SÃO JOSÉ DO RIO PRETO | QUINTA-FEIRA, 07 DE JULHO DE 2022
Rio Preto em Foco

Cine Theatro São Pedro, o 'Palácio da Alegria'

A inauguração do teatro, em Mirassol, foi matéria de capa no extinto jornal "A Notícia", de Rio Preto, e sua construção foi retratada no filme "Uma Estrela no Sertão", de 2010, produzido pela Rio Preto em Foco Filmes

Cesar Belisario
Publicado em 01/03/2020 às 00:30Atualizado em 07/06/2021 às 05:56
Em 1994 o prédio passou a chamar-se "Casa de Cultura Dr. Ariovaldo Corrêa" (Rio Preto em Foco Filmes)

Em 1994 o prédio passou a chamar-se "Casa de Cultura Dr. Ariovaldo Corrêa" (Rio Preto em Foco Filmes)

Inaugurado em 16 de janeiro de 1929, o "Cine Theatro São Pedro", de Mirassol, recebeu matéria de capa do jornal "A Notícia", de Rio Preto, no dia da sua inauguração, destacando o grande número de presentes, que se acotovelaram no interior do prédio, excedendo todas as expectativas. A reportagem destaca também a apresentação "triumphal" de várias bandas de músicas da região, seguida de palavra do orador oficial, o dr. Thetônio Monteiro de Barros Filho, antes do espetáculo inaugural, a peça teatral "Rosas de todo ano", de Júlio Dantas, encenada pelas atrizes Alma de Andrade e Cecy Braga, da Cia. Teatral Carrara Zapparoli.

Foi um furor em toda a região. A história da construção do Cine Theatro está registrada no filme "Uma Estrela no Sertão", produzido pela Rio Preto em Foco Filmes, em 2010. Na época, o prédio estava recebendo mais uma reforma e acreditava-se que em breve seria reinaugurado. Infelizmente, porém, isto não aconteceu.

Convidamos, na época, um filho da terra, o jornalista e professor Humberto Baitello, para percorrermos juntos o prédio. Foi uma grande emoção. Até o projetor, pedaços de filmes e a velha bilheteria estavam lá. Baitello foi descrevendo como tudo aconteceu, desde que o jovem Cândido Brasil Estrela, nascido em 1893, em Santa Maria Madalena (RJ), chegou a Rio Preto com sua família, no início da década de 1920, após um curto período em São Paulo.

Cândido, que se tornou um dos maiores fazendeiros e cafeicultores de toda região, fundou as cidades de Bálsamo, em 1920, e Mira Estrela, em 1941, e fixou residência em Mirassol, de onde nunca mais saiu, até a sua morte, em 1964. Gostou tanto da cidade que resolveu construir, por sua conta própria, um "Palácio da Alegria" para o povo. Diz ainda que, do curto período na capital, Cândido adquiriu amizade com o grande arquiteto Ramos de Azevedo (que projetou o Teatro Municipal da capital), que lhe fez o ousado projeto do primeiro prédio de três andares de toda a região. É mole?

O Cine Teatro São Pedro tornou-se, na época, o maior teatro, cinema e casa de espetáculos de toda região. Em 1984 foi fechado definitivamente. Em 1985, a Prefeitura desapropriou e adquiriu a edificação para que não fosse comprada por pessoas interessados em transformá-la em comércio. O prédio passou por reformas, mas não perdeu a sua fachada original. Apenas a marquise foi ampliada para abrigar as três portas da edificação, que antes cobria somente a porta central. Em 1994 ele passou a chamar-se "Casa de Cultura Dr. Ariovaldo Corrêa", mas até hoje está fechado.

Uma pena. Humberto Baitello, infelizmente, não chegou a ver o filme pronto. Ele faleceu em novembro de 2010, num acidente automobilístico, no quilômetro 444, da rodovia Washington Luís, quando voltava para a sua Mirassol.

Cine Teatro São Pedro, 1953: na época áurea, referência regional

Evento realizado no Cine Teatro São Pedro em 1945

Professor Humberto Baitello: memórias em preto e branco

 
Grupo Diário da Região.© Copyright 2022É proibida a reprodução do conteúdo em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização.
Distribuído por
Publicado no
Desenvolvido por