X
X

Diário da Região

23/11/2017 - 17h28min / Atualizado 23/11/2017 - 17h28min

DIVERSIDADE

Guigo Offline vence prêmio do júri no Festival Mix Brasil

Reprodução Ator Caco Ciocler em cena do filme Guigo Offline
Ator Caco Ciocler em cena do filme Guigo Offline

O Festival Mix Brasil da Cultura da Diversidade anunciou na noite desta quarta-feira, 22, os vencedores da sua 25ª edição. Na Mostra Competitiva Brasil, o filme Guigo Offline, de Renê Guerra, recebeu o prêmio do júri de melhor longa-metragem.

Na cerimônia, no Centro Cultural São Paulo, foi premiado também o filme Afronte, de Bruno Victor e Marcus Azevedo, escolhido pelo júri como o melhor curta-metragem. Além de vencer os chamados Coelhos de Ouro, as duas produções também receberão os prêmios Dotcine, CTAV e Mistika, de incentivo à realização de seus novos projetos audiovisuais, por meio de uma parceria do Festival Mix Brasil com apoiadores da área cinematográfica.

Em sua premiação, o Festival Mix Brasil lembrou ainda outros trabalhos que participaram da edição em 2017. No prêmio do júri da Mostra Competitiva Brasil para Médias e Longas-metragens, Carolina Jabor venceu o troféu de melhor direção por Aos Teus Olhos. Já Alguma Coisa Assim ficou com os prêmios de melhor roteiro, para Esmir Filho e Mariana Bastos, e melhor interpretação para Caroline Abras. Na categoria, Meu Nome é Jacque, de Angela Zoé, e Serguei, o Último Psicodélico, de Ching Lee e Zahy Tata Purgte, tiveram menções honrosas.

Já no prêmio do júri da Mostra Competitiva Brasil para Curtas-metragens, o troféu de melhor direção foi para Andréia Pires e Leonardo Mouramateus, por Vando Vulgo Vedita. Paulo Roberto levou o de melhor roteiro por Stanley e Gilda Nomacce de melhor interpretação por Minha Única Terra é na Lua. A menção honrosa foi para Estamos Todos Aqui, de Chico Santos e Rafael Mellim.

O Festival Mix Brasil entregou ainda prêmios elegidos pelo público. Entre os longa-metragens, Luana Muniz - Filha da Lua, de Rian Córdova e Leonardo Menezes, venceu na categoria nacional e Close-Knit, de Naoko Ogigami, venceu como internacional. Entre os curtas, o prêmio nacional ficou com Estamos Todos Aqui e o internacional ficou com Mario, Kike e David, de Miguel Lafuente.

Confira, abaixo, outros prêmios entregues pelo festival em sua 25ª edição:

Prêmio Ícone Mix: Gus Van Sant

Prêmio Suzy Capó: peça Desmesura, do Grupo Teatro Kunyn

Prêmio Mix HIV: Meu Nome é Jacque, de Angela Zoé

Prêmio Canal Brasil de Incentivo ao Curta Metragem: Dandara, de Flávia Ayer e Fred Bottrel

Prêmio SescTV: Vaca Profana, de René Guerra

Prêmio Show do Gongo: Confessions, de Rafael Saparelli

Prêmio Ida Feldman: Maria Clara Spinelli

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Diário da Região. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Diário da Região poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

Di´rio Im&ocute;veis

Di´rio Motors

Esqueci minha senha
Informe o e-mail utilizado por você para recuperar sua senha no Diário da Região.

Já sou assinante

Para continuar lendo esta matéria,
faça seu login de acesso:

É assinante mas ainda não possui senha? Clique Aqui!
É assinante mais quer redefinir sua senha? Clique Aqui!

Assine o Diário da Região Digital

Para continuar lendo, faça uma assinatura do Diário da Região e tenha acesso completo ao conteúdo.

Assine agora

Pacote Digital por apenas R$ 16,90 por mês.
OUTROS PACOTES


ou ligue para os telefones: (17) 2139 2010 / 2139 2020

Cadastro Grátis
Diário da Região
Clique no botão ao lado e agilize seu cadastro importando seus dados básicos do facebook
Sexo
Defina seus dados de acesso