SÃO JOSÉ DO RIO PRETO | QUINTA-FEIRA, 07 DE JULHO DE 2022
Rio Preto em Foco

E o Oscar vai para... Os 'atores' de nossa terra

Entre os artistas, Edinho Araújo, nos seus tempos de prefeito de Santa Fé do Sul, interpretando ele mesmo no filme "Estrada da Vida", a história de Milionário e Zé Rico sob a direção do cineasta Nelson Pereira dos Santos, que nos deixou na última semana

Fernando Marques
Publicado em 28/04/2018 às 20:25Atualizado em 08/07/2021 às 09:47

O Brasil perdeu neste mês o cineasta Nelson Pereira dos Santos. Ele foi um dos mais importantes cineastas do país e um dos precursores do Cinema Novo. Seu filme "Vidas Secas", baseado na obra de Graciliano Ramos, é uma das obras cinematográficas brasileiras mais premiadas em todos os tempos. "Rio, 40 graus", "Rio, Zona Norte", "Memórias do Cárcere" e "Jubiabá" são alguns de seus grandes filmes. Um gigante.

E Nelson acabou envolvendo a região de Rio Preto em sua obra. Em 1980, dirigiu "Estrada da Vida", filme que conta a história da dupla sertaneja Milionário & José Rico, dois rapazes do interior que foram tentar a vida em São Paulo. Eles se uniram para chegar ao estrelato, ao mesmo tempo em que trabalhavam como pintores de parede.

O filme competiu no festival de cinema de Brasília com outros 300 filmes e ficou em primeiro lugar. Foi vendido para 15 países e levou a dupla a se apresentar na China.

A obra tinha no elenco a badalada atriz Nádia Lippi e os experientes atores Manfredo Bahia e Raimundo Silva, entre outros. Mas quem "rouba a cena", logo nas primeiras imagens do filme, é o jovem prefeito de Santa Fé do Sul, Edinho Araújo, hoje prefeito de nossa cidade. A cena se passa em um rodeio em Santa Fé, onde Edinho até faz um discurso e anuncia a dupla, que ainda está a caminho, de carro. No final, seu nome aparece nos créditos como "participação especial". Um luxo.

Outro de Rio Preto em destaque é Waldemar de Freitas Assunção. A dupla canta no filme a música "Jogo do Amor", sua parceria com José Rico. Nascido em Borboleta (hoje Bady Bassitt), Waldemar teve várias de suas composições gravadas por inúmeras duplas sertanejas, como Chitãozinho e Xororó, João Mineiro e Marciano, Zezé de Camargo e Luciano, entre outras. Quem nunca viu (e ouviu) a sua caminhonete pelas ruas, com o som do "modão", no último volume, não é de Rio Preto.

Outro filme em que aparecem rio-pretenses é "João de Barro", de Raffaele Rossi, gravado no distrito de Talhado, em 1970. Nele estão os casais Osvaldo e Ana Maria Feroldi e José e Domitila Sarkis (padrinhos do casamento), além do folclórico radialista Cuiabano, que faz uma ponta, "tomando uma", no bar da cidade.

Os próprios munícipes foram os figurantes no filme, que conta a história de João de Barro, um rapaz ingênuo, cobiçado pelas moças da cidade. Mas para João, só existem as canções sertanejas que canta enquanto trabalha na olaria da cidade. O cantor Ivan Carlos faz o papel de João de Barro.

(Fotos: Rio Preto em Foco)

VIDA LEVA EUrEstilo de vida que ganha adeptos e produz resultado para o corpo e a mente, o Slow Moviment não propor exatamente o "devagar, devagarinho', mas a busca de um ritmo equilibrado (Mara Sousa 19/4/2018)

(Edson Baffi)

 
Grupo Diário da Região.© Copyright 2022É proibida a reprodução do conteúdo em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização.
Distribuído por
Publicado no
Desenvolvido por