SÃO JOSÉ DO RIO PRETO | QUINTA-FEIRA, 07 DE JULHO DE 2022
Rio Preto em Foco

Os postos Guarujá e Elefantinho

Empreendimentos marcaram época e impulsionaram o crescimento econômico de Rio Preto

Fernando Marques
Publicado em 15/04/2018 às 00:30Atualizado em 08/07/2021 às 10:26

No final de 1963, o prefeito Philadelpho Gouveia Neto era sucedido pelo médico Lotf João Bassitt. A cidade já tinha tido um grande progresso, a partir do primeiro governo de Philadelpho, de 1952 a 1955, com a construção do Palácio das Águas e da Represa, chegando no revolucionário governo de Alberto Andaló, de 1956 a 1959, quando trouxe para Rio Preto o engenheiro Heitor José Eiras Garcia, autor do importante plano de zoneamento, promovendo inúmeras obras na cidade.

Philadelpho ainda voltaria à prefeitura, elegendo-se para os anos de 1960 a 1963, construindo entre outras obras as avenidas Bady Bassitt e Fernando Costa, a ponte Maria Benta e a canalização do rio Preto, onde hoje é a avenida que leva seu nome. Lotf também fez importantes obras, como a construção do Paço Municipal e o viaduto Governador Abreu Sodré (sobre os trilhos da Fepasa).

Mas até 1966, as duas principais avenidas da cidade, Andaló e Bady Bassitt, ainda estavam incompletas. A Andaló parava na rua Independência e a última construção da Bady era o Posto Buzzini, nas proximidades do auditório da Acirp. Demorou muito para chegar até a rodovia Washington Luiz.

E foi justamente neste período, 1966, que surgiram duas grandes obras e empreendimentos importantes que vieram contribuir para o crescimento da cidade: o Posto Guarujá, no final da Avenida Andaló, e o Posto Shell Elefantinho, no cruzamento da rua Ondina, na Vila Redentora, quase chegando na rodovia Washington Luiz. Nesta época ainda não existia a avenida marginal.

O Posto Guarujá foi construído e inaugurado pelo nosso maior fotógrafo, Jaime Colagiovanni. Seu filho José Antônio lembra bem: "Meu pai viu uma oportunidade de construir um posto de combustível que atenderia os usuários da 'pista dupla', que estava em construção, e também os usuários da cidade", lembra Zezé, como é carinhosamente chamado.

Jaime, na ocasião, acompanhou tudo com sua câmera, tirando fotos espetaculares, que apresentamos aqui na nossa página, em primeira mão.

O Posto Shell Elefantinho foi inaugurado em 10 de novembro de 1966 e foi matéria de capa do Jornal A Notícia. Foi um empreendimento dos irmãos Frederico, Victor e Reinaldo Navarro da Cruz. A pista de corrida, com os carrinhos motorizados para crianças, virou febre na cidade e deixou uma enorme saudade.

A Jotacê Filmes, de Jaime Colagiovanni e Amaury Jr., registrou imagens de um dos primeiros dias de funcionamento do estabelecimento. Lá aparecem, entre outros carangos, o Simca Chambord, o Itamaraty, Fuscas, uma Rural Willys e até o Cadillac do jornalista Leonardo Gomes, que desfilou pelas ruas de Rio Preto, por décadas, com as maiores autoridades do Estado e do País, como o governador Jânio Quadros e o presidente da República João Goulart. Um carro que deveria ter sido preservado pelo patrimônio histórico.

Acima, posto Buzzini no final da Bady; ao lado, construção do Guarujá no final da Andaló e final da Bady; abaixo, canalização do rio Preto; depois (esq), hospital Beneficência Portuguesa antes da pista dupla, em 1969, e (dir), acesso à Washington Luiz pela Andaló, em 1966

 
Grupo Diário da Região.© Copyright 2022É proibida a reprodução do conteúdo em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização.
Distribuído por
Publicado no
Desenvolvido por