesões na região ou empurrar o corpo estranho para regiões mais baixas, e piorar o quadro de obstrução.

PREVENÇÃO

O que você deve fazer para evitar que seu filho engasgue?

Mantenha os seguintes itens da casa, longe do alcance de crianças menores de 4 anos: moedas, bolinha de gude, brinquedos com peças pequenas, bolas pequenas, agulhas, botões, baterias esféricas de aparelhos eletrônicos, canetas com tampa removível.

Impedir que crianças brinquem com sacos plásticos e balões de borracha, sem supervisão direta.

Não deixar pedaços de alimentos no prato, principalmente os arredondados. Os alimentos devem ser cortados, partidos ou triturados em pedaços de tamanho pequeno.

Evite alimentá-las enquantocorrem, andam, brincam, estão rindo e não deixá-las deitar com alimento na boca.

Os seguintes alimentos são de risco potencial para a aspiração: sementes, amendoim, castanha, nozes, milho, feijão, pedaços de carne e queijo, uvas inteiras, salsicha, balas duras, pipoca, chicletes.

Fique atento às crianças mais velhas. Muitos acidentes ocorrem quando irmãos ou irmãs mais velhas oferecem objetos ou alimentos perigosos para os menores.

Evite comprar brinquedos com partes pequenas e mantenha objetos pequenos da casa fora do alcance das crianças.

Evitar que crianças usem jóias, medalhas, broches, correntes, berloques, prendedores de chupetas.

Os pais devem ter conhecimento das manobras de retirada de corpo estranho e de ressuscitação.

Fabíola Acayaba de Toledo, pediatra com especialização em nefrologia pediátrica

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Diário da Região. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Diário da Região poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

Di´rio Im&ocute;veis

Di´rio Motors

Esqueci minha senha
Informe o e-mail utilizado por você para recuperar sua senha no Diário da Região.

Já sou assinante

Para continuar lendo esta matéria,
faça seu login de acesso:

É assinante mas ainda não possui senha? Clique Aqui!
É assinante mais quer redefinir sua senha? Clique Aqui!

Assine o Diário da Região Digital

Para continuar lendo, faça uma assinatura do Diário da Região e tenha acesso completo ao conteúdo.

Assine agora

Pacote Digital por apenas R$ 16,90 por mês.
OUTROS PACOTES


ou ligue para os telefones: (17) 2139 2010 / 2139 2020

Cadastro Grátis
Diário da Região
Clique no botão ao lado e agilize seu cadastro importando seus dados básicos do facebook
Sexo
Defina seus dados de acesso