SÃO JOSÉ DO RIO PRETO | QUINTA-FEIRA, 07 DE JULHO DE 2022
Rio Preto em Foco

Nossos compositores e os festivais de MPB

Além de sacudir Rio Preto, eventos musicais revelaram inúmeros músicos e compositores

Fernando Marques
Publicado em 21/10/2018 às 00:30Atualizado em 08/07/2021 às 00:08
Festival em 1986 na Swift:
Paulo Buchala, Fernando Marques,
Oswaldir Castro, Zé Minto,
Willian Bassitt e Eli Buchala (Fotos: Rio Preto em Foco Filmes)

Festival em 1986 na Swift: Paulo Buchala, Fernando Marques, Oswaldir Castro, Zé Minto, Willian Bassitt e Eli Buchala (Fotos: Rio Preto em Foco Filmes)

Até a década de 1960, havia poucos compositores em nossa cidade, como Rubens Muanis e Jaime Ferreira. Mas, infelizmente, não há registros fonográficos destas composições. Em 1961, o baixista e cantor Balthazar emplacou sua música "Mocidade Legal", no disco "Baile Moderno", da Orquestra Os Modernistas, lançado pela gravadora Chantecler.

O primeiro disco autoral foi do grupo The Five Kings, um compacto simples que trazia a música "Não Consigo Acreditar", de autoria de Wagner e Peeter. O músico Roberto Corrêa teve duas músicas suas gravadas no disco do Coral do Teatro Municipal, de 1976: "Cantança" e "Caruaru", esta uma parceria com Mário Gíglio.

Na sequência, veio o compacto "Moleque da Mãe", de Vicente Serroni, gravado em 1980 nos Estúdios Vice-Versa, em São Paulo. O disco trazia de um lado a música título, composta por Serroni, e do outro a música "Heróis e Vilões", de Altino Bessa Marques Filho.

No início da década de 1980, o Grupo Realejo, liderado por Cesar Menegette, Lory e Benê Ferreira, gravou dois LPs: "Sonho de Adulto" e "Anjo", dando o pontapé inicial aos discos autorais na cidade.

Em 1986, eu e o hoje promotor de Justiça Eli Buchala, lançamos o nosso LP "Improviso", gravado no Estúdio FBS, da Banda Fascinação, em Taquaritinga.

Mas esta febre foi motivada pela participação ativa em nossos festivais de música. Aconteceram alguns ainda no final da década de 1960, no auditório do Colégio Monsenhor Gonçalves. Mas os que marcaram época mesmo foram o Festival FAMUS, realizado pelo Rio Preto Automóvel Clube (que teve sua primeira edição em 1971 e a última em 1986) e os festivais realizados pela Prefeitura, uma iniciativa do vereador Eduardo Nicolau.

Os festivais revelaram inúmeros compositores, como Cacau Lopes, Welson Tremura, Alceu Cecato, Vicente Serroni, Clodoaldo Canizza, José Celso Barbeiro, Edson Crepaldi, Jorge Bechara Abib e o Grupo Realejo, entre tantos.

Mas quem sacudiu mesmo as estruturas do festival foi o Grupo Contra Indicação, formado pelos médicos Valdemar Luís e Cesar Watanabe, os engenheiros Roberto de Carvalho e Emerson Martini e o publicitário Cássio Batista. Eles foram os primeiros a introduzir o rock no festival. Com letras irreverentes, como "Black River Rock" e "Embalos de Terça à Noite" (uma sátira sobre as sessões da Câmara), eles chegaram para mudar a história dos festivais.

Nesta época, os quatro primeiros colocados entravam no disco compacto do festival. Dois discos foram gravados nesta época, registrando os festivais de 1985, realizado no Teatro Municipal, e o de 1986, realizado na Swift. Em 1990 e 91, Vicente Serroni e eu promovemos o "FRIM (Festival Rio-pretense de Música"). O FEM (Festival de Música Vinícius Nucci Cucolicchio) só veio na virada do ano 2000 e já está na sua 13ª edição. Mas aí já é outra história...

Contra capa do compacto do festival 1986; Grupo Contra Indicação: Emerson Martini , César Watanabe, Waldemar, Cássio Batista e Beto Carvalho (Fotos: Rio Preto em Foco Filmes)

Contra capa do compacto 1986 Eli Buchala, Jorge Bechara e Fernando Marques (Fotos: Rio Preto em Foco Filmes)

Contra-capa compacto 1986: Fernanda Salabarrios, Altino Bessa Marques, Edson Crepaldi, Zé Augusto Alves, Luiz Papini, Oswaldir Castro e César Menegette (Fotos: Rio Preto em Foco Filmes)

Disco do The Five Kings (Fotos: Rio Preto em Foco Filmes)

Capa do disco de os Modernistas (Fotos: Rio Preto em Foco Filmes)

Capa do disco "Moleque da mãe", de Vicente Serroni (Fotos: Rio Preto em Foco Filmes)

Capa do compacto do festival de 1985 (Fotos: Rio Preto em Foco Filmes)

Compacto de festival local (Fotos: Rio Preto em Foco Filmes)

Na sequência, Cesar Menegette, Vendramini, Serginho, Welson Tremura, Altino Bessa Marques, Jonei Rodrigues e Oswaldir Castro (Fotos: Rio Preto em Foco Filmes)

Cacau Lopes durante Festival no Teatro Municipal (Fotos: Rio Preto em Foco Filmes)

O vereador Eduardo Nicolau realizava festivais de música (Fotos: Rio Preto em Foco Filmes)

 
Grupo Diário da Região.© Copyright 2022É proibida a reprodução do conteúdo em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização.
Distribuído por
Publicado no
Desenvolvido por