RIO PRETO

Novos caminhos da mobilidade urbana de Rio Preto

Novo Terminal Urbano, complexo viário da região norte, corredores de ônibus, 200 km de recapes e a construção de Anel Viário de 35 km interligando a BR-153 e a Washington Luís mudam o jeito de ir e vir


    • máx min
- Fotos: Prefeitura de Rio Preto - 24.Dez.2019

Até o final de 2020, quem acessar São José do Rio Preto pelo Km 444 da rodovia Washington Luís, em direção à região norte, poderá chegar rapidamente à rodovia BR-153, do outro lado da cidade, na altura da avenida Belvedere, utilizando uma grande via expressa.

Esse será um dos trechos do novo Anel Viário em construção, que já teve os três primeiros trechos liberados ao tráfego: entre a Vila Madalena e o Conjunto Habitacional Rio Preto I; na avenida Abelardo Menezes, nos dois sentidos de direção; e na interligação da avenida Abelardo Menezes com a Benedito Rodrigues Lisboa, próximo ao Georgina Business Park, passando pela avenida Anísio Haddad.

Quando os 35 quilômetros do Anel estiverem concluídos, todos os bairros da cidade estarão interligados, diminuindo o tempo gasto no carro, na moto ou no ônibus para chegar de um ponto a outro.

Dos 35 quilômetros, 22 estavam prontos, mas com trechos interrompidos por conta de obstáculos, como fundos de vale ou áreas particulares que impediam a continuidade de trechos de ruas e avenidas.

Os 13 quilômetros novos do Anel Viário custarão, ao todo, cerca de R$ 50 milhões, e a conclusão está prevista para o final de 2020. O projeto aproveita o traçado dos linhões da rede de distribuição de energia elétrica. Uma ideia simples, mais barata e funcional.

Terminal: conforto, segurança e rapidez

O novo Terminal Urbano, entregue em novembro, já se tornou um ponto de encontro dos rio-pretenses. As instalações oferecem mais conforto e segurança.

Cerca de 75 mil pessoas circulam pelo terminal diariamente. O jardim suspenso possui área de lazer e uma passarela que liga à rua Pedro Amaral, onde fica o antigo terminal, que será reformado para receber ônibus suburbanos.

Com a entrega dos novos corredores exclusivos, no próximo dia 6 de janeiro, os ônibus terão prioridade em horário de pico nas principais avenidas e ruas da cidade, dando mais rapidez ao transporte coletivo.

Parte dos ônibus possui ar-condicionado e toda a frota já opera com ‘Wi-Fi’.

Viaduto Yolanda Bassitt: fim do gargalo

A região norte de Rio Preto ganhou um novo acesso que pôs fim ao gargalo existente na rotatória da avenida Ernani Pires Domingues, com a Mirassolândia e a Falavina. O complexo de viadutos Yolanda Bassitt tem seis alças de acesso e recebeu investimentos de R$ 25,7 milhões.

Um outro acesso à região norte já está em construção na rua Izidoro Pupim. A passagem dos veículos será sob a linha férrea. A obra atende uma antiga reivindicação dos moradores e elimina uma travessia perigosa, em nível, na linha do trem.

 Conteúdo apresentado por