SÃO JOSÉ DO RIO PRETO | QUINTA-FEIRA, 07 DE JULHO DE 2022
A CASA DE CULTURA

Coluna resgata a história da Casa de Cultura, iniciada em 1968

Filme fotográfico da inauguração da Casa de Cultura Dinorath do Valle, de 1968, revela imagens do local, que funciona ao lado do Teatro Municipal

Cesar Belisario
Publicado em 09/02/2020 às 00:30Atualizado em 07/06/2021 às 07:26
Prédio da Casa de Cultura, que funciona ao lado do Teatro Municipal (Arquivo Público Municipal)

Prédio da Casa de Cultura, que funciona ao lado do Teatro Municipal (Arquivo Público Municipal)

Não temos quase nada de registros sobre a cultura em Rio Preto até o início do século 20. Até aí, sabíamos que a cidade tinha a sua banda musical, conhecida como "Banda do Pedro Amaral", criada por volta de 1898 e era dirigida pelo maestro José Severino do Amaral Sales, irmão por parte de pai do histórico político e coronel Pedro Amaral. Sabíamos também que alguns circos instalaram-se na cidade no terreno na rua Antônio Olympio (hoje Voluntários de São Paulo), próximo ao Eden Parque, primeira casa de espetáculos na cidade, com cinema e bar, inaugurada em 24 de março de 1912.

Nas décadas seguintes, muitas bandas surgiram, como a "Jazz Paratodos", (depois "Orquestra Paratodos"), animando os finais de semana no "Jardim Velho" (como era chamada a Praça Dom José Marcondes) e os primeiros carnavais de rua da cidade, que aconteciam na rua Bernardino de Campos. A Orquestra Sinfônica fez seu primeiro concerto oficial somente em 12 de janeiro de 1942, no Cine Teatro Rio Preto, sob a regência do maestro Arthur Ranzini. Rodas literárias e concursos de poesia aconteciam apenas em manifestações e festas cívicas.

A primeira Casa de Cultura da cidade foi fundada em 30 de julho de 1946, e teve como seu primeiro presidente o advogado e jornalista Olympio Rodrigues dos Santos. Em 4 de dezembro de 1946, o jornal "A Notícia" trouxe matéria de destaque para a instalação do núcleo da Associação Brasileira de Escritores (ABDE) e da Casa de Cultura, na rua Siqueira Campos, 584, sede do Conservatório Musical, que também serviu de sede provisória da Casa de Cultura. Com a presença ilustre de comitiva de São Paulo, com Paulo Mendes de Almeida, vice-presidente da ABDE, o filósofo João Cruz Costa e o crítico de arte Lourival Gomes Machado, foi realizada a I Exposição de Desenho e Pintura.

Em 1947 a Casa de Cultura, ainda sem uma sede própria, organizou o "Álbum Casa de Cultura", sob a coordenação do seu diretor Basileu Toledo França. O álbum faz um pequeno roteiro escrito da nossa história desde a fundação, seus doadores, a escolha do nome e a primeira casa, recheado com fotos exclusivas tiradas pelos fotógrafos Joaquim Portela Santos (Quin-Quim) e Lauro Pietsch. Mas foi somente em 1968, na gestão do prefeito Lotf João Bassitt, que a Casa de Cultura ganhou sua tão sonhada sede, na praça Cacilda Becker, que hoje fica ao lado do Teatro Municipal.

Para dirigi-la, a professora e escritora Dinorath do Valle, que acabou tendo o seu nome escolhido para dar nome à Casa de Cultura. Até pouco tempo tínhamos apenas algumas poucas fotos da inauguração. Mas, recentemente, descobrimos o filme da inauguração no lote de latas de filmes da Jotacê Filmes, companhia de documentários de Jaime Colagiovanni e Amaury Júnior, com a presença do governador Abreu Sodré. Maravilha de imagens

Jornal "A Notícia", de 1946, com reportagem sobre a instalação da Associação Brasileira dos Escritores e da Casa da Cultura em Rio Preto

Fachada, já com o nome da professora

 
Grupo Diário da Região.© Copyright 2022É proibida a reprodução do conteúdo em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização.
Distribuído por
Publicado no
Desenvolvido por