SÃO JOSÉ DO RIO PRETO | QUINTA-FEIRA, 07 DE JULHO DE 2022
Rio Preto em Foco

Coluna apresenta uma "turnê" pelos antigos carnavais de Rio Preto

Coluna relembra o tradicional carnaval do Automóvel Clube, onde surgiu a escola de samba Sambaderna

Cesar Belisario
Publicado em 23/02/2020 às 00:30Atualizado em 07/06/2021 às 06:45
A escola de samba Sambaderna na folia de 1970 (Fotos: Divulgação/Acervo Automóvel Clube)

A escola de samba Sambaderna na folia de 1970 (Fotos: Divulgação/Acervo Automóvel Clube)

O Rio Preto automóvel Clube é o primeiro clube da cidade. Fundado em maio 1920, o clube completa 100 anos de idade neste ano. O clube teve sua primeira sede própria construída na esquina das ruas Silva Jardim e Voluntários de São Paulo, que foi inaugurada no Réveillon de 1925. Ali aconteceram os carnavais mais glamourosos de toda nossa história. Craque da fotografia, o alemão Otto Wierman fez fotos belíssimas e históricas dos carnavais das décadas de 1930 e 1940, quando ainda se brincava de terno e gravata.

A nata da grã-finagem rio-pretense, entre eles prefeitos e deputados sempre estiveram presentes nas festas e na história do clube. E desde esta época o clube já atuava no carnaval de rua da cidade, que acontecia na rua Bernardino de Campos. Foi o pioneiro na cidade em montagem e desfile de carros alegóricos. Já desceu no carnaval do final da década de 1920 e no início da década de 1930 com vários carros alegóricos, puxados por bois. Um luxo pra época. Nos anos seguintes inúmeros comerciantes também montavam seus carros e desciam no corso.

Com a inauguração da nova sede, na avenida Alberto Andaló, início da década de 1960, o carnaval do clube passou a ser um dos mais badalados de toda a região. Com o seu imponente salão de festas, o primeiro na cidade com um mezanino, o "clube da elite", como era chamado, promovia nesta época um carnaval luxuoso, com inúmeros e enormes blocos carnavalescos. Uma grande orquestra era montada no palco, com músicos se revezando, para que o som não parasse.

Em 1970, comemorando 50 anos da sua fundação, o clube montou uma grande orquestra e trouxe do Rio de Janeiro o famoso maestro Aristides Zacarias. Ele nasceu em Jaboticabal em 1909, mas veio para Rio Preto com a família quando tinha apenas dois anos de idade. Com a sua orquestra, ele atuou no Cassino da Urca e no Copacabana Palace. Foi também regente das orquestras da TV Excelsior, TV Globo, TV Tupi. Um gigante.

Voltando na década de 1960, jovens associados passaram a levar seus instrumentos e a fazer um "esquenta", no hall de entrada do clube. Com o tempo, muitos foram chegando e o lugar ficou pequeno. Então resolveram montar uma escola de samba de verdade: a "Sambaderna". Sob a batuta de José Cunha, o famoso e popular "Mestre Boca", a Sambaderna partiu para o carnaval de rua da cidade e fez bonito! Ganhou o carnaval de rua de 1972, ainda na rua Bernardino de Campos, com o tema "O Circo".

A Sambaderna ainda agitou os carnavais do clube por mais de duas décadas. A partir da década de 1980, surgem as baterias de carnaval nos clubes e o Automóvel clube, novamente sob a regência do inigualável Mestre Boca, foi o precursor. Pela primeira vez, sambas de enredo das escolas do Rio e de São Paulo tocavam no carnaval de salão. Um marco de divisa do nosso carnaval.

Bateria do Mestre Boca em carnaval do Automóvel Clube

Acima e abaixo, Sambaderna em desfiles na rua Bernardino de Campos

(Acervo Automóvel Clube)

Carnaval no Automóvel Clube, na sequência, em 1934, 1965 e 1972: salão de festas recebia prefeitos, deputados e toda a alta sociedade rio-pretense

carnaval_1965

 
Grupo Diário da Região.© Copyright 2022É proibida a reprodução do conteúdo em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização.
Distribuído por
Publicado no
Desenvolvido por