Diário da Região

05/10/2017 - 21h39min

Arte e Identidade de Gênero

Estímulo à sexualidade precoce nas escolas?

Fico pensando quem irá se dispor a ser professor neste país daqui pra frente. Deus ajude

Fico pensando quem irá se dispor a ser professor neste país daqui pra frente. Deus ajude.

Acompanho nas redes sociais o bafafá em torno da exposição no MAM que gerou revolta e histeria nacional, na onda do "Queermuseu".

Sobre o tema e a exposição em si, pelos fragmentos lançados nas redes, só posso lamentar pelo mal gosto, pela falta de relevância, pela vulgarização. Acontece em muitas exposições, o sujeito bancando o Adão já foi considerado cult.

Duro é assistir pessoas se tomarem de extrema afronta à moralidade, os mesmos que sentam em festinhas infantis ouvindo "meu p...te ama" e comendo coxinha. Antes disso era sentar na boquinha da garrafa, e estava tudo certo.

O grito social lançado contra uma infeliz exposição agora toma corpo e toda a rede de ensino deve responder por apologia à identidade de gênero. Um crime.

EXISTE um fomento à sexualidade nas escolas? Ou temos professores despreparados para lidar com uma população de jovens e crianças abandonadas pelos pais e precocemente sexualizada em função de nossa degradação social e cultural?

O que nos falta é investimento em empregos, infraestrutura para o trabalho e qualidade de vida para que as pessoas consigam sustentar lares e educar seus filhos em torno de uma família unida, com valores morais mais dignos. Isso é que falta e é por isso que deveríamos estar gritando.

Temos uma sociedade extremamente vulgar, sexualizada e pedófila, marcada por números escandalosos de abuso infantil e molestamentos sexuais, exorbitante em falta de modelos e recursos para o trabalho, principalmente nas regiões mais empobrecidas.

Pornográfica ao tratar os recursos públicos e fútil em todas as camadas sociais. Como disse a polêmica artista: "Palavrão, mesmo que ninguém assuma, é a miséria, a falta de respeito, é a sacanagem que estão fazendo com o povo. Isso que é palavrão."

Dizer que professor estimula a sexualidade ou homossexualismo é uma barbaridade. Quem o faria? E por quê?

Quem atira pedra em exposição de arte, por mais horrível que seja! e agora pensa em jogar pedras em toda a rede pública de ensino, poderia refletir melhor sobre o assunto ou pegar um bom livro pra ler, por que as revoluções, assim como as pessoas, estão cada dia mais vazias.

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Diário da Região. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Diário da Região poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

Di´rio Im&ocute;veis

Di´rio Motors

Esqueci minha senha
Informe o e-mail utilizado por você para recuperar sua senha no Diário da Região.

Já sou assinante

Para continuar lendo esta matéria,
faça seu login de acesso:

É assinante mas ainda não possui senha?
Não lembro a minha senha!

Assine o Diário da Região Digital

Para continuar lendo, faça uma assinatura do Diário da Região e tenha acesso completo ao conteúdo.

Assine agora

Pacote Digital por apenas R$ 16,90 por mês.
OUTROS PACOTES


ou ligue para os telefones: (17) 2139 2010 / 2139 2020

Cadastro Grátis
Diário da Região
Clique no botão ao lado e agilize seu cadastro importando seus dados básicos do facebook
Sexo
Defina seus dados de acesso