Vida e Estilo

  • Domingo, 20 de Agosto
  • Se não existe esforço, não tem progresso!
Vida e Estilo

Matéria

Sexta-feira, 14.04.17 às 19:41 / Atualizado em 14.04.17 às 19:41

Aquiete a mente e ouça o coração

Juliana Ribeiro
Divulgação Márcia de Luca - 15042017

Assine o Diário da Região Digital

Para continuar lendo, faça uma assinatura do
Diario da Região e tenha acesso completo ao conteúdo.

Assine agora

Pacote Digital por apenas R$ 15,90 por mês.
OUTROS PACOTES


ou ligue para os telefones: (17) 2139 2010 / 2139 2020

Divulgação Márcia de Luca - 15042017

“Olhe o mundo não só pelos olhos do corpo, mas também pelos da alma, que são os olhos da inocência.”

É com essa frase que Márcia de Luca, estudiosa, praticante de ioga, meditação e ayurveda há mais de 30 anos e autora de diversos livros sobre desenvolvimento humano, convida para a refleção. 

Ela dedica-se àquela que escolheu como sua missão: inspirar as pessoas a encontrar a totalidade, ensinando-lhes caminhos para integrar corpo, mente e espírito. Por isso, Márcia é enfática ao dizer que o universo nos dá oportunidade diariamente, mas somos nós que não sabemos aproveitar pelos simples fato de não sabermos ouvir. “O silêncio é, sem dúvida, nosso estado natural e mais essencial”, declara. 

Em entrevista à Revista Bem-Estar, Márcia fala de como as pessoas se perdem em um mundo ilusório, passando mais tempo preocupadas com o que os outros pensam sobre elas, do que na busca por si mesmas. Perde-se grandes oportunidades por medo e até mesmo por preguiça. Se autoconhecer dá trabalho, por isso, muitas vezes as pessoas optam pelo autoboicote. 

Nós deixamos que fatores externos interfiram na construção da nossa realidade?

Márcia de Luca - Nós vivemos conectados com um mundo de formas e matérias, um mundo ilusório e impermanente. Nós estamos atrelados ao nosso ego, que necessita de poder, de controle e de aprovação. Queremos mais e mais nos conectar com tudo que é ilusório e esquecemos de fazer uma conexão com a nossa alma, com o nosso espírito, com a nossa individualidade, com quem nós somos em essência. Quanto mais a gente fica atrelado a esse mundo de competição, nos afastamos desse poder do campo da pura potencialidade, em que nós somos divinos e sagrados. Nessa correria, nesse frenesi do dia a dia, não focamos no momento presente. Não prestamos atenção no aqui e agora e perdemos as oportunidade de perceber o que acontece em nossa vida. 

Por que nos importamos tanto com a opinião dos outros?

Márcia de Luca - As pessoas não são assertivas. Elas se preocupam com o que os outros pensam. Não têm segurança em si mesmas, então ficam esperando que os outros deem uma solução para o problema delas e realmente são influenciadas por essas forças externas. 

Que tipo de questionamento eu preciso fazer para construir uma realidade forte?

Márcia de Luca - Precisamos praticar meditação e aquietar da mente porque, quando aquietamos os pensamentos, conseguimos voltar para dentro de si e encontrar o poder dentro da gente, aquele que independe da aprovação do mundo externo. Temos que ter assertividade para dizer não quando o não precisa ser dito e temos que ter posicionamento firme para não deixar as pessoas interferirem no que é devido para nós. Comece a observar os sinais de conforto e desconforto do seu corpo. Se você perguntar para o seu coração, diariamente, qual a resposta para o seu questionamento, você terá a resposta que procura, mas, para isso, você precisa ficar quieto e ouvir o que o seu coração está falando. 

Ouvir o coração dá medo?

Márcia de Luca - Sem dúvida. Tem muita gente que tem medo de ouvir o coração. Tem muita gente que tem medo de si próprio. Tem muita gente que se autoboicota porque ouvir o coração e se autoconhecer não são tarefas fáceis. Temos que ter muita persistência, intenção, disciplina, treino, dar tempo ao tempo e, aos poucos, ir treinando para atingir o objetivo. 

É por medo ou preguiça de se autoconhecer que deixamos as oportunidades passar?

Márcia de Luca - Os dois casos. Temos medo do desconhecido e preguiça de prestar atenção. Na realidade, o que precisamos começar a fazer é prestar atenção em cada pensamento antes que o pensamento vire ação. Como estamos engatados no piloto automático, acabamos não prestando atenção e nossas ações saem impensavelmente. Dessa forma, não fazemos as escolhas devidas. 

Somos desconhecidos para nós mesmos?

Márcia de Luca - Não. Na verdade, a pessoa tem medo daquilo que não sabe o que é. Daquilo que não está acostumada. Daquilo ao qual não está condicionada. É do desconhecido que as pessoas têm medo. Da insegurança do desconhecido. É melhor ficar na vidinha do dia a dia, repetindo sempre as mesmas ações, os mesmo padrões de comportamento, porque já estamos acostumado com aquilo. Então, é nesse sentindo que eu digo que temos medo do desconhecido. O que não é usual para nós. 

Somos autosabotadores?

Márcia de Luca - Sim. Pode-se afirmar isso com toda tranquilidade. Somos nossos maiores sabotadores. É o autoboicote que fazemos com nós mesmo. São os atos de violência que praticamos conosco. 

Só pessoas espiritualizadas são capazes de encontrar o seu verdadeiro eu?

Márica de Luca - É um exercício diário que temos que fazer. As pessoas espiritualizadas, para chegarem a ser espiritualizadas, têm que praticar esses exercício todos os dias durante muito tempo. Temos que fazer esse exercício dia após dia, semana após semana, mês após mês, ano após ano, a vida inteira, até o final da vida. 

Insegurança faz mal? Ou são nesses momentos que nos encontramos?

Márcia de Luca - É nessa insegurança que a gente consegue dar os saltos quânticos de criatividade. Porque ficar na mesmice todos os dias, fazendo aquilo que a gente já sabe, é não evoluir. Então, simplesmente, quando a gente entra dentro do desconhecido, é que conseguimos criar coisas novas, evoluir e crescer. 

Para os pessimistas, que acreditam que o mundo conspira contra e que as oportunidades nunca acontecem, o que você pode dizer? É o universo ou somos nós que não identificamos e não aproveitamos as oportunidades?

Márcia de Luca - O universo está sempre mandando oportunidades para a gente. Está sempre mandando sinais. Nós não aproveitamos porque não prestamos atenção. A partir do momento que você para e presta atenção vai começar aproveitar as oportunidades. Basta focar e ir em frente por quê o universo, esse, está sempre mandando oportunidades. 

Dá para viver intensamente e de forma prazerosa e plena essa aventura chamada vida?

Márcia de Luca - Sem dúvida. A vida é uma brincadeira cósmica e divina e, como tal, deve ser vivida. Devemos viver com leveza, com alegria e com posicionamento positivo perante cada coisa que nos acontece, sabendo que tudo que acontece é porque tem que acontecer e tudo está certo. Então, no momento em que você confia nisso e faz o seu melhor, a vida realmente se torna fácil de ser vivida, e vive-se de maneira leve, solta e feliz. 

 

Comentários

Recomendadas

Esqueci minha senha
Informe o e-mail utilizado por você para recuperar sua senha no Diário da Região.

Assine o Diário da Região Digital

Para continuar lendo, faça uma assinatura do Diário da Região e tenha acesso completo ao conteúdo.

Assine agora

Pacote Digital por apenas R$ 15,90 por mês.
OUTROS PACOTES


ou ligue para os telefones: (17) 2139 2010 / 2139 2020

Cadastro Grátis
Diário da Região
Facilite seu acesso agregando uma
conta de rede social ao seu perfil
Sexo
Confirme seu cadastro

Para acessar nossos conteúdos especiais é necessario que você ative seu cadastro.

Acesse seu e-mail e clique no link que lhe enviamos. Caso não tenha recebebido, digite abaixo seu e-mail.