Diário da Região

30/09/2017 - 13h57min

MAIS IMÓVEIS

Em sete meses, lançamento imobiliário iguala 2016 inteiro

Os empreendimentos são para diferentes perfis de consumidores, populares a alto padrão

Divulgação/Grupo Pacaembu Residencial Vida Nova Dignidade, na zona norte de Rio Preto, terá 1.536 casas populares
Residencial Vida Nova Dignidade, na zona norte de Rio Preto, terá 1.536 casas populares

O mercado imobiliário de Rio Preto começa a dar sinais de que está saindo da intensa crise que vive há pelo menos dois anos. Neste ano, já houve o mesmo número de lançamentos do ano passado. Estudo do Sindicato da Construção Civil (Sinduscom) mostra que foram nove, entre janeiro e julho, o mesmo registrado em 2016 inteiro. Os empreendimentos são para diferentes perfis de consumidores, populares a alto padrão.

Inicialmente, o estudo apontava o lançamento de dez empreendimentos na cidade, mas uma construtora, a Brasil Batistella, adiou o projeto em função de não ter condições de executá-lo e manteve suas atividades concentradas na região onde atua, Piracicaba e Araras. A empresa até pensa em vender o projeto para outras construtoras.

Neste ano, os lançamentos residenciais ficaram a cargo das empresas Rodobens, MRV, Hugo Engenharia, Lupema, Buck e grupo Pacaembu. O estudo não revela um dos empreendedores. Ao todo, são 136.469 metros quadrados de imóveis em 2017. No ano passado, foram 130.839 metros em nove lançamentos, o que mostra alta de 4,30%.

Para o diretor da regional do Sinduscom de Rio Preto, Germano Hernandes Filho, a melhora do crédito, impulsionada pela redução dos juros, tem animado os investidores que decidem fazer lançamentos. Esse já é um bom sinal, já que a cadeia da construção é longa, exige prazo para aprovação do projeto, início de vendas e construção em si. “Com a queda dos juros, os investidos procuram outras alternativas para investir e o mercado imobiliário é um deles”.

Segundo o diretor do Sindicato da Habitação, Alessandro Nadruz, os consumidores já estão começando a procurar mais informações sobre imóveis, pesquisando preços. Agora, a oferta está boa e os preços dos usados que estavam fora da realidade já foram ajustados de acordo com o que o mercado determina. “Está um bom momento para comprar porque os juros dos financiamentos estão em queda. Se a Selic continuar caindo, a tendência é de que os financiamentos imobiliários fiquem mais atrativos.”

Popular

Dos nove projetos anunciados para este ano, três têm características populares. O grupo Pacaembu está construindo o residencial Vida Nova Dignidade, na zona norte de Rio Preto. No bairro planejado serão 1.536 casas com 45,47 metros quadrados de área construída. Cada imóvel custa R$ 119.990, com subsídio de até R$ 42,2 mil pelo programa habitacional Minha Casa Minha Vida.

A MRV está comercializando dois empreendimentos. O Rio Araguaia tem 224 unidades com preço médio de R$ 140 mil. O Rio Paraná conta com 400 unidades e preço médio de R$ 128 mil. Esse último dentro da faixa 1,5 salário do programa Minha Casa Minha Vida. Os empreendimentos contam área de lazer.

A construtora Buck lançou dois edifícios verticais e ainda prepara mais um até o fim do ano. O Santa Paulina, na Vila Itália, é residencial e tem 28 unidades habitacionais, com área média de 62,70 metros quadrados e valor médio de R$ 313,5 mil. O edifício residencial Phoenix, na Vila Ideal, tem 22 unidades com apartamentos de área média de 69,7 metros quadrados e valor médio de R$ 348,4 mil.

A empresa ainda vai lançar o Electra, com 40 unidades, no Higienópolis, ao custo de R$ 258,6 mil a unidade. Os apartamentos têm 51,74 metros quadrados.

A Rodobens Negócios Imobiliários prepara o lançamento do Green Home, um empreendimento de alto padrão na Avenida Juscelino Kubitschek de Oliveira, na Zona Sul da cidade. Em estilo contemporâneo, o Green Home terá duas torres, totalizando 136 unidades, e completa estrutura de lazer, com piscina, churrasqueira, salão de festas, brinquedoteca e etc.

O lançamento da Hugo Engenharia foi o Reserva dos Gûyrás, na avenida Juscelino Kubitscheck, que já teve 85% das unidades vendidas. O empreendimento oferece uma opção de planta com duas suítes, lavabo e varanda gourmet, com 65,80 metros quadrados (já vendidas) e outra com três dormitórios, sendo uma suíte, lavabo e varanda gourmet, com 80 metros quadrados. O valor médio é R$ 393 mil.

A Lupema Engenharia lançou o Lutz Santa Cruz Residence, um empreendimento com dois dormitórios, duas vagas na garagem, sacada gourmet e lazer completo. O valor médio por unidade é de R$ 320 mil e o valor geral de vendas é de R$ 22 milhões.

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Diário da Região. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Diário da Região poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

Di´rio Im&ocute;veis

Di´rio Motors

Esqueci minha senha
Informe o e-mail utilizado por você para recuperar sua senha no Diário da Região.

Já sou assinante

Para continuar lendo esta matéria,
faça seu login de acesso:

É assinante mas ainda não possui senha?
Não lembro a minha senha!

Assine o Diário da Região Digital

Para continuar lendo, faça uma assinatura do Diário da Região e tenha acesso completo ao conteúdo.

Assine agora

Pacote Digital por apenas R$ 16,90 por mês.
OUTROS PACOTES


ou ligue para os telefones: (17) 2139 2010 / 2139 2020

Cadastro Grátis
Diário da Região
Clique no botão ao lado e agilize seu cadastro importando seus dados básicos do facebook
Sexo
Defina seus dados de acesso