Diário da Região

05/08/2016 - 09h17min

Saúde

Novo medicamento para o tratamento de câncer gástrico

Saúde

Stock Images/Divulgação Cyramza teve sua eficácia comprovada em dois estudos clínicos com mais de um mil pacientes de diversos países
Cyramza teve sua eficácia comprovada em dois estudos clínicos com mais de um mil pacientes de diversos países

Um novo medicamento acaba de ser lançado no Brasil para tratar o câncer gástrico avançado ou o da junção gastroesofágica (JEG). Trata-se do Cyramza, um medicamento com anticorpo monoclonal que atua inibindo a formação de vasos sanguíneos que nutrem o tumor (antiangiogênico). O tratamento demonstrou melhoria significativa da sobrevida global em pacientes com câncer gástrico e da junção gastroesofágica avançado ou metastático que falharam à quimioterapia prévia, em associação com o medicamento paclitaxel e em monoterapia, que é o tratamento com um único medicamento específico.

O novo medicamento foi aprovado no início deste ano pela Anvisa e é indicado para o tratamento de pacientes adultos e que tenham apresentado progressão da doença após quimioterapia prévia com platina ou fluoropirimidina. O medicamento é indicado em combinação com paclitaxel e também como agente isolado nos casos em que o tratamento com placlitaxel não é apropriado.

O câncer gástrico é o quinto mais comum no mundo e o terceiro mais mortal, com mais de 720 mil mortes em 2012. No Brasil, o Intituto Nacional do Câncer (Inca), prevê mais de 20 mil novos casos em 2016. A doença é agressiva e de difícil tratamento, e grande parte dos pacientes é diagnosticada com câncer gástrico avançado (estágio III ou IV), e o diagnóstico tardio é um dos principais desafios em relação a esta doença. Por este motivo, o lançamento do Cyramza representa um avanço significativo para os pacientes e oferece um novo padrão de tratamento para pacientes que tiveram piora da doença após quimioterapia prévia.  

Em estágio inicial, a doença geralmente é assintomática. Alguns dos sintomas que podem ocorrer nesta fase são náuseas, perda do apetite, empachamento epigástrico e queimação. Alguns dos sintomas da doença em estágio avançado são sangue nas fezes, vômitos, perda de peso repentina e icterícia. O diagnóstico é feito por endoscopia digestiva alta, seguida de biópsias para confirmar a doença. Exames de imagem como a tomografia são realizados para avaliar o estágio da doença ao diagnóstico.

Di´rio Im&ocute;veis

Di´rio Motors

Esqueci minha senha
Informe o e-mail utilizado por você para recuperar sua senha no Diário da Região.

Já sou assinante

Para continuar lendo esta matéria,
faça seu login de acesso:

Não lembro a minha senha!

Assine o Diário da Região Digital

Para continuar lendo, faça uma assinatura do Diário da Região e tenha acesso completo ao conteúdo.

Assine agora

Pacote Digital por apenas R$ 16,90 por mês.
OUTROS PACOTES


ou ligue para os telefones: (17) 2139 2010 / 2139 2020

Cadastro Grátis
Diário da Região
Clique no botão ao lado e agilize seu cadastro importando seus dados básicos do facebook
Sexo
Defina seus dados de acesso